[Crítica] Tô Ryca 2




“Selminha voltando melhor e mais atual”


"Tô Ryca 2" volta 5 anos depois de seu primeiro filme que foi uma sensação no Brasil e agora volta com uma trama digamos reversa, no primeiro filme ela fica rica e agora mostra ela ficando pobre, como vem o ditado alegria de pobre dura pouco, quando uma homónima aparece virando sua vida de cabeça para baixo dizendo ser a verdadeira herdeira do seu dinheiro adquirido por Selminha no ultimo filme e o filme mostra ela em busca de sua riqueza novamente atrás de confusão a confusão.


É de se observar uma melhora na direção em comparação com o primeiro que tinha uma direção meio sem sal, com a direção de Pedro Antonio e a direção de fotografia ainda igual o primeiro de Julio Constantini que tem uma melhora significativa, direção de fotografia muito bela com cenário o Rio De Janeiro que tem um presença enorme como a praia e a comunidade e com uma trilha sonora muito boa não e marcante mas para fãs de musica sertaneja no final tem uma grata surpresa. 


Pode-se afirmar que Samantha Schmütz tem um olhar para a comedia muito bem ela arrasa nesse filme igual ao outro soque agora enfrentando a pobreza como um desafio em vez da riqueza, trazendo novos personagens adicionais como Selminha 2(Evelyn Castro) e Gracil(Rafael Portugal) que mesmo aparecendo pouco são um arraso quando aparecem, mas sinto falta de Marcus Majella e Fabiana Karla que eram ótimos em seus papeis e tiravam muitas risadas do público.


Um aspecto muito importante a se tratar sobre esse filme é como ele lida a pobreza de forma engraçada que faz nos rir de situações do nosso próprio cotidiano como a lotação dos ónibus, as enchentes que vem acontecendo ao redor do Brasil mesmo que trate pouco funciona muito para trama e em forma de uma critica social nem tanto escancarada e nem tanto extravagante, são essas e muitas maneiras que o roteiro tenta incluir uma sátira sobre a situação do público nos dias de hoje e isso funciona muito bem, feito por Fil Braz o roteirista do primeiro filme e desse também fez um trabalho muito bom e bem escrito.


Por fim o filme não tem tantos erros e mais acertos só queria que eles dessem mais tempo de tela a personagens que acabam aparecendo pouco e um pouco mais de atenção em algumas subtramas que poderiam ser muito melhor utilizada e por ultimo o filme nesses tempos que estamos acaba sendo o melhor para a população nesses dias tão turbulentos e merece ser visto por todos e porque como dizia Paulo Gustavo “Rir é o melhor remédio”. 



Duração 1h 42min / Comédia
Direção: Pedro Antonio
Roteiro Fil Braz
Elenco: Samantha SchmützKatiuscia CanoroEvelyn Castro

Antônio Gabriel Bartochevis
TRAILER


My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes