Documentário "Mr. Dreamer", de Pedro Sirotsky, estreia no NOW em 29 de abril e em breve na Globoplay

Documentário de Pedro Sirotsky é uma reflexão sobre o tempo,

sonhos deixados para trás e sonhos possíveis em face de uma pandemia



“O que você está fazendo com sua vida?”. Esta é a principal provocação do documentário Mr. Dreamer, que estreia no dia 29 de abril no NOW e em breve na Globoplay. O docudrama explora com profundidade as angústias do mundo contemporâneo ao relatar a história do empresário que interrompeu seu sonho na juventude, e agora luta contra o tempo e a pandemia para reencontrar sua essência.

 



Pedro tinha 17 anos em 1973, quando começou a trajetória no rádio e na TV que o consagrou como um influente comunicador de seu tempo. Em 1979, no auge do sucesso do seu programa, Transasom, ele abandonou a carreira que amava e assumiu um cargo executivo na empresa de comunicação da família.



Livre para sonhar novamente depois de quatro décadas, Pedro articula um plano para superar a escolha que o deixou “hibernando nas cavernas do mundo corporativo”: viajar pelo mundo para conhecer jovens que amam a música como ele amava quando era jovem. Daí surge o projeto "Mr Dreamer", concebido originalmente em um formato de série, onde cada episódio corresponderia a um destino geográfico de Pedro em busca de seu sonho deixado para trás. “Este documentário é o novo divisor de águas da minha vida.  Uma forma de morte e renascimento”, define Pedro Sirotsky. 



A primeira parada é Dublin, onde o protagonista divide experiências de vida inesquecíveis com uma talentosa geração de jovens músicos. Quando está pronto para a próxima viagem, a pandemia inverte os itinerários: em vez de ir a Los Angeles, Pedro é obrigado a se isolar em sua casa, em Santa Catarina. Entre a solidão e a ansiedade, ele mergulha numa auto-reflexão: “Ainda é possível sonhar em um mundo em que é difícil respirar?”. 



Produzido por Pedro Sirotsky e Flávia Moraes, dirigido por Flavia Moraes, com roteiro e textos de Marcélo Ferla, o docudrama Mr. Dreamer foi gravado em Dublin, em setembro de 2019, e na Praia da Barra/SC e Porto Alegre/RS, em setembro de 2020. Os registros feitos durante a pandemia seguiram um formato inédito, totalmente adaptado aos novos tempos, no modo remoto, com a equipe de  filmagem no Brasil e a diretora trabalhando de forma online, em Los Angeles.





FICHA TÉCNICA MR. DREAMER

Direção: Flavia Moraes

Escrito por: Marcelo Ferla

Produção: Robin Bensinger e Vica Nabuco

Produção executiva: Pedro Sirotsky e Flavia Morais

Fotografia: Pedro Rocha

Engenheiro de som: Fernando Basso

Edição: Laura Brum



Sobre Pedro Sirotsky



Pedro Sirotsky tem 64 anos e respira música desde que nasceu. Nos anos 1970, com apenas 16 anos, começou a trabalhar na comunicação, como programador musical da Rádio Gaúcha AM, e depois como apresentador do programa de rádio e TV "Transasom"; nos anos 1980 criou a Rede Atlântida FM e o selo RBS Discos, e assumiu o cargo de diretor da Rádio Gaúcha AM e RBS Rádios; nos anos 1990 criou a Itapema FM e assumiu a vice-presidência do Grupo RBS em SC; nos anos 2000 se tornou sócio da editora de livros de arte Toriba, em São Paulo, lançou sua biografia, "Lembra do Transasom?” (L&PM, 2007), e integrou o Conselho do WWF Brasil, por 9 anos. Em 2021, continua sonhando com música.



Sobre Flavia Moraes



Primeira realizadora brasileira a associar-se ao Directors Guild of America, Flavia Moraes foi premiada nos principais festivais do mercado audiovisual internacional, Cannes, Clio, London Awards, The New York Festival e FIAP, além de ganhar três vezes o Prêmio Caboré, no Brasil.

Com seu primeiro longa de ficção, Beijo Ardente (1984), a diretora ganhou os prêmios de Voto Popular do FestRio e Melhor Vídeo no FestVídeoBrasil/MIS.  Em 1990, ela criou a Filmplanet, produtora referencial da época dourada da propaganda brasileira, com uma notável trajetória no mercado nacional e internacional, com operações em São Paulo, Rio de Janeiro, Los Angeles, Buenos Aires e Santiago do Chile. Além de um impressionante número de filmes publicitários, Flavia Moraes dirigiu music-vídeos, DVDs e concertos, como Quatro Estações (Sandy & Junior), 30 Anos de Coragem (Chitãozinho & Xororó), Cartola para Todos, NegaLora (Claudia Leitte), além dos shows de abertura do Rock’nRio de 2001 e 2011. 

Nos palcos ela também assinou Quedate Conmigo esta Noche, a montagem portenha do premiado texto de Flavio de Souza, sucesso de crítica e público em Buenos Aires, além do média metragem Paixão Cigana, que integra o espetáculo teatral Luar em Branco e Preto, de Lauro Cesar Muniz. Para a televisão, Flavia Moraes inovou o modelo de produção independente ao dirigir e produzir as mini-séries ToFrito (MTV, Band) e Galera Animal (TVGlobo), desenvolvidas para a Nestlé, que inauguraram o conceito de branded content na TV brasileira, dirigiu A Teu Lado Leve, capítulo da série Fronteras, produzida pelo realizador argentino Juan Campanella para a TNT, e documentários como Sou Meninos do Morumbi e Dalai Lama no Brasil. Para o cinema, ele dirigiu uma trilogia de filmes a partir da obra do escritor Luis Fernando Veríssimo, o longa- metragem Acquária, e o episódio que representou o Brasil no filme World Champion Stories, sobre a cultura do futebol em países vencedores de Copas do Mundo, chamado A Regra do Jogo. Mais recentemente, como Diretora de Inovação do Grupo RBS, liderou a realização de um extenso estudo sobre o futuro da Comunicação: The Communication(R)evolution, que reúne estudiosos e acadêmicos das principais universidades do mundo, e que norteou o reposicionamento de importantes veículos do grupo, além de inspirar Flavia na criação e desenvolvimento do canal experimental OCTO, que testou novos formatos e padrões, com foco em branded content, conteúdo colaborativo e real-time-marketing. Radicada em Los Angeles desde 2016, a diretora se dedica atualmente a projetos autorais, cujo propósito inspire transformação e outras formas de olhar, como “Mr. Dreamer” e “Visions in the Dark”, em fase de finalização.



Sobre Marcelo Férla



Marcélo Ferla, jornalista, radialista e escritor, atuou como divulgador da gravadora Warner Music para o RS; editor de música do jornal Zero Hora (RS); editor de Repertório da revista Única (SP); editor-chefe das revistas de música Frente (SP) e DJ World (SP); locutor e gerente artístico da rádio Ipanema FM (RS); gerente artístico da rádio Oi FM (RS); colaborador dos jornais Folha de S.Paulo (Ilustrada) e das revistas Rolling Stone, GQ, Bizz, Criativa, Trip, Bizz, Superinteressante, Quem, Criativa e National Geographic, entre outras; diretor da rádio web minima.fm e colunista da rádio web Oi FM; curador de festivais de música como Gig Rock e PARC, e de eventos como FILE – Santander Cultural, palestrante de eventos como o TED Farroupilha e em escolas como Perestroika; coordenador do Red Bul Music Academy para o Rio Grande do Sul. Desenvolveu projetos de conteúdo para Coca-Cola, Schincariol, West Coast, Tramontina, Azaleia, Unisinos, UniLassale, Feevale, Rossi, Paquetá, Sabemi, Detran/RS e Grêmio Foot-Ball Porto-Alegrense, entre outros. Criou o site de cultura pop Antenna.

É diretor da Sub20 – conteúdo sonoro, empresa dedicada a produzir podcasts e audiobooks. Entre os mais de 10 livros que escreveu, estão Música Eletrônica (Superinteressante/Abril), Segredo Rebelde (Futuro), Lembra do Transasom? (L&PM), Futebol, a Paixão do Brasil (c/ outros autores, Clube dos 13), e A Obra Inteira de Uma Vida – Nenhum de Nós (Ed. Belas Letras)

 

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes