[Crítica] Unidas Pela Esperança


Filme baseado em fatos reais, mulheres que moram num condomínio de militares, onde naquele momento vão ficar afastadas de seus maridos, pois irão a guerra. Os militares sempre escolhe uma esposa de militar de alta patente pra poder distrair e criar formas em que as mulheres desses militares não entrem em angustia, por ficar distante por muito tempo deles.

Lisa (Sharon Hargan) é dona de um mercadinho dentro do condomínio, por seu marido ser alta patente ela foi a escolhida parar criar clubes parar as mulheres dos militares se distraírem, mas a Kate (Kristin Scott Thomas) se voluntaria para ajudar, por não confiar em que Lisa deva fazer um bom trabalho.

Lisa e Kate são as protagonistas que tem personalidades diferentes. Kate, é séria, regrada, amiga, julga as pessoas, entre outros atributos. Lisa é despretensiosa, preocupada, mãe, divertida e tem um casamento anti - racial. As duas tem potencial de ser líder, mas cada uma de uma forma, é isso que faz com que elas no final se tornem a dupla de líderes perfeitas.


As despedidas de seus maridos são doloridas, forte, pois o medo da perda é muito grande. Mas durante o filme elas recebem cartas de seus maridos, onde alivia esse distanciamento entre eles. Na primeira reunião com as mulheres destes militares, Lisa e Kate entram desavença de ideias. Mesmo com a ajuda das mulheres dos militares dando ideia de clubes, acabou em furada, pois elas não eram aptas.

Kate acaba se apropriando um pouco do dever da Lisa, até Kate da ideia de um coral ou um clube de canto. Kate tentou fazer funcionar o coral levando um louvor para elas cantarem, enquanto parar a Lisa a ideia era tornar o coral mais divertido, despretensioso. Até que a Lisa começa a tomar gosto e tomar conta do espaço do coral e Kate se sentir um pouco excluída.


O coral começou a dar certo tanto que Kate e Lisa pensaram em fazer uma apresentação em um bar e tudo acompanhado de um militar que via futuro prospero par essa atividade. Elas são convidadas parar se apresentar na TV no Festival Of Remembrance. Lisa deu a ideia de elas escreverem algo inédito para cantar nesse festival, usando um pedaço de cada carta que elas receberam.

A história tem conflito de poder, união, amor, relação inter-racial, relação LGBT+, mostrou o  quanto essas mulheres foram fortes, mesmo sem seus maridos estando lá, elas conseguiram criar o 1º Coral  de Esposas de Militares, e isso se tornou moda em todo Reino Unido, onde criaram seu coral em cada condomínio de militar. Podemos realizar coisas significantes pra gente mesmo num momento em que nos sentimos encurralados, onde pensamentos negativos ficam em nossas mentes, é preciso criar uma distração pra gente não enlouquecer.


Ficha Técnica:
Título Original: Military Wives
Distribuição: California Filmes
Estréia: 14/01/2021 (Quinta - feira)
País: Reino Unido
Gênero: Drama
Classificação: 12 Anos
Duração: 112 minutos
Direção: Peter Cattaneo
Elenco: Kristin Scott Thomas, Sharon Horgan, Davina Sitaram entre outros.


Tatá Boeta
Bacharel em Produção Cultural, roteirista,
ator, diretor de teatro/performance, compositor,
poeta e bailarino.
Instagram: @tataboeta



ACESSE TAMBÉM NOSSAS REDES SOCIAIS

TWITER: DesconexaoL
INSTAGRAM: DesconexaoLeitura
FACEBOOK: Desconexao Leitura 


































































































 

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes