[Disney] THE OWL HOUSE - A CASA DA CORUJA


(contém spoiler)

Larissa Costa

 

A Disney nos surpreendeu nesse 2020 através de uma animação maravilhosa. Pra quem está no twitter e acompanha os diversos fandoms sobre: She-Ra e as princesas do poder; Kipo; Steven Universe. A casa da coruja não é nenhuma novidade, inclusive tem muito comum com essas animações, que é representatividade LGBT e é atrelada ao um universo de mágico, que por muitas vezes nos remete ao universo de Harry Potter.


Quem é a grande mente por trás dessa obra? Dana Terrace. É cada vez mais visível que esses conteúdos, carregados de diversidade e muito amor, são frutos do trabalho de mulheres. Elas cada vez mais quebram essa indústria heteronormativa e retratam com toda a sensibilidade tais personagens. Foi justamente por não se verem representadas que muitas buscaram com toda a garra e sagacidade mudar esse cenário, e é preciso muito jogo de cintura até que as empresas aceitem personagens LGBTs dentro de suas animações de classificação Livre.


A casa da coruja nos traz Luz Noceda, personagem Latina, bissexual sendo assim (atenção) A PRIMEIRA PERSONAGEM PROTAGONISTA LGBT DA DISNEY, uma conquista e tanto para todos nós. Luz sofre diversas críticas no nosso mundo por causa da seu jeito muito criativo e é enviada para o “acampamento: pense dentro da caixa”, mas um contratempo acontece e Luz para num universo de magia e fantasia. Tudo que existe de mágico no nosso mundo, foi um vazamento de lá, das Ilhas Ferventes.



Ao ser praticamente adotada por Eda e seu mascote King, Luz encontra nas Ilhas Ferventes e nessas pessoas, uma oportunidade para viver a vida que sempre quis e aprender MAGIA. Entre muitas aventuras e desventuras, Luz faz novos amigos: Willow, Gus e posteriormente Amity, que vai desenvolver um crush na protagonista, que claramente ainda não se deu conta desse sentimento.

 

A relação de Luz e Amity é um clichêzinho maravilhoso, primeiro elas não se davam bem por causa do jeito muito irritado e fechado de Amity, mas logo, Luz, percebeu que esse jeito de “eu não me importo, mas me importo” era uma fachada e só sossegou quando estabeleceu uma amizade com a menina de cabelos verdes e personalidade forte. Para Amity, foi algo além, ela deu uma brecha para uma amizade, que virou uma quedinha por Luz e sempre que está perto da menina cora, é uma fofura só.


Mas a série não é só rosas, algo muito misterioso ronda a vida de Eda, “mãe” de Luz. Uma maldição foi lançada na Bruxa, quando ela ainda era adolescente e faz com que ela se transforme em um animal que parece uma coruja, mas como a Bruxa mais poderosa das Ilhas Ferventes foi amaldiçoada? Quem assistiu o último episódio que saiu neste sábado, já sabe e vou dizer uma coisa, é de dar muita raiva.

 

A casa da Coruja, apesar de ser uma obra de fantasia, muito retrata sobre o nosso mundo, como a dificuldade que a sociedade tem de aceitar as pessoas que pensam e agem diferente, ou sobre relações tóxicas, mesmo que elas sejam familiares, entre outras coisas.

 

A série ainda está na primeira temporada, falta apenas um episódio para o final e existem muitas perguntas para serem respondidas, segundo alguns fandoms que acompanho pelo twitter, ela já está confirmada para uma segunda, provavelmente teremos um hiatus, onde sofreremos por um tempo e criaremos muitas teorias até seu lançamento. Eu, particularmente, já estou acostumada com esse modo de vida (risos). TOH, como é chamada pelos fãs, é mais um marco na animação, que nos dá um gostinho de que com o tempo, mesmo que demore, as coisas mudam e isso dá uma aquecida no coração. Desejo um mundo para a animação com mais diversidade, magia e amor em cada canto do mundo.


My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes