[Música] Daniel Peixoto regrava “Postal de Amor” com Filipe Catto

Filipe Catto e Daniel Peixoto. Foto: Rafael Monteiro/Divulgação

Música foi lançada originalmente por Ney Matogrosso e Fagner em 1975


O cantor Daniel Peixoto lança “Postal de Amor”, originalmente gravado em 1975 por Ney Matogrosso e Fagner. Na nova versão, o líder da banda Montage divide os vocais com Filipe Catto em releitura eletrônica que celebra a parceria entre dois dos mais emblemáticos cantores da música queer brasileira e da nova MPB.
A nova produção é inspirada na mistura do trip hop com a música popular brasileira e leva assinatura de Rodrigo Brandão e Carlos Gadelha. Duas semanas após seu lançamento, “Postal de Amor” ainda será contemplada com remixes em versões electro e techno. As versões são assinadas pelos DJs L_cio, responsável pelo renascimento de “Construção”, de Chico Buarque, nas pistas de dança; e Malka, artista trans responsável pelo primeiro selo dedicado a artistas T no Brasil, a TravaBizness.
“Eu sempre amei essa gravação. Eu sou cearense, o Fagner é do Ceará, então, por mais que essa música não tenha se tornado um hit, lá no Ceará ela é bem popular. Eu sempre adorei e sempre tive vontade de gravá-la, mas esteva esperando o momento certo. Quando eu decidi, imediatamente eu pensei no Filipe Catto, já que o original é um dueto entre o Fagner e o Ney. O Filipe, em minha opinião, é o melhor cantor dessa geração que a gente faz parte e eu tinha certeza que ia acontecer o que aconteceu. Ele iria transformar a música e dar ainda mais beleza pra uma obra que já é incrível! E ele deixou sublime. Gosto muito da intensidade e do drama da canção e gosto também de ser homem e poder dizer que ‘minha voz é parda de louca, no feminino’”, cita Daniel Peixoto.
 A faixa visita a melancolia do passado, com beats e timbres do pop contemporâneo, enquanto serve como trilha sonora de um filme imaginário, misturando lirismo e drama, elementos já característicos nos trabalhos de Peixoto e Catto. As vozes dos artistas se entrelaçam entre um verso e outro, costurando uma história de amor trágica e apaixonante, narrada por dois pontos de vista complementares e, ao mesmo tempo, conflitante.
Composta por Fagner, Fausto Nilo e Ricardo Bezerra, “Postal de Amor” faz parte do projeto DP, pelo qual Daniel tem lançado singles inéditos e remixes de músicas já presentes em seu repertório, retrabalhadas por produtores celebrados na cena eletrônica. Por ele, já foram disponibilizadas uma versão do cantor para “O Vira”, clássico da banda Secos & Molhados; um álbum de remixes com assinaturas de Jaloo, Edu K, Las Bibas From Viscaya e DJ Waldosquash; e o clipe para a canção “Colégio de Aplicação”, releitura dos Novos Baianos que ganhou a bênção de Moraes Moreira durante a gravação.  



Arte da Capa: Luis Fernando Rodrigues. Finalização: Fábio Viana.


Mais sobre Daniel Peixoto
De abertura para o show de lendas como The Prodigy, Bjork e The Cardingans até trilha de novela da TV Globo, Daniel é um daqueles poucos artistas completos, que mergulham fundo nas suas raízes sem nunca perder a essência e a paixão por seu trabalho. Elogiado por Justin Timberlake, tido como o novo David Bowie pelo jornal inglês The Guardian, o cearense foi chamado de "Príncipe brasileiro do electro" pela MTV de NYC e seu disco de estreia Mastigando Humanos (2011) ganhou o prêmio Dynamite de Música independente como melhor álbum eletrônico de 2012. Atualmente Peixoto trabalha seu projeto “DP” onde lança uma faixa por mês nas plataformas de música, o que serve de aperitivo para o álbum Iracema Som Sistema produzido pelo DJ Gorky, previsto para o segundo semestre de 2020, e pode ser visto semanalmente aprestando o programa Porto Dragão Sessions na TV a cabo Music Box Brazil.
Redes sociais

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes