[Resenhas]: Diário de Uma Mãe em Quarentena


Para muitos a quarentena começou hoje, mas para mim, ela começou dia 13/03 (é, na sexta feira 13), às 17h, ao chegar na escola para buscar meus filhos.

Quem não me conhece, meu nome é Mariana, tenho 33 anos, sou casada e tenho 2 filhos, um menino de 7 anos e uma menina de 3 anos.

Nesta bendita sexta feira 13, fui informada que a escola entraria de recesso, por causa do Corona Vírus, a princípio, pelo período de 15 dias. Logo agora que as crianças acabaram de retornar do recesso de carnaval, que durou 10 dias e estavam se readaptando à rotina da escola e eu estava começando um novo projeto. Tudo parou de repente.

Começamos, então, a nossa quarentena.
A princípio, as crianças adoraram saber que “estariam de férias novamente” e estavam se divertindo com isso. Assim, passamos bem o final de semana, fomos a uma festinha no sábado, mas as coisas ainda estavam tranquilas e no domingo, ficamos em casa.

A segunda chegou, com isso, meu marido voltou a trabalhar, entramos, então, na nossa primeira semana de quarentena, nos três em casa, sozinhos, até à noite, hora que o papai chegava.

Passamos os dois primeiros dias bem. Assistimos desenhos, lemos um pouco e brincamos também, mas foi no terceiro dia que tudo começou a acontecer.
Meu mais velho começou a fazer pirraça, por uma causa boba às 8h da manhã, quando finalmente se acalmou, já eram quase 10h, foi a vez da pequena começar. Parece que eles tiraram aquela manhã de quarta só para me irritar.

Depois que tudo acalmou, tentei ler um pouco, mas eles decidiram brigar entre si, percebi que seria um dia “daqueles”.

À tarde decidi passar um pouco de roupa (apesar da quarentena a vida não para) e a minha pequena foi atrás de mim. Você já imaginou uma pessoa andando atrás de você o dia todo, para todo lugar que você vai? Então, seja mãe que você descobrirá como isso funciona. Voltando à roupa, tenho pavor de criança próxima ao ferro. Passei só um pouco, porque ela não queria sair de perto de mim. Desliguei o ferro e o coloquei em um canto, virado para parede. E não é que a garota foi mexer justamente neste canto? Adivinha o que aconteceu? Queimou a perna! Foi aquela correria, pega gelo, coloca soro, pega a criança, acalma a criança e vinte minutos depois, lá estava ela, plena, brincando, como se nada estivesse acontecido, se não fosse pela marca vermelha, ninguém dizia que tinha se queimado. E eu? Arrasada, me sentindo a pior mãe do mundo.

Sorte a minha que dentro de alguns minutos, eu teria minha consulta com a terapeuta, consulta essa que teve que ser on-line devido ao danado do “Corona”. Minha querida terapeuta me disse que acidentes acontecem e que não era para eu ficar assim.

Quarenta e cinco minutos depois, terminamos e consulta e eu um pouco mais calma, volta a programação normal.

Estamos nós aqui, hoje no nosso 10ª dia de quarentena, 1ª dia do meu marido. As crianças já estão estressadas, pois não podem mais sair e ver gente, os brinquedos estão espalhados pela casa, a televisão passa desenho 24h por dia e eu tentando manter esses dois quietos para o pai poder trabalhar. Já a casa, bem, deixa ela para lá né? Melhor assim!

Bem pessoal, esse foi um dia da minha rotina de quarentena, tentarei manter esse diário frequentemente, mas como vocês podem perceber, não é muito fácil parar com duas crianças em casa.

Se tiver alguma mãezinha que se identificou com o meu relato acima, escreva pra mim, será um prazer falar com você, basta enviar um email para o desconexao.leitura@gmail.com, que assim que eu conseguir te respondo.

Espero que estejam todos bem e se Deus quiser, isso logo passará.

Beijos e até o próximo Diário de Uma Mãe em Quarentena. E não se esqueçam, Fiquem em Casa!

Mariana Ferrari


My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes