[Crítica Musical] Track-by-Track: "111" de Pabllo Vittar

Hey, Desconectados! Eu sou Taú e essa é mais uma crítica faixa por faixa do novísssimo álbum da Pabllo Vittar: 111! leiam tudinho, fiquem em casa, lavem as mãos e não ouçam o presidente. Boa leitura a todos!






1- Parabéns

A primeira faixa deseja parabéns quando para a bunda! "Parabéns" é uma música super alto  astral que usa do duplo sentido pra falar sobre os estereótipos de aniversário e trazer para um sentido sexy e dançante. A sonoridade traz um ritmo em uma crescente no Brasil, o bregagunk. Creio que é uma ótima estratégia para se começar um CD que se trata de uma playlist de aniversário, e que a linha melódica dessa música faz dela um grande hit!

2- Timida

E vamos de espanhol! Timida fala de uma moça que não corresponde nada com o título, que entre 4 paredes age na maior intimidade com o parceiro. A sonoridade é extremamente latino dançante, no sentido que já ouvimos isto em algum lugar, e eu amo esta sensação que a Pabllo nos traz e veremos mais disso no decorrer deste CD. Eu gosto das nuances de sonoridades que esta música traz, além da potencialização da voz de Thalia que arrasou nas notas mais agudas dessa faixa.

3- Lovezinho

"Lovezinho" não é uma canção que passa despercebida pelo simples fato de ter a participação de Ivete Sangalo. Disserta sobre ter aquele lance com um parceiro. A sonoridade mistura elementos do reggae, house e bregafunk, uma mistura que deu mais que certo. Admito que mesmo assim esperava mais da Pabllo na música com uma das maiores artistas do Brasil, essa música é muito lenta além de entediante se ouvida por muito tempo.

4- Amor de Que

A quarta faixa relata a história que todos nós conhecemos e muitas vezes nos identificamos, o amor de quenga - eu sou seu mas sou de todo mundo - quem nunca? A sonoridade é muito característica e muito viciante. Não é atoa que essa música se tornou um dos hits do carnaval! É um forrozão que mais ganha o público pela sinceridade da letra e pela identificação do ritmo sofrência.

5- Salvaje

A música fala sobre quando se termina um relacionamento e não se quer mais saber do ex, daí se põe selvagem, estreiando o amor de quenga. A sonoridade tem influências do gospel no começo, um piano, uma batida de reggaetón que depois se modifica em um som muito louco da balada. Gosto da produção fonográfica desta faixa, traz muitos elementos de fora e creio ser a música mais comercial latina da Pabllo até hoje. Essa música com certeza subiu no meu conceito e é uma das minhas favoritas do disco.

6- Flash Pose

"Flash Pose" fala exatamente sobre o título: dar um close e arrasar na pista! A sonoridade de flash pose foi sem dúvidas lançada pro mercado europeu que consome muita música eletrônica de balada, e de fato esta música deu visibilidade à cantora na Europa. É uma batida muito dançante característica dos anos 80 que traz elementos da música atual para não ficar tão previsível. Amo esta faixa mas acho que ela não sofre muitas mutações, o que a deixa no marasmo e a torna chata.

7- Clima Quente

Esta fala sobre uma batida que não dá pra parar, se jogar na balada e dançar muito. Amo a sonoridade desta música, significa que a Pabllo de "Não Para Não" ainda está entre nós trazendo seu nordeste à tona com o ritmo que realmente é muito dançante e característico de sua região.

8- Ponte Perra

A penúltima faixa fala sobre exatamente "Amor de que" leciona: ser livre sexualmente, só que em espanhol. Ponte Perra tem uma sonoridade que transita entre o reggaetón e a música eletrônica e faz uma ponte perfeita sobre estes dois ritmos. Acho uma música arriscada para o mercado latino mas gosto da ousadia de Pabllo tendo em vista que coisas assim surpreendem e talvez conquistem um público do México.


9- Rajadão

Chegou o meu momento! Pabllo finaliza o álbum com uma mensagem importante (e bíblica) sobre o mundo daqui em diante. Fala sobre vencer os inimigos e que o poder da vitória e do rajadão faz a dor se transformar em glória. Amo a sonoridade que traz uma música eletrônica, a ponte gospel, além dos elementos de bregafunk  que fazem toda a diferença. Gosto desta resposta de Pabllo Vittar sobre os louvores das igrejas sendo de uma maneira nada irônica e sim agregadora que interfere na cultura LGBT por ser muito dançante. E isso possibilita que a última faixa seja a minha favorita, parabéns aos envolvidos!





O álbum "111" retrata sobre muitas coisas, dentre elas, a superação, de bradar a sua vitória através da alegria de dançar e ser feliz. Pabllo mais uma vez traz suas raízes nordestinas para seu trabalho concretizadas de uma forma fluida e misturando elementos, esta tão única que nem parece que está sendo misturado, esta é a característica de Pabllo que eu mais admiro. Confesso que para uma playlist de aniversário este disco serve muito, mas para CD conceitual talvez não, pois pude observar umas músicas jogadas e sem sentido algum de existirem no conceito do 111 como "Clima Quente" e "Lovezinho". Tirando isto, o álbum é incrível e continuo rearfirmando que a cantora se supera a cada dia se reinventando e dando o melhor de si transparente em cada trabalho.






Texto: Taú
Compositor, escritor e técnico de negócios

Instagram: @tauoficial_

ACESSE TAMBÉM NOSSAS REDES SOCIAIS




My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes