[Ásia nas Entrelinhas]: Review: Map of the soul: 7 - BTS



As primeiras cinco músicas desse álbum já pertenciam ao álbum antigo Map of the soul: Persona, não contando apenas com HOME e Mikrokosmos. Como o atual lançamento do BTS é uma espécie de continuação de MOTS: Persona, as sete primeiras músicas não são exatamente “novidade” mas merecem destaque.

O álbum foi lançado em 21 de fevereiro de 2020 e é uma espécie de grande cançao de amor, e gratidão tanto aos fãs, quanto à sua carreira e quanto a si mesmos. Conta com músicas individuais de cada um dos membros, um feat. com a Sia e mais um monte de coisas incríveis!! 



Intro: Persona - Essa é a primeira música do álbum, um solo de Namjoon, que fala sobre se encontrar, se descobrir, entender qual o seu lugar no mundo. Uma música sobre compreender a si mesmo e buscar o conhecimento de si próprio. A melhor parte dessa letra é o fato de ser apenas questionamentos (como ainda vamos ver muito ao longo desse álbum) e não necessariamente uma verdade, já que as nossas verdades são absolutamente mutáveis e inconstantes. Uma música que fala sobre saber se reconhecer quando uma multidão diz tantas coisas diferentes de como você mesmo se vê, ou tenta se ver. Acompanhada de uma melodia tão forte quanto a letra, o álbum já começa com um rap de qualidade feito pelo líder do grupo e não deixa a desejar em nenhum aspecto.

Boy With Luv (feat. Halsey) - Com uma pegada mais animada, boy with luv foi o último single do grupo, ultrapassando seu próprio record de visualizações do MV no youtube, atingindo 74 milhões de views em 24h. A música fala basicamente do que diz o título: um garoto apaixonado, descrevendo todas as sensações que o fazem se sentir assim. O fato de ter a Halsey como parceira na música repercutiu bastante e tiveram pessoas que gostaram, outras que não gostaram e algumas que acharam irrelevante. De qualquer forma, é uma música chiclete e gostosinha de ouvir.

Make it Right - Trata-se também de uma love song produzida em parceria com o cantor Ed Sheeran, porém não conta com sua voz. Tem uma letra muito bonita, que fala sobre entregar-se a alguém e sobre destino. A música é calma e aconchegante, e particularmente, traz uma sensação de conforto ao ouvir, como um cobertor quentinho em forma de melodia.

Jamais Vu - Falando sobre redenção, amor, sobre tentar se conhecer e sobre entender a si mesmo e ao amor, a música traz em si todos os “conceitos” já apresentados nas outras músicas de uma forma completamente diferente. Sabe aquele tipo de música que você coloca quando tá triste e só quer chorar um pouquinho pra melhorar? É isso! Ela não se encaixa em triste ou feliz, ela é do tipo que aconchega o coração, mas que tem uma letra simples e ao mesmo tempo forte.

Dionysus - Uma das minhas favoritas, dionysus tem uma batida forte e dançante, além de uma coreografia impecável. A música traz uma inspiração ao deus grego Dionísio (o deus do vinho), o que remeteu a todo o fandom do BTS (chamado de ARMY) ao clipe de Blood, sweat and tears, que traz, entre suas milhares de referências, algumas relacionadas a mitologia grega. A letra fala sobre - chocante - beber, festas e sobre como é se sentir como um deus, fazendo analogias à vida que levam como artistas. Uma música contagiante e com uma vibe muito “feeling myself”. Esse estilo de letra me lembrou muito Mic drop, que também é uma das minhas músicas favoritas do grupo.

Interlude: Shadow - Agora sim começamos com os lançamentos. O MV de Interlude: Shadow foi lançado em 9 de janeiro de 2020 no Brasil, bem antes do álbum (e tem um review no site sobre ele!!), e é um solo do Suga. A música é uma espécie de conversa entre dois “eus”, o que é um grande artista famoso e o que ele é quando não está nos holofotes. Muito desse álbum passa essa vibe de “quem eu sou, o que eu seria, porque eu sou”, trazendo questionamentos até mesmo a nós que somos fãs, sobre quanto do que realmente são os artistas de quem somos fãs passam para o seu público. Além disso, mostram um pouco de como os fãs podem ser tanto a fonte de poder quanto de queda deles. Também apresenta um rap bem forte que nos faz sentir tão poderosos quanto ele.

Black Swan - Também fez parte da divulgação feita antes do álbum (e logo logo tem review do MV no site!!) e é uma música que, da primeira vez que ouvi, o que veio à minha mente foi “... que??? Nunca ouvi nada desse tipo”. Eu sou suspeita pra falar, mas acho que eles conseguiram explorar muito bem a capacidade de se renovar através dessa música. A melodia pode ser desconfortável e confortável ao mesmo tempo, e traz uma letra tão agonizante quanto a melodia, sobre o medo de não se sentir mais tão feliz fazendo aquilo que se ama. Também é uma das minhas favoritas e pode trazer um sentimento de relação àqueles que, assim como eu, são apaixonados por dança.

Filter - ESSA AQUI É MINHA FAVORITA!!!! É um solo do Jimin, que tem uma pegada latina muito gostosa, e uma letra que fala sobre ter diferentes filtros, ou faces, e pode ser interpretada de diversas maneiras. É muito dançante e a voz dele harmoniza com a melodia de uma forma que me aconchega e me faz querer dançar na mesma intensidade. O próprio Jimin, em entrevista ao spotify, disse que essa música era algo sobre as várias maneiras com as quais ele queria se mostrar para o mundo e uma forma de mostrar um novo lado dele. Alguns fãs criaram teorias em que acreditam que a música tem um significado muito mais forte e profundo que esse - e honestamente, eu também acho -, já que a letra fala tanto sobre se tornar “aquilo que você quer” e não algo exatamente pessoal. Será que ficamos doidos? De qualquer forma, eu estou completamente apaixonada por essa música!

My time - Essa música é um solo do Jungkook, e tem uma melodia calma e suave. Pode facilmente entrar nas playlists de músicas tristes e nas de superação haha! Tem uma letra voltada para uma experiência completamente pessoal sobre sua jornada como artista e usa a analogia de diferença de horário (já que são famosos mundialmente e seu fuso horário é muito diferente de muitos de seus fãs) para dizer o quanto sentia como se estivesse em um outro tempo algumas vezes, em meio às suas inseguranças. A música é linda e foi feita pelo próprio Jungkook com ajuda do Namjoon! Que orgulho!

Louder than Bombs - A parceria de produção dessa aqui foi com o Lauv, um artista com quem já tinham feito outras parcerias e que também é uma das minhas favoritas (eu sei que eu já falei isso um monte de vezes mas eu tenho um ranking ok?!). A música pode ser interpretada de várias maneiras, e a maneira que eu enxerguei foi que, a carreira deles é como um tiro no escuro, em que eles se perdem as vezes e gritam para se expressar da forma que precisam, e para alcançar as pessoas que realmente se importam com eles. Eu posso ter viajado? Sim. Mas essa é a mágica da música: ela pode ser tudo! A melodia de louder than bombs é contagiante e gostosinha e eu tenho certeza que tem diversos significados diferentes para cada ARMY que a escutou.

ON - Esse sem dúvidas é um álbum que trabalha com a nostalgia de seus fãs. Essa faixa foi intitulada dessa maneira por conta da faixa N.O, lançada no início da carreira deles, e essa é uma pequena referência ao passado que os levou até onde estão agora. A música, como várias faixas do álbum, falam sobre o caminho feliz e ao mesmo tempo incerto e tortuoso que segue, e que mesmo com medo e inseguranças, eles irão enfrentar tudo o que virá pela frente. Essa é a música título do álbum e, como todo o conceito deste álbum, fala sobre tudo o que os fez chegar aos seus sete anos de carreira juntos. A melodia é contagiante, o refrão é chiclete e o Kinetic MV que foi lançado dessa música é simplesmente PERFEITO (e logo tem review dele também!!)

UGH! - Ok, nesse ponto me ouvir dizer que essa é uma das minhas favoritas já está saturado, mas a realidade é que ela é haha! Essa música é uma espécie de Cypher, ou seja, ela foi feita em homenagem aos haters! Isso mesmo, aos haters. É como se ela dissesse “Olha aqui, para de perder seu tempo falando mal da gente, estamos acostumados e sabemos que somos os melhores”. Particularmente, eu AMO esse tipo de música porque é uma espécie de resposta “positiva” a toda a negatividade que recebem diariamente. Feita pela rap line, a melodia é forte e meio que me remeteu a um dance break. Será que teremos coreografia desse HINO?? Eu amei!!!

00:00 (Zero O’Clock) - Essa música é da vocal line e é a música mais fofinha do álbum. A letra fala sobre insegurança e esperança. Como se assim que o dia virasse tudo pudesse mudar e eles pudessem encontrar mais felicidade. Tem como ser mais gracinha que isso? Eu só consigo sentir muito amor. Conseguimos enxergar toda a trajetória de altos e baixos em cada faixa, e essa é muito significativa também.

Inner Child - Trata-se de um solo do Taehyung, e é daquele tipo de música de aquecer o coração também. Tipo música de fim de show haha! A vibe dela me lembrou bastante Mikrokosmos. Essa foi uma das músicas que mais me fez chorar, porque ela fala dos pequenos passos no início da carreira dele e o monte de esperança que ele tinha de que se tornariam o melhor que pudessem. Fala sobre acreditar em si mesmo e valorizar as pequenas coisas. A melhor parte é que ele escreveu essa música para o seu eu do passado. Como uma espécie de carta de agradecimento a tudo o que ele mesmo passou e por onde chegou. Ah, estou chorando de novo…

Friends - Se Inner child me fez chorar, essa aqui acabou comigo. Friends é interpretada por Jimin e Taehyung e é uma música que fala sobre a amizade deles ao longo desses anos. A melodia dela é super fofa e traz frases LINDAS de amizade e amor. - HEY YOU ARE MY SOULMATE. Em uma parte específica da música eles pedem para, quando “tudo acabar” (o que eu interpretei como a fama e o glamour e tudo mais), eles não se abandonarem. FOFOS DEMAIS!!

Moon - Esse aqui é o solo do Jin e é mais uma das milhares de músicas lindas que compuseram esse álbum. A melodia é suave e a letra é sobre seu amor pelo ARMY. Acho que depois disso não tem muito o que falar né? A música é a coisinha mais linda desse mundo.

Respect - Should I go or Should I stay? Interpretada por Namjoone Suga, a música é pura rap e hip hop, e fala (obviamente) sobre respeito, e as diversas formas de se entender e se interpretar tanto a palavra quanto a ação de se respeitar. Será que todas as pessoas que dizem respeitar as outras, estão sendo realmente respeitosas ou apenas hipócritas? Eu particularmente acho que essa é mais uma música para os haters entenderem sua posição na vida de outras pessoas. Apesar de saberem o quanto são amados, palavras ainda machucam, certo? Essa música é tipo uma lição de vida haha!

We are bulletproof: The eternal - Ok. Essa é uma parte crucial do álbum. A mais linda, a mais direcionada, e (quase) a mais nostálgica. Uma das primeiras músicas interpretadas pelo BTS se chamava “We are bulletproof” e ela faz parte das músicas que não pertencem a nenhum álbum lançado deles, e é bem antiga. Logo assim que debutaram, em seu álbum de estreia, temos “We are bulletproof: pt. II”. “Bulletproof” significa “À prova de balas”, e esse é, basicamente, o conceito criado para o grupo por inteiro, já que BTS é uma abreviação de Bangtan Sonyeondan, ou Garotos à prova de balas. Essas músicas já traziam um grande significado para o fandom e era interpretada por eles sempre que era trabalhada a nostalgia em seus shows (como no Magic shop concert). Essa música, na minha opinião, é o coração do álbum, pois fala dos altos e baixos, dos caminhos de luz e de sombra que tiveram de percorrer, e que depois de sete anos, sendo apenas sete, “agora temos vocês”. Uma música de amor tanto à carreira quanto ao seu fandom e extremamente significativa para ambos. Definitivamente pra chorar!

Outro: EGO - Solo do J-Hope, essa música também foi lançada com MV antes do álbum completo (e também terá review dela!!) e se We are bulletproof: The eternal traz um sentimento de nostalgia, essa aqui é A PRÓPRIA nostalgia. Ela começa com uma pequena intro que foi lançada no debut do grupo e é uma música com uma letra muito forte sobre não desistir e encontrar seu caminho - como muitas desse álbum - porém a melodia é MUITO divertida e alguns fãs brasileiros chegaram a dizer que é perfeita para o carnaval!!

ON (feat. Sia) - Confesso que eu tinha grandes expectativas pra essa música, mas ela me decepcionou um pouco. Esperava mais formas de harmonização dos vocais do BTS com os da Sia, mas ela canta em pouquíssimas partes. Mesmo assim não deixou de ser incrível.

Alguns fãs interpretaram o álbum como uma grande crítica social - o que não deixou de ser, e conseguiram captar mensagens ainda mais profundas das letras e melodias de cada música. E vocês, o que acharam do álbum?

Meu ranking foi:

#1 Filter
#2 UGH!
#3 Louder than bombs
#4 ON!
#5 Black Swan
#6 Interlude: Shadow
#7 Dionysus
#8 Intro: Persona
#9 Respect
#10 Friends
#11 We are bulletproof: The eternal
#12 Outro: EGO
#13 Make it right
#14 Moon
#15 My time
#16 00:00 (Zero O'clock)
#17 Inner child
#18 Jamais Vu
#19 Boy with luv
#20 ON (feat. Sia)



Clarissa Bernardo

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes