[Crítica]: Esquadrão 6

Esquadrão 6 





"Esquadrão 6" é um filme policial americano da Netflix dirigido pelo conhecido Michael Bay e protagonizado pelo cotado Ryan Reynolds. Foi criada muita expectativa sobre o filme, já que a Netflix não economizou na propaganda e deixou o público interessado no trabalho, mas a obra não foge muito do padrão já criado nos filmes de Michael Bay como “Transformers” e “Uma noite de crime”; muita explosão e correria. Ryan Reynolds também não saiu muito de seu padrão de humor, aquele clássico sarcasmo bem apresentado que até consegue arrancar algumas risadas.

O filme conta a história de uma equipe de justiceiros anônimos que decide eliminar o mal do mundo colocando a mão na massa, e o ato que é apresentado mostra os 6 indo atrás de um brutal ditador na Ásia. A trama tem classificação indicativa de 18 anos, e nada mais justo, visto a grande quantidade de violência explícita. Pra quem gosta de muita ação, pode esperar isso do início ao fim (é de perder o fôlego já nos primeiros minutos) e com uma boa dosagem de romance e humor, adocicado pela arte da dublagem brasileira, encontramos muitas explosões, muito sangue, muita luta e o clássico efeito de câmera lenta.

Em princípio, o filme parece ser um pouco corrido, com vários plots ao mesmo tempo mas tudo interligado, ou seja, não é do tipo de filme que deixa as coisas mal explicadas, apenas exige bastante atenção. Algo que pôde se destacar foi a trilha sonora, trazendo mais emoção e empolgação às cenas, prendendo, assim, a atenção do público.

Como clichê, o filme mostra a importância do trabalho em equipe e contém algumas críticas, em geral políticas. Por não ser nenhuma novidade, houve poucas avaliações positivas. Porém, há quem goste dos clássicos trabalhos de ação americana e desse humor mais bruto, carregado de palavrões. É uma ótima opção. Esperamos que gostem!

Por Bia Oliveira

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes