[Eventos]: Atrações do Clube Manouche para toda o final de novembro.

cid:image001.jpg@01D59A4E.AAD46330

Atrações do Clube Manouche para toda o final de novembro.

Confere aí embaixo: Angela Ro Ro e seu piano, Myra Ruiz no show solo “Depois que a Cortina Fecha”, Projeto Cria com Leonardo Lichote convidando Marcos Valle, João Suplicy em “De Elvis a Jobim”e o Baile do Lincoln Olivetti 


23/11- Sábado, 21h - Angela Ro Ro com o show “Pilotando o Piano”

Angela Ro Ro RED - foto Divulgação
Angela Ro Ro volta ao palco do Clube Manouche com o show “Pilotando o Piano” em que faz um passeio pelas suas canções mais inspiradas desde o início da carreira, acompanhada só do piano, seu instrumento e companhia de uma vida inteira, e das tiradas impagáveis que lhes são peculiares.

Uma experiência única de assisti-la a sós com um piano de calda, destilando seus sucessos de assinatura singular e sensível como "Amor meu Grande Amor”, “Tola foi Você”, “A Mim e a Mais Ninguém”, “Não há Cabeça”, “Só nos Resta Viver” e “Balada da Arrasada” e interpretações de repertório alheio como de Janis Joplin, Rolling Stones e Gershwin, entre outros.

Serviço
Show: Angela Ro Ro no show “Pilotando o Piano”

Local: Clube Manouche/Casa Camolese (Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico, Tel: 3514-8200)

Data e horário: 23 de novembro, sábado, 21h

Ingressos: R$ 90,00 (inteira), R$ 45,00 (ingresso solidário: com 1 kg de alimento não perecível) e R$ 45,00 (meia) https://manouche.byinti.com

Classificação: 18 anos

Estacionamento no local (tarifado)

24/11 – Domingo, 19h - Myra Ruiz no show solo “Depois que a Cortina Fecha”

Myra RED 2 2019-09-12 at 18.58.24
A atriz e cantora Myra Ruiz, uma das maiores estrelas do teatro musical brasileiro, volta ao Clube Manouche com show solo “Depois que a Cortina Fecha”, apresentado na casa no mês passado, com ingressos esgotados instantaneamente.

A atriz de 26 anos, que ficou famosa ao viver a icônica Elphaba, a Bruxa Má do Oeste, no musical “Wicked”, e nos últimos anos esteve sempre em palcos de grandes plateias, mostra seu lado B num show intimista, com piano e voz, cantando hits que marcaram sua formação como artista, com direção musical de Tony Lucchesi.

A atriz também está em cartaz em outro palco carioca com o musical “Company”, interpretando Marta, papel que rendeu indicações a prêmios Tony para outras atrizes quando estreou nos EUA. “Company” é considerado um dos maiores clássicos dos musicais, do grande Stephen Sondheim.

“Depois de tantas grandes produções nos últimos anos, eu queria reproduzir o clima próximo da plateia dos cabarés off-Broadway que eu frequentava quando morei em Nova York. Fazer um show minimalista cantando as músicas que me influenciaram num lugar charmoso e aconchegante sempre foi um sonho”, diz Myra.

O repertório é eclético, com canções que vão de “Your Song”, de Elton John, a “Always Remember Us This Way”, de Lady Gaga, passando por “Preciso Aprender a Ser Só”, Elis Regina, e “Bridge Over Troubled Water”, de Simon & Garfunkel. “Claro que vão ter surpresas também de canções de musicais, onde comecei a cantar”, diz a atriz.

Serviço
Show: Myra Ruiz no show solo “Depois que a Cortina Fecha”

Local: Clube Manouche/Casa Camolese (Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico, Tel: 3514-8200)

Data e horário: 24 de novembro, domingo, 19h

Ingressos: R$ 100,00 (inteira), e R$ 50,00 (Ingresso solidário: com 1 kg de alimento não perecível) e R$ 50,00 (meia) https://manouche.byinti.com

Classificação: 18 anos

Estacionamento no local (tarifado)

26/11 – Terça, 21h – Leonardo Lichote convida Marcos Valle - Projeto Cria

download
"Cria" é o nome do encontro mensal no Clube Manouche em que o jornalista de música Leonardo Lichote conversa com um artista sobre o ato de criar.

A conversa é costurada, como não podia deixar de ser, pelas crias do artista - suas canções. Ao violão (ou ao piano ou com pandeiro ou no computador etc), ele mostra algumas das suas composições para ilustrar suas falas, provocá-las, dar novo sentido a elas. Em alguns casos, vai trazer músicas de outros que marcaram, como influência, sua própria criação.

Depois das participações de Adriana Calcanhotto, Jards Macalé, Moraes Moreira, João Bosco, Martinho da Vila, Alceu Valença, Tom Zé, Gilberto Gil, Marcelo D2 e Moacyr Luz, o convidado de novembro é Marcos Valle.

Um dos nomes mais marcantes da música brasileira, autor de clássicos da bossa nova e mundialmente cultuado, o cantor e compositor carioca Marcos Valle é um dos músicos mais expressivos e versáteis de sua geração, representante o máximo do groove, homem de cabeleira loira salgada e piano apimentado. Artífice da chamada segunda geração de bossanovistas, escoltado pelo irmão e inseparável letrista, Paulo Sergio Valle, debutou em registro fonográfico em 1963, com o álbum Samba Demais, e conserva a brisa e a leveza de suas canções adicionando uma mistura entre pop, samba, baião, disco music e jazz-funk.

O papo vai rolar entre seus sucessos como “Samba de Verão” e “Eu Preciso Aprender a ser só” e "Viola Enluarada", com muitas histórias, até seu primeiro disco de inéditas em nove anos, “Sempre”, que lançou este ano nos streamings, em CD e em vinil pelo selo britânico Far Out Recordings.

Serviço

Evento: Projeto Cria: Leonardo Lichote convida Marcos Vale

Local: Clube Manouche/Casa Camolese (Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico, Tel: 3514-8200)

Data e horário: 26 de novembro, terça, 21h

Ingressos: R$ 50,00 (inteira), R$ 30,00 (ingresso solidário: com 1 kg de alimento não perecível) e R$ 25,00 (meia) https://manouche.byinti.com

Classificação: 18 anos

Estacionamento no local (tarifado)


28/11 – Quinta, 21h - João Suplicy com o show “De Elvis a Jobim”

João Suplicy RED
Conhecido por seu lado punk, o cantor João Suplicy mostra que tem um repertório musical muito mais variado por trás das guitarras. Neste show apresenta “De Elvis a Jobim”, onde explora com voz, violão e piano novas interpretações para clássicos da música global.

Sempre com uma interpretação muito própria, João Suplicy mostra versões para clássicos de Baden Powell com Vinícius de Moraes, Beatles, Sinatra e, é claro, de Elvis Presley e Tom Jobim. Uma combinação um tanto quanto improvável à primeira vista é apresentada com muita naturalidade pelo artista que é especialista em romper fronteiras entre gêneros e ritmos

A influência de Elvis Presley na carreira de João Suplicy já é antiga. Em 2006, o músico lançou o álbum “Love Me Tender”, com versões em bossa nova de faixas como “Heartbreak Hotel”, “Fever”, “Suspicious Mind”, “Blue Suede Shoes” e mais.

Algumas canções de sua própria autoria completam o repertório, que apresenta com seu violão singular, junto com Danilo Moura, na bateria, e Vic Hime, no baixo acústico e backing vocal.

Serviço
Show: João Suplicy em “De Elvis a Jobim”

Local: Clube Manouche/Casa Camolese (Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico, Tel: 3514-8200)

Data e horário: 28 de quinta, terça, 21h

Ingressos: R$ 60,00 (inteira), R$ 45,00 (ingresso solidário: com 1 kg de alimento não perecível) e R$ 30,00 (meia) https://manouche.byinti.com

Classificação: 18 anos

Estacionamento no local (tarifado)


29/11 – Sexta, 22h - Baile do Lincoln Olivetti

Lincoln 5 RED
O Baile do Lincoln Olivetti resgata os bailes do subúrbio carioca da década de 70, da música funk americana, da soul music, do pop e do brazilian boogie, e oferece ao público da nova geração a possibilidade de ouvir os grandes hits do festejado disco “Robson Jorge e Lincoln Olivetti” (1982), “Babilônia Rock” (1983) – álbuns que mostraram como fazer black music à moda brasileira, tendo ficado para a posteridade como mais um ensinamento do mestre dos estúdios e dos teclados Lincoln Olivetti – e, ainda além, com um repertório internacional escolhido a dedo pelo próprio maestro, produtor, compositor e arranjador, que morreu em 2015.

Este encontro enaltece a cultura e traz aos palcos este modelo de show que já emocionou centenas de pessoas com um antológico repertório e um conjunto de músicos renomados de velha guarda e da vanguarda.

A banda é a mesma que já tocava com Olivetti na década de 70 e também nos últimos anos e conta com grandes nomes atuais da música brasileira como Alexandre Kassin, contrabaixo, Davi Moraes (filho de Moraes Moreira), guitarra, Donatinho (filho de João Donato), teclado, e com os melhores músicos da cena nacional, como Cesinha, bateria, Jorjão Barreto, teclado, Altair Martins, trompete, Diogo Gomes, trompete, José Carlos Bigorna, sax baixo, Lelei Gracindo, sax alto, e Marlon Sette, trombone.

Serviço

Show: Baile do Lincoln Olivetti

Local: Clube Manouche/Casa Camolese (Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico, Tel: 3514-8200)

Data e horário: 29 de novembro, sexta, 22h

Ingressos: R$ 80,00 (inteira), R$ 60,00 (ingresso solidário: com 1 kg de alimento não perecível) e R$ 40,00 (meia) https://manouche.byinti.com

Classificação: 18 anos

Estacionamento no local (tarifado)

ACESSE TAMBÉM NOSSAS REDES SOCIAIS




My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes