[Crítica]: American Horror Story: 1984 – Season 9 Episode 3 & 4


Crítica: American Horror Story: 1984 – Season 9 Episode 3 & 4




AHS 1984: Assassinos, mortes e plot twists, essas palavras são o necessário para definir essa temporada.

Após 4 episódios, o que é basicamente metade da temporada, podemos dizer que essa é uma das temporadas mais bem construídas e consistentes da história de American Horror Story, tanto pela história em si, como pela recepção dos fãs e da crítica.

No terceiro e quarto episódio vemos os personagens se separando e se reencontrando a todo instante e isso na esperança de conseguir fugir dos assassinos que os perseguem, Ramirez e Mr. Jingles, porém como sempre os episódios são lotados de reviravoltas, então percebemos que três das vitimas, não são na realidade vitimas, Rita que era a astuta enfermeira se revela como a psicanalista Donna que na realidade libertou Mr. Jingles, assim como Montana que fez Ramirez ir atrás de Brooke por vingança. E a maior surpresa é que Mr. Jingles nunca assassinou ninguém e sim Margareth, a verdadeira serial killer.

Trabalhar com tantas reviravoltas é um verdadeiro desafio, pois é algo que está presente na narrativa e acaba sendo de extrema importância para o desenvolvimento de tudo na série, porém é um trabalho que depende de todos, a direção, as atuações, tudo tem que estar conectado e felizmente em AHS 1984 isso está dando certo.

O roteiro de Ryan e Brad ainda tem os problemas de sempre, mas está sendo um dos melhores que eu já vi em uma produção deles, o trabalho das diretoras também estão ótimos, Mary Wigmore (Slashdance) e Jennifer Lynch (True Killers) fazem um trabalho bastante vibrante e coordenado, é algo que está seguindo um ritmo que é interessante, pois não é muito rápido e nem muito devagar, está no ritmo necessário para a narrativa da temporada, nos prendendo e surpreendendo.

Tecnicamente American Horror Story sempre foi muito boa, então essa temporada não seria diferente, a maquiagem, os figurinos tudo traz a vibe dos anos 80 e dos filmes slashers da época, o que brinca bastante com toda a construção da série.

Os twists dos personagens são bem trabalhados e felizmente eles ficaram nas mãos de pessoas que conseguem trabalhar com eles, Angelica Ross, Billie Lourd e Leslie Grossman estão roubando a cena com suas atuações, mas nada que consiga apagar a presença de Emma Roberts. Emma sempre foi criticada por fazer o mesmo personagem e com esse ela mostra que consegue fazer algo fora da caixinha de “bitch”. Mas nas atuações em geral acho que só o elenco feminino está conseguindo se salvar.

American Horror Story está no momento em um de seus melhores momentos, 1984 com certeza irá para o hall de melhores temporadas junto com Asylum, Coven e Roanoke.


Escrito por Daniel Gomes.

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes