[Teatro]: Solano, Vento Forte Africano


O espetáculo Teatral teve a sua primeira apresentação em maio deste ano , em Embu das Artes, em São Paulo. Atualmente a família de Solano Trindade vive em Embu das Artes, onde tem um teatro popular com o nome do poeta, além de uma escola e uma rua que o homenageiam.Francisco Solano Trindade nasceu em Pernambuco , em 1908, e faleceu no Rio de Janeiro em 1974.
Solano Trindade um artista negro importante para cultura brasileira, tem em nesse espetáculo de forma documental a sua história vivida nos palcos e divide com a plateia um pouco do homem que ele foi como ser humano e artista. A montagem teatral que homenageia o Solano Trindade, que faria 111 anos em 2019, caso tivesse vivo.


O Espetáculo que desembarcou no dia 07 de setembro no Teatro Dulcina, na sua dramaturgia traz poemas de Solano Trindade e a narrativa construída pelas Elisa Lucinda e Geovana Pires onde entrelaça pela vida do Solano Trindade através de musica, canto, dança e sapateado...e ouvir declamado os poemas do Solano durante o espetáculo. Solano era um artista com uma potencialidade artística múltipla voltada para a realidade do negro.
O elenco tem uma entrega para seus personagens, isso faz com que prenda a plateia, e vale destacar que o elenco utiliza mais do espaço cênico para apresenta o espetáculo e contagia a participação da plateia durante o decorrer da encenação. O cenário e os objetos cênicos bem construídos e que se comunica com a dramaturgia apresentada, fazendo com que a simplicidade se comunique com o homenageado que não era preso a matéria e sim aos sentimentos cultivados.

Durante a narrativa do espetáculo, evidencia episódios marcantes do artista, como seu convívio com a atriz Ruth de Souza - amiga que o abrigava após as manifestações politicas pelos direitos dos trabalhadores, se destaca também quando é cantada a musica composta por Solano Trindade - Mulher Barriguda - compreendida como protesto a ditadura militar, foi gravada pelo grupo Secos e Molhados em 1973. A sua militância politica também é destacada, é de forma pacifica pelos direitos do seu povo negro, trabalhador e periférico, sendo ele considerado com Gandhi da literatura popular brasileira, mesmo em sua arte pontos críticos sobre a inserção da população negra no mercado de trabalho.
Para encarnar o Solano trindade o ator escolhido foi o ator Val Perré, Solano Trindade que foi fundador do Teatro Popular Brasileiro - Companhia formada basicamente por domesticas, estudantes, comerciários e operários na década de 50. Val Perré consegue nos fazer enxergar Solano Trindade durante todas as fases encenada no espetáculo, o ator tem uma entrega muito forte ao papel e isso nos cria um laço afetivo com o personagem.

A importância do Solano para a cultura brasileira é demostrada pelo espetáculo pelo quanto ele lutou pela arte e viveu dela e foi respeitado por artistas contemporâneos como Calos Drumond de Andrade. Solano como um artista múltiplo foi poeta, cineasta, ator, dramaturgo, pintor e militante politico, tendo sua importância pela luta dos direitos dos negros no Brasil. Solano criou durante sua vida muitos grupo artísticos, políticos pelos estados que ele peregrinou e levou seus pensamentos a frente do seu tempo.
Em 1975, a filha de Solano Trindade, a Raquel Trindade criou o Teatro popular Solano trindade, que originou muitos poetas e vários grupos de teatro e dança. Ela morreu ano passado aos 81 anos.
O espetáculo mostra de forma poética e afetivo toda contribuição que Solano, um homem negro que viveu de sua arte e é importante para cultura negra brasileira como artista, se tornando uma referência para os novos artistas que estão surgindo. A história dele não pode ser silenciada, e o espetáculo faz o papel de espalhar a luta e o amor de Trindade as causas artísticas e a s causas negras numa época em que o artista era visto como vagabundo, como uma pessoa determinada ele continuou a sua luta em levar a sua arte e contribuir para o crescimento de oportunidades para novos artistas até o dia atual após sua morte.A história de Solano Trindade ainda é atual e mostra ainda o quanto ainda temos que prosseguir na luta para os direitos da população negra no Brasil e ainda invisibilidade dos artistas negros que são vistos como artistas marginais. Não se pode negar o quanto importante o Solano trindade é para a cultura popular brasileira e uma referência negra.


Serviço:
Espetáculo Solano – Vento forte africano
Dias e horários: de 7 a 29 de setembro, sexta-feira a domingo, às 19h
Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)
Gênero: documental
Classificação indicativa: 12 anos
Duração: 1h e 30 minutos

Ficha técnica:
Texto: Solano Trindade
Dramaturgia: Elisa Lucinda e Geovana Pires
Direção: Geovana Pires
Elenco: Val Perré, Valéria Monã, Elisa Lucinda, Nando Rodrigues, Damiana Inês, Regina Café e Rozan
Stand-by: Jorge Luiz

Direção musical: Beá
Preparação vocal Canto Preto: Ayiê Ti Eso e Vinicius Pereira
Consultoria musical: Liberto Solano Trindade
Direção de movimentos: Valéria Monã
Figurino: Joana Seibel
Cenário: Iléa Ferraz
Iluminação: Djalma Amaral
Assistente de direção: Nando Rodrigues
Cozinheira do Afeto: Janice Pires
Fotografia: Andrea Rocha
Programador visual: David Lima
Adereços: Iléa Ferraz, Joana Seibel e Vitor Martinez
Costureiras: Ângela Fagundes e Juçara Carvalho
Contrarregra: Eduardo Brandão

Mídias sociais: Ivam Cruz
Cenotécnicos: André Salles e Fátima de Souza
Operador de luz: Alessandro Persan
Técnico de montagem de luz: Chapinha
Assistentes de produção: Mariana Pantaleão e Pamela Alves
Assessoria de imprensa: Gisele Machado e Bruno Morais
Direção de produção: Damiana Inês
Escritório Casa Poema: Bruna Pires e Taís Espírito Santo
Coordenação geral: Geovana Pires
Realização: Casa Poema

Local: Teatro Dulcina
Rua Alcindo Guanabara, 17
Centro, Rio de Janeiro (RJ)
Telefone: (21) 2240-4879
(Próximo ao VLT e ao Metrô Cinelândia)


Tatá Boeta

Graduando em Produção Cultura, roteirista,
ator, diretor de teatro/performance, compositor, poeta e bailarino.
Instagram: @tataboeta

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes