[Crítica]: Euphoria - Episode 3 & 4

Crítica: Euphoria - Episode 3 & 4


Euphoria: Episódios 3 e 4 trazem novas faces de alguns personagens e nos presenteia com momentos tensos.

Euphoria chega na metade de sua primeira temporada conquistando uma legião de fãs e apreciadores da série, e eu me declaro um deles. O episódio 3 nos traz a história de Kat, interpretada por Barbie Ferreira e o episódio 4 nos conta a história da queridinha e amada pelos fãs, Jules, interpretada por Hunter Scraff.

No episódio 3, temos como tema central a aceitação de Kat com seu corpo. O episódio se desenvolve muito bem e em minha opinião é um dos melhores, o arco da Kat é muito bem construído, assim como é o de todos os outros personagens, mas ela é aquela personagem que você realmente torce pra que tudo dê certo e mesmo sendo coadjuvante, ela rouba a cena e acredito que por isso que ela teve uma episódio próprio, no episódio a gente tem também outras partes da história sendo desenvolvidas como a de Jules e Nate que tem seu destaque e desfecho no episódio 4. Kat mostra que não precisa ser indefesa e pode sim ser uma “Bad Bitch” e isso é perfeito.

No tão aguardando episódio 4 vemos um festival acontecer no parque, e também a triste história de Jules, Jules teve uma infância bem difícil e isso é mostrado no episódio 4 e é muito interessante essa quebra que vemos acontecer, pois temos a história dela na infância onde ela é “traída” pela mãe e vemos ela sendo enganada novamente no episódio, mas desta vez por Nate e a diferença nisso está na reação que muda de passiva para agressiva, onde temos Jules sendo icônica e esmagando o Nate.

Dentre os 4 episódios o melhor até agora foi o 4, ótimas performances, principalmente de Hunter e Alexa, a fotografia impecável, trilha sonora perfeita, roteiro e direção no ponto certo. Realmente, Euphoria surpreende cada vez mais e o mais importante é a representatividade que a série, pois apesar de estar lotada dela isso não é o centro dos assuntos, você vê isso sendo tratado com naturalidade e isso é importante, pois assim que sabe veremos outras séries tratando também com essa naturalidade.

Euphoria quebra o estereotipo de série adolescente que romantiza coisas problemáticas e nos tem trazido algo fresco e original que realmente dá vontade de assistir.

Escrito por Daniel Gomes.

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes