[Séries] Shippados – Temporada 1




Shippados: Tatá Werneck e Eduardo Sterblitch são o casal que eu não sabia que precisava.

Shippados é uma das novas séries originais do streaming do canal Globo, o Globoplay. A série aborda o cotidiano de Rita (Tatá Werneck) e Enzo (Eduardo Sterblitch), ambos se conhecem durante uma noite, onde os dois estavam em um encontro marcado através de um app de encontros, porém os dois são deixados sozinhos durante o encontro, sendo assim ambos decidem processar o aplicativo por propaganda enganosa, já que nenhum dos dois havia tido sucesso em seus encontros, até que essa aproximação deles desperta algo a mais.

Desde que foi lançada, eu me interessei pela premissa da série e preciso confessar que superou demais as minhas expectativas. Fernanda Young e Alexandre Machado fazem um ótimo trabalho na direção da série, é tudo muito bem pensado e não deixa a desejar e o roteiro é muito bem escrito, mesmo sendo uma produção brasileira de comédia ela não se escora nos clichês típicos que vemos sempre e vai mais fundo. Os arcos dos personagens são muito bem planejados e construídos, os diálogos funcionam muito bem na tela, é engraçado quando precisa ser engraçado, é sério quando precisa ser sério, tem um ótimo equilíbrio e atinge aquilo que se é esperado e até um pouco a mais.

A trilha sonora é deliciosa, temos Vanguart, O Terno, Rubel, Céu, Los Hermanos, todos numa vibe super incrível, combina total com a série, além de ter um timing perfeito para as músicas. A fotografia não é algo a se destacar, pois é bem comum, mas a edição e montagem da série é importante e nisso eu sinto que houve um certo exagero, talvez a edição tenha atrapalhado um pouco o desenvolvimento da história lá pelos episódios 7 ou 8, mas nada muito drástico.

E por último o ponto alto da série, as atuações de Tatá Werneck e Eduardo Sterblitch. Sempre gostei muito da Tatá, mas já é de conhecimento geral que nas novelas da Globo ela acaba recebendo sempre o mesmo personagem, porém na série ela está perfeita, tão perfeita que eu nunca imaginaria que um dia eu odiaria a Tatá Werneck, e eu peguei um asco da personagem durante os surtos dela nos episódios 8 e 9. Além de que ela e Eduardo têm uma química assustadora, você esquece que são apenas atores ali, você vai tendo os altos e baixos junto com os personagens e isso é muito legal de se experienciar.

O núcleo coadjuvante da série é muito interessante, pois eles chamam bastante atenção mesmo quando estão em segundo plano, com destaque para Luis Lobianco, Clarice Falcão e Júlia Rabello, todos muito engraçados e bastante carismáticos, na verdade quase todos os personagens são bem carismáticos e acho que isso vem bastante das atuações na série.

Shippados é uma série divertidíssima, ela te relaxa, te distraí, te faz rir, te faz chorar, você torce pelo casal, depois você que eles dois morram, aí você acha a Rita surtada, depois o Enzo é descontrolado. É uma montanha-russa de sensações. A série vale muito a pena, ela não é grande são 12 episódios de meia-hora, te garanto que se você assistir não irá se arrepender.

Escrito por Daniel Gomes.

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes