[Notícias] Infantojuvenil “Tagarelando” se apresenta no mês de julho no Teatro Municipal Maria Clara Machado, na Gávea




O Teatro Municipal Maria Clara Machado recebe, de 06 a 28 de julho, aos sábados e domingos sempre às 16h, o infantojuvenil “Tagarelando”, que em sua temporada de estreia, em 2017, conquistou duas categorias do prêmio CBTIJ de Teatro Infantil, sendo melhor atriz para Bárbara Abi-Rihan, que também foi contemplada pela preparação corporal ao lado de Fábio Lacerda.  Além disso, o espetáculo foi indicado aos prêmios Zilka Salaberry  de melhor direção e melhor atriz, e ao prêmio Botequim Cultural de melhor Atriz

Baseado em "As aventuras de Kadan e Farunk", de Berto Matys,  a montagem, do PORTÔ - Coletivo de Arte, narra a história dos saltimbancos nordestinos, Catirina e Severino, e suas peripécias como uma trupe andarilha de teatro. Nas andanças para mostrar seu trabalho artístico, a dupla invade o palco e vai improvisando em cena um espetáculo. Em paralelo, o público acompanha também o desenrolar de uma outra história que se passa em Argeron, uma cidade fictícia criada a partir da influência dos árabes sobre o nordeste brasileiro. Nesta trama, Suez, o Deus do Vento que faz a Curva, está prestes a destruir o povoado depois que a Amizade e a Felicidade foram embora dali.  O espetáculo  tem como base a artesania dos artistas de rua, dos contadores de histórias, dos cordelistas, dos repentistas e circenses, atrelada a uma encenação com forte apelo corporal que mescla teatro, dança e circo.

Acreditamos que por meio da educação e  da cultura somos capazes de desenvolver o senso crítico de uma criança, sem privá-la de ter acesso às informações de toda natureza. Como falar, por exemplo, com elas, sobre a crise no país? E sobre as guerras no mundo?  Colocá-las em bolhas de proteção seria prejudicial ao desenvolvimento de sua generosidade e de sua compaixão”, destaca Wanderson Rosceno, autor e diretor do espetáculo.

A cenografia conta com elementos versáteis onde o palco vazio vai sendo preenchido de acordo com a construção da trama. As malas carregadas pelos saltimbancos, além de conter tudo que a dupla de atores precisa, se transformam em coxias, muros da cidade e outros elementos cênicos. Já os personagens ganham vida por meio de chapéus que são arquiteturas animadas. 

A trilha musical evidencia o encontro sonoro entre o oriente médio e a cultura nordestina, passando pelo cordel, o repente e o aboio (modalidade musical trazida ao Brasil pelos mouros e posteriormente apropriada pelos vaqueiros daqui). A cultura árabe está presente também nos instrumentos musicais utilizados pelos atores, como o pandeiro, indiscutivelmente apoderado pela música nacional, e a darbuka. 

“Tagarelando” estreou  no Centro Cultural Justiça Federal em 2017, onde cumpriu temporada por dois meses. Depois, a montagem passou pelos palcos do Teatro Municipal Café-Pequeno, do Teatro Municipal Ziembinski e pelas unidades do SESC RIO. A a peça participou também do projeto Diversão em Cena, na cidade mineira de Juiz de Fora
.
SERVIÇO

TAGARELANDO
Temporada: 06 a 28 de julho de 2019
Local: Teatro Municipal Maria Clara Machado– 
Endereço: Avenida Padre Leonel Franca, 240, Gávea
Duração: 60 minutos
Ingresso: Inteira R$ 30 |R$ 15 (meia)
Capacidade: 120 lugares
Faixa etária: Livre

SINOPSE 

Baseado em "As aventuras de Kadan e Farunk", de Berto Matys,  a montagem narra  a história dos saltimbancos nordestinos, Catirina e Severino, e suas peripécias como uma trupe de teatro que, nas andanças para mostrar seu trabalho, invade o palco e improvisa em cena um espetáculo. Em paralelo, o público acompanha também a trama de Argeron, uma cidade fictícia criada a partir da influência dos árabes sob o nordeste brasileiro. Nela, Suez, o Deus do Vento que faz a Curva, está prestes a destruir o povoado pois a Amizade e a Felicidade foram embora dali.


FICHA TÉCNICA 

Texto e direção: Wanderson Rosceno 
Baseado em "As aventuras de Kadan e Farunk" de Berto Matys Elenco: Bárbara Abi-Rihan e Fábio Lacerda Direção Musical: Vinícius Mousinho, Raoni Costa e Fábio Lacerda Direção de Movimento: Wanderson Rosceno e Palu FelipeDireção acrobática: Bárbara Abi-Rihan, Fábio Lacerda e Palu Felipe Assistência de direção: Bárbara Abi-Rihan   Cenário, figurino e caracterização: Wanderson Rosceno Iluminação: Luan de Almeida Fotografia: Jonatham Santos e Robson Sanchez Produção: Dyogo Botelho
Realização: Coletivo PORTÔ 

Portô – Coletivo de Arte  
O PORTÔ - Coletivo de Arte -  nasceu em 2014 a partir do encontro de artistas com formação na Escola de Teatro Martins Penna, nos cursos de Artes Cênicas da UNIRIO e no Circo Crescer e Viver. O coletivo pesquisa no teatro, na dança e no circo, a expressividade, a poesia e o desafio do corpo. O trabalho tem como foco o desenvolvimento de uma disciplina teatral cujo principal elemento cênico é o corpo em movimento. No repertório, duas criações:  “Martírio dos Ratos" (2014) e “Tagarelando” (2017).

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes