[Crítica]: Euphoria – Season 1 Episode 2


Crítica: Euphoria – Season 1 Episode 2





Euphoria: Cada vez eu passo mais raiva com essa série, pois ela é ótima.

A nova aposta da HBO, Euphoria teve um polêmico e promissor começo e no segundo episódio isso não é muito diferente.

O episódio é focado em Nate, onde vemos ser abordada sua infância, puberdade e sua vida nos momentos atuais, e aqui vemos que temos um personagem para odiar, Nate é o típico garoto hétero cheio de frescuras, o popularzinho do colégio que tem problemas de raiva, e por mais clichê que o personagem possa parecer ele é muito bem construído, ele não é jogado na história para ser um babacão e só isso, tem muitas nuances do personagem que o tornam um babacão.

O roteiro desse episódio é muito bem construído, melhor que o primeiro, acredito que pelo primeiro ser mais um episódio introdutório tenha tido essa diferença, apesar de cada episódio ser focado em um personagem você não passa 100% do episódio vendo apenas a história dele, os ganchos vão sendo construídos para que os outros arcos também se desenvolvam em meio a isso, como por exemplo vemos a Rue enfrentando seus problemas com o vício o que já foi abordado no primeiro episódio, mas que não é esquecido, apenas fica em segundo plano, e por isso eu acho o roteiro tão incrível.

A direção de Sam Levinson também foi muito importante pro episódio, enquanto o primeiro episódio tem uma vibe bem suave, porém com uma certa cautela, o segundo já cria uma atmosfera que incomoda muito mais e te deixa desconfortável, inclusive é nesse episódio que tem a tão polêmica cena com mais de 20 pênis, que quando você assiste percebe como era sensacionalista as notícias criticando a série, já que a cena é importante para a construção do personagem em questão.

A trilha sonora é mais densa e contida e apesar de isso ter feito falta pra mim, acho que foi interessante por causa do personagem, basicamente pelo o que eu percebi cada episódio vai ter uma atmosfera que condiz com a personalidade do protagonista dele, se for isso mesmo, vai ser incrível.

Agora o mais surpreendente pra mim foi a atuação de Jacob Elordi, a única coisa que eu havia visto dele até então tinha sido “ A Barraca do Beijo”, que eu odiei, e acho que ele é a prova de que com um bom roteiro, qualquer um pode atuar bem, a atuação dele era monstruosa, ele trazia uma frieza que era até difícil de acreditar que ele estava apenas atuando, a cena dele basicamente matando um garoto com as próprias mãos, nossa foi incrível, nem acredito que ele e Joey King que protagonizaram o romancezinho clichê da Netflix, agora entregariam performances tão grandiosas, ele em Euphoria e ela em The Act.

Euphoria me conquista cada vez mais, ela traz um frescor diferente, além de me fazer passar muita raiva, com esses personagens irritantes, inconsequentes e idiotas que são basicamente o retrato mais real e cru da maioria dos adolescentes de hoje, inclusive eu mesmo. A série foi extremamente julgada antes mesmo de ir ao ar e agora está calando a boca de muitos e realmente muito promissora, um futuro tesouro da HBO.

Escrito por Daniel Gomes.

My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes