Por Trás do Som: Liniker - A Genialidade da Black Music Brasileira [Especial Mês do Orgulho LGBTTIA+]

Hey, Desconexão Leitura! Eu sou João Victor e hoje no Por Trás do Som vamos falar de uma talentosíssima artista, que começou do Zero e já chegou até aqui, que faz a sua arte ser engolida Goela Abaixo, ela: Liniker! Boa Leitura a todxs!




Liniker de Barros Ferreira Campos, nasceu em 3 de julho de 1995 em Araraquara - interior de São Paulo - saiu de sua cidade sozinha para estudar na escola de teatro em Santo André onde descobriu seu talento para a música em uma peça.

Em 2015 ela conhece os Caramelows e forma a banda Liniker e os Caramelows, onde, no mesmo ano lançam o EP: 'Cru', em questão de dias o vídeo da música 'Zero' ganhou milhões de visualizações e até hoje é uma canção muito requisitada da banda. Perguntada no programa "Espelho" sobre o sucesso estrondoso da faixa, Liniker responde:

"Quando eu escrevi Zero eu senti uma coisa diferente [...] eu fiz duas cópias e uma eu levei, a outra eu deixei para uma menina que estava sentada na praça e disse: "vai que isso toca nela de algum jeito", e tocou em várias pessoas."



Já em 2016 eles lançam seu primeiro álbum entitulado 'Remonta' com 13 maravilhosas músicas contando a história de ter se quebrado no amor e agora ser necessário remontar-se.

A cantora é um grande símbolo de representatividade para muita gente, é uma das transexuais negras que mais chegou longe com o poder da sua voz e seu talento, e mesmo assim continua resistindo e dando força para a resistência LGBTTIA+ negra no nosso país.

Quando eu vejo que as pessoas me veem como esse símbolo de representatividade e dizem coisas como: "Liniker há duas semanas atrás eu tava pensando em me matar e foi ouvindo seu som que eu pensei em não fazer porque a Liniker está aí cantando na mídia sendo uma pessoa trans, uma pessoa preta."



Ela se destaca enquanto artista no R&B e Soul brasileiro, com seu timbre muito parecido com o de Tim Maia, seu jeito de cantar característico, seu talento natural e melhorado com o tempo e suas fluidas composições que desmantelam qualquer um.

Me perguntam em entrevistas: "Mas você não vai colocar política nas tuas letras?"
Eu respondo: " gente eu tô falando de afeto, quer coisa mais política que isso?"
 Disse Liniker ao programa 'Transando com
Laerte'


Em 2019 finalmente chega seu tão esperado segundo álbum chamado Goela Abaixo - que tem crítica aqui também - que conta com músicas maravilhosas, outras narrativas e fala sobre o amor de uma forma tão única, que vale a pena conferir.

Aliás, recentemente saiu o clipe de uma música desse CD chamada "Intimidade" e conta com a ilustre aparição de Linn da Quebrada. Está maravilhoso, confiram também.



Escolhi Liniker para fechar este mês da representatividade LGBTTIA+ por ela ser uma desconstrução ambulante, as pessoas olham para ela e se questionam e a partir disto se desconstroem, é além de fazer. É ser.

"Poder ver que eu construo nas pessoas e que junto com elas eu também me construo, é o maior acontecimento de tudo que pode ter acontecido."




Texto: João Victor Carneiro
Compositor, escritor e técnico de negócios
Instagram: @joaoo.victtor13

ACESSE TAMBÉM NOSSAS REDES SOCIAIS



My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes