[Crítica Musical] Track-by-Track: "Reconstrução" de Tiago Iorc

Hey, desconectados! Eu sou João Victor e esta é mais uma crítica faixa por faixa, desta vez do novo álbum visual de Tiago Iorc: "Reconstrução", boa leitura a todos e preparem os lencinhos!




1- Desconstrução

Na primeira faixa, Iorc traz a ideia de uma pessoa ter se moldado através das redes sociais para alcançar números e expectativas e que depois não se reconhece mais. A batida é latente, me inspira como começo do álbum, ao mesmo tempo é simples e seca. O clipe é perfeito, devo dizer que todos os clipes se conectam em uma história e este se mostrou perfeito por suas luzes, a ideia de se reconhecer com o espelho e a troca da pessoa pelo manequim no final. Me encanta a exímia conexão que essa faixa se propõe: a letra, melodia e clipe são um perfeito elo e acredito dizer muito sobre a ausência proposital do cantor nas redes sociais, uma vez não se encontrando mais enquanto a pessoa que costumava ser.

2- Hoje Lembrei do Teu Amor

A letra traz referência a um amor do passado e da chance de volta pois nem tudo está acabado por completo. A sonoridade começa a se tornar mais eletrônica, Amplificadores e banda crescem nessa canção, além da segunda voz que faz toda a diferença. O clipe é o primeiro em que Tiago aparece, em cenas quentes com a sua amada na história, além do vídeo ser ao contrário, ou seja, do final para o começo e  todos os clipes do CD tem um modo de gravação diferente. Gosto da fotografia do clipe e as referencias sexuais utilizadas, ficaram perfeitas. A música traz uma vibe vintage e o vídeo complementa isso, natural de um trabalho bem executado.

3- Deitada Nessa Cama

Aqui, Tiago admira detalhadamente sua amada enquanto dorme, propõe uma viagem ao lúdico único dos dois e uma fuga da realidade massante e chata sem um amor. A batida é lenta e suave, de novo começando com uma sonoridade diferente no refrão que é a vida da música, além dos tons de voz do intérprete que estão perfeitos também. O clipe é um dos mais simples, continua a história do clipe anterior, com o cantor olhando de longe a amada e depois vai se aproximando até que ela acorda e os dois vivem juntos um momento de amor. Gosto muito da mudança de vídeo após a segunda ponte para o refrão, onde a menina puxa o lençol e as luzes, cores e velocidade mudam para deixar mais dramático. O lírico também é uma coisa muito bem executada nessa faixa.

4- Fuzuê

Disserta sobre o desejo latente entre duas pessoas que fingem não se querer, mas quando se encontram se torna super prazeroso. A sonoridade é um belo MPB de respeito com guitarra aflorada que já vinha crescendo na canção anterior e aqui conversa sinfonicamente com os outros instrumentos e a voz de Tiago. O videoclipe é conceitual, onde a menina se encontra de um lado do tecido e Tiago, de outro e os dois se pegam loucamente, trazendo a ideia do desejo bem latente. Acredito que o video aborda também a questão da distância e do "sex phone" e gosto muito disto, a musicalidade também se identifica comigo e é sem dúvidas uma das melhores músicas do CD.

5- Faz

Esta música fala sobre a pessoa amada fazer coisas inimagináveis em momentos sensuais com Tiago. A sonoridade é única e a mais diferente até aqui, mais eletrônica e me remete muito a pitadas de um Jazz antigo sensual. O clipe que é para maiores de 18 anos, é bem sexy com o casal tomando banho no chuveiro e fazendo prazerosas carícias. As luzes fizeram toda a diferença no clipe, e acredito que na letra também. Tenho dito que as musicas são todas ligadas perfeitamente com o clipe. E não posso esquecer que quando Tiago cantou em francês eu fiquei bem...animado.

6-  Tangerina

Nessa canção, Tiago fala sobre a provocação sexual, o sexo e suas preliminares e a paixão pela pessoa amada. A sonoridade é boa, alguns sons me lembram aquelas músicas de ouvir quietinho indo para o trabalho e lembrar de quem se ama, gosto da linha melódica e da ponte no final que muda toda a sonoridade anterior proposta. O clipe eu identificaria como o comentário de uma pessoa no próprio: "um sexo oral poético" onde só mostra a boca da menina com um batom tangerina enquanto canta a música e sensualiza. Gosto do conceito simplista, mas aqui achei exacerbado e não tão interligado com a compatibilidade do álbum, achei muito pouco e sem um certo nexo.

7- Laços

Esta faixa é muito fofa! Fala sobre uma pessoa se reencontrar, achar seu lugar e poder ser livre como sempre quis. A melodia é branda e traz uma calma que quase dá vontade de dormir, sem artifícios eletrônicos, é uma coisa mais acústica. O vídeo é muito bom, faz uma conexão com a primeira música do CD, só que como dito, se reencontrou e deixou sua personalidade falsa para trás. Amo a sequência que o CD vêm tomando, não se tratando apenas de uma narrativa de amor ou paixão,  mas de várias.

8- Nessa Paz Eu Vou

Tiago fala aqui sobre encontrar sua paz na pessoa amada, onde uma vez encontra seu refúgio do mundo nos braços dela, detalha de novo coisas do novo amor e poetiza de uma forma legal a ideia de curtir o presente com a pessoa que está. O instrumental é suave como o reggae, e romântico demais compactuando com a letra e o clipe que está bem lindo também, traz os dois dançando valsa no meio do mato onde terminou o clipe anterior. Gosto da ideia de ser preto e branco, e trazer de novo o vintage de uma forma antes não explorada, além de um novo conceito de família gerado pela faixa.

9- Caramassa

A faixa fala sobre os detalhes da pessoa amada, as coisas engraçadas que se tornam fofas num relacionamento amoroso e a matriz de uma paixão. A sonoridade não é nova ou diferente, violão de base bem aflorado e outros instrumentos mais leves, acredito que nessa faixa o grande ponto foi a voz de Iorc que faz uma linda linha melódica que eu particularmente amei. O vídeo não passa mais nada além de Tiago amassando e fazendo caretas na cara da menina e eu gosto mesmo assim pois traz uma ideia do já dito, fofo e engraçado. É bom ver outras narrativas e assuntos gerados através do amor, não fica na mesmice e nos faz conhecer e se deslumbrar com novas perspectivas.

10- Me Tira Pra Dançar

Esta que é a minha canção favorita do CD, disserta acerca das descontrações com o outro, dançar e fazer parte da dança com a pessoa amada. O instrumental é muito bossa nova e daqueles bem gostosinhos. O vídeo é bem legal, em preto e branco onde se passa Tiago e a menina dançando e brincando com bambolês. Gostei de tudo menos da trava de Tiago no clipe, em todo o projeto ele tem atuado muito bem mas vi um pouco de masculinidade ferida na hora de rebolar no bambolê.

11- A Vida Nunca Cansa
Fala sobre a vida e a morte de uma forma lúdica e apaixonada, a velha atrelação da vida e morte com a pessoa que se ama. A sonoridade é quase nula no começo, e depois vai ganhando sua vez com um simples toque de violão na base também em conjunto com a voz do cantor. O clipe que começa da forma como encerra-se o anterior: os dois de costas um para o outro, acredito ter referências a "Amei Te Ver" - música que o apresentou ao Brasil- pois o clipe é um pouco parecido na compostura corporal. Eu gosto de como esta faixa está veemente ligada a anterior, entregando o conceito de um filme, além das letras que fazem citações a musica também que creio ser muito artístico e profissional.

12- Bilhetes

"Bilhetes" infelizmente é a quebra dessa relação que nos instigou tanto até aqui, falando sobre a superação de um término e a dor causada logo após o ato. A sonoridade volta a ficar mais MPB de um jeito que me lembra Anavitória, é triste e nos passa a emoção proposta. O videoclipe é  formado pelo rosto dos dois separados chorando e sofrendo, enquanto no final, a protagonista aparece com várias fotos de todos estes momentos juntos e tentando recomeçar sua vida do zero. Amo a ideia de luto pós término proposta aqui, realmente pra quem vê se surpreende pois não era o esperado no desenrolar da história.

13- Sei

Em "Sei", é falado sobre se reencontrar após um doloroso término, é aonde finalmente entendemos o titulo do álbum. A sonoridade é filosófica e triste, que acompanha a letra e o clipe também, que falando nele, tem uma locação na praia e mostra a protagonista se ententendo e se reconstruindo depois do acontecido.



"Reconstrução" é um álbum que fala muito sobre o 'eu' maqueado de 'nós'. Apesar de a história apontar a menina como destruidora e reconstrutora de si, eu creio que de fato a narativa seja indicada ao Tiago Iorc, e, para não ficar tão óbvio colocaram seu par para representar suas vivências. É um álbum lúdico e real, trazendo estas duas ideias do amor e desestigmatizando a narrativa constante do MPB de só falar do amor perfeito. É simplista e característico demais. É veemente artístico.

O filme se liga na história cronologicamente mas acredito que se interligar alguns clipes parecidos, eles farão sentido também, e isso é graças a grande continuidade e variabilidade impostas pelos diretores do longa que eu achei perfeito e sem defeito algum.

A sonoridade é diferente de tudo que Iorc já fez mas acredito que faltou muita criatividade na criação de novas melodias.



Texto: João Victor Carneiro
Compositor, escritor e técnico de negócios
Instagram: @joaoo.victtor13

ACESSE TAMBÉM NOSSAS REDES SOCIAIS



My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes