[Crítica Músical] Track-by-Track: "Hurts 2B Human" de P!nk

Hey, Desconexão Leitura! Eu sou João Victor e essa é mais uma crítica faixa por faixa do novo álbum da P!nk, o "Hurts 2B Human", preparem os lencinhos e boa leitura!



1- Hustle

Nunca tente passar a perna em P!nk. Na primeira faixa ela fala que mesmo sendo boa e simpática, ainda é durona e age como uma bala numa arma, pronta para matar, perigosa ela! A sonoridade é muito boa e me lembra um jazz antigo com muitos instrumentos de sopro, a linha melódica e estalos também contribuem para isso. Gosto da ideia do som da faixa ser tão condizente com o título da canção, uma marcação antiga e atual ao mesmo tempo que é bem conceitual e típico da artista.

2-  (Hey Why) Miss You Sometimes

A faixa fala sobre mesmo nunca dando a mínima pra pessoa, sentir sua falta às vezes, esse questionamento e confusão. A linha melódica de novo é diferente e muito boa, a batida é dançante, amo a troca do baixo pro violão e depois pro eletrônico, os amplificadores são muito adequados aqui também. Me encanta muito a composição da faixa que fala sobre uma situação que com certeza todos nós já passamos.

3- Walk Me Home

"Walk Me Home" é uma canção que fala sobre encontrar no outro um refúgio,  independente de onde a leve, com aquela pessoa será satisfatório. O som me parece com Imagine Dragons por ser suave no começo com violão de base e depois estourar como aquelas músicas que dá vontade de gritar e sair correndo por aí. A faixa é muito emocionante pois nos toca no coração o lírico e o instrumental dela, e também creio que mostra uma outra alternativa para as pesssoas que se sentem sem uma, dizendo que talvez sua chance de ser feliz seja no amor.

4- My Attic

P!nk aqui fala sobre mostrar todo seu interior, segredos e mentiras para uma pessoa especial. A canção é lenta, romântica e emocionante demais, acredito que seja mais um: "estou no precipício e quando cair quero que continue", do que: "te mostro tudo porque te amo e não escondo nada". Pink aqui trabalha a questão do ser sem depender do outro, mas uma vez sendo, saber ser intimista e única para ele.

5- 90 Days

A canção fala sobre o término de uma relação, a escolha disto e a reflexão do casal sobre o que já tiveram. O instrumental que é quase nulo até o fim da canção só se aflora sorrateiramente no final com um piano e violino para deixar tudo mais emocionante, porém antes disto os amplificadores são a base da faixa, sem nenhum outro instrumento. Gosto de como a canção nos mostra que o casal ainda se ama e se importam com aquilo, mas o orgulho quer que eles se afastem. Pink faz citação a outras músicas do CD e isso é comum nesse álbum  e é uma coisa que eu amo.

6- Hurts 2B Human

A faixa-título do CD  fala sobre como é difícil ser humano e que sem a pessoa amada não suportaria isso. A sonoridade no começo é lenta e acústica e no refrão se torna eletrônica num conceito lúdico, fantástico e feliz. A faixa faz toda a diferença no álbum pois a voz de Khalid, que é o feat desta faixa, deixa tudo mais lírico e pessoal com sua voz que já é um instrumento próprio.

7- Can We Pretend

A canção faz o questionamento sobre poder esperar e fazer o passado ser revivido. A sonoridade remete-me àquelas canções de 2016 que bombaram por ser um eletrônico diferente, esse álbum está recheado de músicas assim e eu amo isso pois traz uma identidade visual latente e reinventada de P!nk. Gosto da nostalgia que a música me traz, além de seguir uma ideia teenager e adulta ao mesmo tempo, condizendo fielmente com a letra.

8- Courage

Essa é minha faixa preferida do CD e fala sobre ter coragem para mudar e enfrentar os problemas de cara. A sonoridade é muito linda e me lembrou muito ao que Sia faz, a linha melódica está sem defeitos e amei a presença do coral no fim da canção. Gosto da ideia de esta canção não se tratar sobre o amor, par ter o que costumo dizer aqui, a "limpeza de ouvidos" depois de muito conceito do CD. Realmente essa faixa fala sobre coragem em encorajamento bem antes de ser entoada uma palavra da composição e isso me emociona muito pois o instrumental foi excelentemente trabalhado.


9- We Could Have It All

A música disserta sobre o passado, traz aquela vibe do que o casal poderia ter sido, no que o amor poderia ter se tornado se não tivessem terminado, sad but true. O instrumental acredito ser bem nostálgico e bem rock pra esse CD que mostra outra faceta de    P!nk e explora o eletrônico e pop, aqui também temos uso de segunda voz e os amplificadores aflorados que não podem faltar nesse CD né. A faixa me lembra muito a P!nk de uns anos atrás,  quando era mais rock, tipo "So What", me deu uma ótima nostalgia e com certeza será uma trilha sonora pra minha vida.

10- Happy

Pelo contrário do que pode parecer, a faixa fala sobre como P!nk tem medo de ser feliz, não gostar da felicidade e não se sentir confortável com ela. Além de ser uma composição pesada eu acredito que a sonoridade nos passa uma "good vibe" que é o que as pessoas que vivem nessa situação e estão acostumadas sentem: os suspiros, a voz baixa, tudo condiz com a pessoa que passa por isso. Me identifico muito com essa canção e preciso dizer pra vocês irem lá ouvir e ver a letra pois é muito emocionante, de verdade.

11- Love Me Anyway

A faixa é o questionamento de se a pessoa especial amaria ela independente das situações e escolhas da vida. A canção é lírica e parece até um hino de igreja pela sonoridade, devo salientar que os high notes de P!nk estão perfeitos aqui também. Amo a narrativa que não é presa no CD, a forma que vai mudando toda hora e aqui se mostra muito assim.

12- Circle Game

É o jogo do círculo! Pink aqui fala sobre a depressão,  se esconder de si mesma e sobre as frases clichês ditas por pessoas que não estão nem aí para isso. A sonoridade complementa a da faixa anterior por conta da narrativa que eu já citei, e é a minha segunda música preferida, mostra que além de ter coragem e ser durão nunca é fácil sair desse ciclo de sentimentos e pensamentos pejorativos para si.

13- The Last Song of Your Life

Na última música do CD, a cantora faz uma reflexão sobre a vida e a morte. A melodia é muito calma e muito triste porém necessária, quando só se tem um violão de base e a linda voz de P!nk somatizando e dando o drama necessário. A faixa é bem complexa, a artista não fala aqui que se matar é ruim e que alguém não deveria fazer isso, pelo contrário, se você vê que não tem saída e que essa é a última canção da sua vida, termine ela direito. Isto pra mim é tão importante e tão significativo que só um gênio conseguiria desenvolver tão bem este final de CD.





"Hurts 2B Human" é um CD que disserta sobre a depressão, não da forma clichê, e sim da forma real como é vivido pela pessoa que contém esta doença. Nas primeiras faixas, P!nk se põe como uma pessoa durona por tudo que já passou, que depois vai abrindo seu coração para uma pessoa amada que até então era sua motivação de viver em meio a todo o caos. Após o término, há uma tentativa de permanecer-se forte e inabalável porém há uma recaída como vemos no final do álbum onde não se tem mais volta e a pessoa está afogada em sua depressão.

A sonoridade é muito boa e acompanha as narrativas propostas por cada ato imposto, meio eletrônico/nostálgico, meio bad vibes, um tanto jazz. De tudo um pouco. O uso de amplificadores e vozes externas também fez toda a diferença na melodia do CD.

As composições são lindas e emocionam muito, fazendo com que você sinta como protagonista a história imposta na faixa.

Portanto, o álbum me surpreendeu muito, tanto na temática que acreditava ser diferente, quanto na excelência de unir as melodias às suas respectivas composições com êxito.



Texto: João Victor Carneiro
Compositor, escritor e técnico de negócios
Instagram: @joaoo.victtor13


My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes