[Crítica Musical] Track-by-Track: "Tributo Aos Sonhadores I" de Projota

Hey, Desconexão Leitura! Eu sou João Victor e esse é mais um Track by Track, dessa vez com um CD muito curioso e complexo: "Tributo Aos Sonhadores I" do rei do Rap romântico: Projota! Boa leitura seus lindos!



1- Celta Vermelho

Projota inicia com tudo! "Celta Vermelho" relembra o passado do cantor, mostra sua realidade financeira e fala principalmente que já teve um sonho de comprar um celta vermelho, e comprou em várias prestações mas foi um sonho realizado. Sonoramente é  um rap 200 palavras por minuto, bem rápido o que não é de costume do cantor e me surpreendeu, a batida condiz perfeitamente com a letra e a interpretação do qual Projota dá um banho, amo a vibe eletrônica e futuristica que foi muito bem concebida com o todo. Amo essa canção do começo ao fim, por principalmente me surpreender e já dizer muito do nome do álbum na primeira faixa.



2- Perto do Céu

Chegamos numa faixa com o que estamos mais acostumados a ouvir do cantor. A música faz uso do lúdico, é romântica e acredito que seja sobre ele no céu a procura de seu amor ainda não encontrado, cita Charlie Brown Jr. E por isso acredito que estava pensando na vida após a morte e sua paz lá e na terra construída. O som em conjunto com a linha melódica é o que nos faz lembrar da identidade sonora do cantor, aquela vibe praiana com violão de base e um refrão mais cantado, bem romântico. Amo a maneira que é dissertado sobre o paraíso e sobre a terra de forma diferente e muito lúdica, tão artística que me emociona de ouvir.


3- Sei Lá
Essa música fala sobre a pessoa amada, o não-saber se ficarão juntos e se curtirão. A faixa é com parceria do Vitão que com sua linda voz, suave e delicada, faz uma sintonia perfeita com a de Projota que é grossa e áspera. A canção tem violão como base e a entoação é bem lúdica também. Me encanta a tranquilidade passada na interpretação dos cantores e latência usadas de forma original e diferente, achei inteligente a colocação de Vitão na faixa uma vez que ficaria tedioso e chato ser uma solo.


4- Disco Voador


Essa é a minha música preferida de todo o álbum. "Disco Voador" conta uma história muito tocante sobre um casal que fica junto até a morte literalmente e que se amam loucamente. A linha melódica dessa música é o que mais me encanta por não ser romântica e dentro do padrão, a batida também é muito tocante e toca dentro do coração com intensidade. Eu amo essa faixa do começo ao fim, nela Projota conta uma história desde o começo da paixão até ser capturado pela polícia e sua amada se jogar frente a uma bala por ele. Não é a primeira vez que o cantor faz algo do tipo, em "O Homem Que Não Tinha Nada" ele também conta uma história  tão tocante quanto esta e que vale a pena todos ouvirem.


5- Fora da Lei

A canção fala sobre fazer sua própria lei, ser seu próprio governo uma vez que o Estado não faz isso. A sonoridade em conjunto com a linha melódica me lembrou as canções antigas de Djonga e acredito que pode ter sido uma inspiração, devo dizer que não gostei da colocação de voz de Projota mas a dos convidados da faixa está impecável. Eu acredito que o álbum tome várias narrativas e por isso, necessitava de uma faixa mais politizada que é boa, porém não excelente.


6- Dejavu

Fala sobre ter tido um Dejavu com a pessoa amada e lembrar dela por esse motivo. A sonoridade é boa, os amplificadores são utilizados muito bem, gosto da vibe eletrônica que é uma grande característica deste CD. É uma canção de amor, despretenciosa e versátil por conta de sua parceria com Luccas Carlos que, falando nisso me surpreendeu nesta faixa positivamente.


7- Numa Esquina do Universo


Mais uma "love song", a faixa disserta acerca da amada, descrição e demonstrações de amor detalhadas, citações e comparações do amor com o universo são presentes aqui também.  A sonoridade lúdica volta nessa faixa de uma forma diferente, a linha melódica me remete a "Ela Só Quer Paz" e achei legal também. A faixa fala muito de externar seu eu para outro alguém de forma fantasiosa e artística demais até para Projota.


8- Mais Uma Briga no Bar
Projota finaliza com uma breve explicação de seu CD, como é sonhador, vai atrás de seus sonhos, e usa do intimidador como combustível para realizá-los. A sonoridade é reflexiva e reflexivel, de forma que todos podem se observar na letra a partir da batida que é bem forte e me lembrou Racionais Mc's. Amei a forma que o compositor termina seu trabalho, fazendo chamamentos e indagações fantasiosas, além de trazer todos os artefatos de composição presentes no álbum para a última faixa.



"Tributo Aos Sonhadores I" É um álbum único e notoriamente necessário, uma vez que segue à risca a narrativa e história de um sonhador e não focaliza em seu sonho. As músicas românticas além de fazerem parte do estilo musical do cantor também são fontes de sonhos de outras pessoas como casar, achar o amor verdadeiro, etc. E o mais bizarro e artístico deste CD é que Projota quase nunca fala sobre o que já tem, é muito de um sonho uma vez conquistado e já perdido, ou um nem concretizado ainda.

A batida é lúdica e eletrônica, acredito que Projota tenha bebido muito da fonte das músicas atuais para se reinventar, além de chamar uns artistas novos e completar a novidade e nova era com êxito.

As composições são de cair o queixo. Todos sabemos o quão bom poeta Projota é se tratando de amor, mas neste álbum além das faixas românticas tomarem narrativas que eu nunca vi, ele fala de assuntos e temas jamais falados.

Portanto, se fosse definir esse álbum com uma palavra seria: Reinvenção, que foi exercida muito bem em todos os aspectos.





Texto: João Victor Carneiro
Compositor, escritor e técnico de negócios
Instagram: @joaoo.victtor13





ACESSE TAMBÉM NOSSAS REDES SOCIAIS




My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes