[Crítica Musical] Track-by-Track: "Free Spirit" de Khalid

Hey, Desconexão Leitura! Eu sou João Victor e hoje trago para vocês mais um Track by Track, desta vez de um cantor muito fofo que sou apaixonado: Khalid, com seu terceiro álbum de estúdio, o Free Spirit, Boa leitura a todos.




1- Intro






Khalid inicia seu álbum com uma introdução, que como de costume do cantor e desta coluna, já diz muito mais do que outras faixas do CD. "Intro" fala sobre a decaída pessoal de um amor que necessita de término porém há um jogo entre o que dói mais: perder a pessoa ou continuar com ela. Sonoramente no princípio, me remete um pouco "Hopeless", faixa do "American Teen", seu álbum anterior mas logo em seguida isso é dissipado e podemos sentir a presença do "Free Spirit" latente, com os fortes melismas do cantor e pitadas instrumentais de outras músicas deste disco também. Acredito que não haveria melhor forma para iniciar este trabalho, a canção é poética, indie e misteriosa, Khalid fez um ótimo trabalho na composição, uma vez que todo mundo já passou ou está passando por isto, a música se adequa a todos e isto é uma marca registrada do compositor.

2- Bad Luck





Esta faixa que é uma das minhas favoritas disserta sobre a solidão e independência, onde o intérprete se coloca como uma pessoa apaixonada pela má sorte, que, acredito que seja a procedência de vezes que se deve ser independente mesmo quando não se quer. A batida é bem "Good vibes" e  veremos isso muitas vezes neste CD, praiana e com aquele trap que amamos bem dançante porém perceptível ser uma música de rebolar com a mão na consciência. Eu amo a linha melódica desta canção com todas as minhas forças, além dos agudos e High Notes de Khalid que soaram como anjos em meus ouvidos, me identifico muito com a letra dessa canção e com a batida também; claramente uma canção feita para todos os azarentos.

3- My Bad

Em "My Bad", Khalid se desculpa por não ter respondido as mensagens enviadas, se justifica e diz que isso não importa tanto contanto que estejam se curtindo. O som me parece uma continuação da faixa anterior com guitarra mais acentuada e batidas eletrônicas diferenciadas do trap, trazendo uma vibe do "American Teen" em conjunto com este álbum. Gosto desta canção e acredito ser ótima para ouvir no transporte público ou no carro. Imponente, suave e diferente.

4- Better





"Better" fala sobre o quão proveitoso é desfrutar das características do outro, os momentos descontraídos e de sedução, e detalhadamente como nada é melhor do que ter a presença da pessoa amada. Preciso dizer que remeto essa canção à Daft Punk pelas falas robóticas no começo e final da música, a batida e solos de guitarra, é uma identidade sonora marcada do artista citado. Me encanta a voz piloto ser usada para eco tão perfeitamente e interagir com a principal sendo visível e artístico por este motivo. Além de ser uma "love song" com uma composição diferenciada e uma batida que não precisa de muito para se destacar, tendo em vista também que a voz do Khalid rouba a cena em diversos momentos na faixa por ser rouca, aguda e reservada.

5- Talk





Chegamos na minha faixa preferida! Quem não conhece o refrão desta música? "Talk" fala sobre a importância de haver aquela conversa sobre o rumo da relação. Acredito que há pitadas de "Hopeless" - música do CD anterior - nesta música porém evoluído e melhor, com um trap diferente, meio eletrônico e dançante, bem a cara deste novo álbum, além da linha melódica perfeita e condizente. O clipe desta faixa me lembra "Hotline Bling" do Drake, porém com uma identidade visual do Khalid. Essa música pode ser o "coringa" do "Free Spirit" uma vez que já é disco de ouro e platina em alguns países e já soma milhões de visualizações no youtube, merecido por ser uma canção sem defeitos.


6- Right Back





A faixa disserta sobre trazer de volta uma relação que por algum motivo mudou, e mesmo estando bom assim, será melhor trazer de volta. A sonoridade inicial me lembrou "Thank u, Next" da Ariana Grande mas depois se transforma no que eu chamo de "pop anos 90", a batida do trap é presente mas você pode perceber um som de disco rebobinando, além dos estalos e a introdução a uma música gospel. Esta canção para mim se torna presente em relação ao CD porém acredito que não seja tão a vibe deste, talvez do primeiro quando necessário seria expor o cantor ao grande público.

7- Don't Prentend





"Don't Pretend" pode-se dizer que é a continuacão de "My Bad", onde continuou sem responder as mensagens e agora corre atrás da pessoa mesmo sabendo que ela não quer mais nada. A batida também marca uma continuação da história contando com as notas do violão parecidas e as batidas conversando o tempo todo. Em minha opinião, esta canção retrata um potencial de alcance de notas muito boas e notórias à evolução de Khalid, gosto da ideia das duas músicas conversarem e acredito que poderíamos obter um resultado audiovisual disto.

8- Paradise





Fala acerca de encontrar o paraíso e aproveitar os bons momentos deste com a pessoa, com uma narrativa poética e interpretação despretensiosa e misteriosa também. Com uma batida gostosinha, diferente das propostas anteriores do artista, que me remete a um pop 2011 e ao mesmo tempo Anos 90. Demorei um tempo para obter gosto por esta canção, acreditava ser entediante, porém hoje compreendo a proposta e entendo que todo álbum atual tem uma música como essa. Além de ser uma canção para aqueles momentos que vocês já sabem.

9- Hundred





Eu amo esta canção! a composição é a preferida de todo o álbum, trazendo artifícios e linguísticas do "American Teen", Khalid diz que independente dos problemas permanece vivo e o mundo continua girando.  Com uma batida proveniente deste álbum em conjunto com a linha melódica que nos faz ter vontade de gritar o refrão onde estivermos. Me identifico muito com a letra desta canção e com a batida contagiante, "good vibes" e profunda ao mesmo tempo, uma verdadeira obra de arte. A partir desta faixa o álbum vai tomando outra narrativa tanto lírica, como instrumental, vai se tornando mais pessoal, falando acerca de problemas da vida e com batidas penetrantes no coração.

10- Outta My Head





Esta faixa traz a letra que disserta sobre a dificuldade de tirar a pessoa amada dos pensamentos e como é melhor tê-la por perto do que longe dela, trazendo ainda algumas pitadas da primeira faixa deste álbum porém com a diferença de ser mais feliz e menos melancólico. A batida é cósmica e nostálgica, e com motivo por ser uma parceria com John Mayer, e muito condizente com o ritmo entoado pelos artistas. Adoro a mistura das divinas vozes dos artistas nesta canção que até parece ser uma só voz, tão específicos, como é retratado um "problema" e gostar dele, trazendo uma situação identificável para muitas pessoas.

11- Free Spirit





A música tema do álbum fala acerca de duas almas que se encontram e se tornam espíritos livres. O instrumental se torna orquestrado trazendo à tona o núcleo de todo o álbum e sendo visível o motivo da música ser o título do CD. Devo afirmar que amo o clipe desta faixa uma vez que fala não só sobre um casal de espírito livre mas é convidativo a seus fãs serem pessoas de espírito livre. Khalid fala sobre um casal nesta canção mas acredito que esteja falando mais de si do que qualquer outra coisa. Além de esta faixa ser fatídica e muito artística fazendo um aparato geral desta.

12- Twenty One 





Em "Twenty One" Khalid fala sobre a ansiedade de forma diferente, ele traz a culpa para uma pessoa (mesmo na própria letra dizendo para não culpar ninguém) e no final se descobre com o tal problema. Gosto da batida mas esperava que fosse mais diferente, a linha melódica me lembra muito ao One Direction, inclusive acredito que o instrumental foi inspirado no grupo. Eu amo a narrativa da música, o uso da Inversão do Ônus da Prova, porém na linha melódica e instrumental não me surpreendeu, remete a uma sensação entediante e aliada claramente a outros artistas.

13- Bluffin'





"Bluffin'" traz o questionamento de um possível término de relacionamento, que está quebrado mas não há vontade de terminá-lo. Com um instrumental bem R&B clássico que estamos acostumados, os amplificadores e bateria aflorados nos fazem dançar internamente nas notas musicais. Posso dizer que é uma canção muito apaixonante que claramente se encaixa comigo por sua composição. Além da linha melódica em conjunto com os High Notes de Khalid fazerem exímia combinação nesta canção.

14- Self





A faixa disserta sobre a autoestima de Khalid, em permanecer sozinho e independência, é uma "love song" mas acredito que retrata a vida pessoal e artística  do cantor também. Se "Right back" me lembrou "Thank u, next", "Self" me remete a "7 Rings" da Ariana Grande na sonoridade inicial e acredito que os dois usaram dos núcleos famosos do pop/trap e R&B, depois a batida vai se moldando à imagem do cantor, mais lento. A guitarra é bem presente nesta faixa e com a ajuda dos amplificadores que reverberam o som até que fique diferente, tão diferente que tirou a sonoridade do álbum e acho isso ótimo pois não se torna exacerbado nem cansativo.

15- Alive





Esta é uma música que fala sobre depressão, o jogo de palavras entre a morte e a vida aqui são intensos e acredito que pode ser um grande desabafo de Khalid acerca deste problema de sua vida pessoal. A canção é entoada de forma branda, trazendo o drama necessário da letra da música, além de uma batida reflexiva e triste, daquelas de olhar pela janela do carro em um dia chuvoso. A composição desta faixa é uma das melhores do álbum e pode identificar milhares de pessoas nesta triste situação. Vale lembrar que na canção  "1-800-273-8255" que Khalid participa, é dito acerca deste assunto e da valorização à vida também.

16- Heaven





Khalid aqui fala sobre o céu e sua vontade de conhecê-lo, torna-se diferente de "Paradise" por ser mais lúdico, pessoal e próprio. A batida é apocalíptica e me remete a "Take me to church" de Hozier de uma forma mais dramática ainda, vale ressaltar a perfeição que se encontra a voz do cantor nesta faixa que me emociona bastante. Eu amo muito esta canção, Khalid sempre fez composições com citações ao "Heaven" em muitas canções deste álbum e do "American Teen" também e estava esperando uma faixa com este título e narrativa.

17- Saturday Nights





Chegamos na música final! Onde é falado sobre a pessoa amada saber e se importar mais que as outras pessoas. A melodia traz o que sentimos no começo do CD com um Plus de final de disco que também é nítido nesta faixa. Muito good vibe, Khalid soube terminar com êxito seu terceiro álbum de estúdio, voltando a falar de amor e sendo o mais Espírito Livre possível.






"Free Spirit" é um álbum atual e ao mesmo tempo clássico, surfando temporalmente nas tendências do Pop/R&B sem perder a essência do conceito do CD que é livre, leve e potente ao mesmo tempo, traz uma mensagem, nos faz dançar e emite paz simultaneamente.

As composições são exímias, diferenciam-se do outro trabalho por retratar o amor de uma forma mais comercial porém não enlatada, é posto em pauta novos conceitos e dialetos sobre o amor nesse CD também. Além, é claro das faixas que retratam questões pessoais, que também é uma marca registrada de Khalid, e acredito ter feito uso de ambas com excelência.

As melodias estão completamente adequadas as composições, mas há algumas que acredito ter faltado criatividade e outras permaneceram no marasmo.

Portanto, acredito que o disco é perfeito para o momento e pode se adaptar a outros momentos futuros, nesta crescente rítmica do Hip Hop e R&B é necessário se destacar com mudanças nas sonoridades e composições e acredito que tenham trabalhado muito bem nisto. Além disso, é notório que a voz de Khalid não estava tão limpa no álbum anterior e neste não há falhas. Com isso, posso garantir que Khalid se superou neste disco.




Texto: João Victor Carneiro
Compositor, escritor e técnico de negócios
Instagram: @joaoo.victtor13





ACESSE TAMBÉM NOSSAS REDES SOCIAIS





My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes