[CRÍTICA]: Shazam





Diga o nome Shazam!, e receba o poder de uma excelente experiência com filme de super herói.

Se você pudesse ser um super-herói qual habilidade você escolheria, invisibilidade ou voar? Infelizmente (ou felizmente) não há opção de escolha para Billy Batson (Asher Angel), que no auge de seus 14 anos recebe os poderes de seis divindades mitológicas. Essas habilidades estão no nome: Shazam! Onde lhe é ofertado a sabedoria de (S)alomão, a força de (H)ércules, o vigor de (A)tlas, o poder de (Z)eus, a coragem de (A)quiles e a velocidade de (M)ercúrio. E quem detiver esses poderes será invencivel, ou pelo menos muitíssimo difícil de ser vencido.

Billy é um orfão que adora se meter em confusões, e coleciona fugas de lares adotivos. Porém dessa vez ele vai parar no lar de Victor (Cooper Andrews) e Rosa Vasquez (Marta Milans), que adotam vários orfãos na expectativa de conseguir fazer todos se sentirem pertencentes a uma familia. Nessa casa também moram seus futuros amigos Mary (Grace Fulton), Darla (Faithe Herman), Pedro (Jovan Armand), Eugene (Ian Chen) e Freddy (Jack Dylan Grazer). Após ser considerado digno pelo mago Shazam (Djimon Hounsou), Billy não faz a menor ideia do que fazer agora que tem o poder de se tranformar em Shazam (Zachary Levi). Então acaba por recorrer a Freddy, o seu “irmão” que é um verdadeiro nerd quando se trata do assunto super-heróis, causando grandes confusões para testar e de vez em quando fazer ações heróicas.

A contrapartida fica por conta do vilão do filme, o Dr. Thaddeus Sivana (Mark Strong). Que guarda rancor de quando não passou no mesmo teste em que Billy, e como todo bom vilão ele também jura vingança por não ter sido considerado bom o suficiente. Junto com os sete pecados capitais eles vão fazer da vida do jovem Batson e de sua familia um verdadeiro caos.
Os roteiristas Henry Gayden e Darren Lemke se inclinam para os paralelos entre Billy e Thad para destacar as diferenças entre os dois, que nesse caso os tornaram o herói e vilão respectivamente.

Com um humor leve e bem estruturado, Shazam! conquista o seu publico na primeira risada. As piadas aparecem na hora certa e na medida certa, como se aquela formúla de humor fosse feita com encaixe perfeito para esse filme específico. Mas não se engane se você está achando que é só isso, pois mesmo sendo mais voltado para comédia, esse ainda é um filme da DC. Não podemos esperar menos do que um tom sombrio nas horas adequadas e um drama como plano de fundo para não fugir do padrão DC de fazer as coisas, o que casa muito bem com toda comédia e ação que está acontecendo no filme sem parecer em nenhum momento deslocado ou fora de lugar. Com vários ensinamentos sobre amizade, família, companheirismo e o poder que as palavras têm na vida das pessoas, Shazam! é um prato cheio para os amantes do gênero, e para quem não é também, conseguindo agradar em quase todos os aspectos.

Destaques positivos desse filme ficam por conta das incríveis atuações de Zachary Levi e Jack Dylan Grazer que provavelmente serão a chave para o sucesso desse filme. A trilha sonora é um ponto mais do que positivo, simplesmente brilhante a escolhas de músicas para esse filme e como elas combinam perfeitamente com as cenas em que aparecem. Por fim (mas não menos importante) a direção de David F. Sandberg que é o responsável por grande parte da magia que chega as telonas, parece que ele realmente mergulhou com todas as suas forças no DCEU (DC Extended Universe) e fez um belíssimo trabalho que supera facilmente a qualidade de muitos filmes de heróis.

Um nome, seis letras, vários poderes e uma enxurrada de pontos positivos: Shazam!. Um nova página do universo cinematográfico da DC Comics, que tem conseguindo surpreendentemente se redimir por erros cometidos no passado com os seus novos longas, chega nos cinemas nessa quinta-feira dia 04 de abril e vai levar seu publico para uma experiência completa com filmes de heróis.


FICHA TÉCNICA

Título original: Shazam!
Nacionalidades: EUA
Gênero: Ação, Fantasia, Ficção 
Ano de produção: 2018
Estréia: 04 de abril de 2019 (Brasil) 
Duração: 132 min
Classificação: 12 Anos  
Direção: David F. Sandberg
Roteiro: Henry Gayden, Darren Lemke
Produção: Peter Safran
Trilha sonora: Benjamin Wallfisch
Cinematografia: Maxime Alexandre
Edição: Michel Aller
Design de produção: 
Estúdios: DC Films, New Line Cinema, The Safran Company, Mad Ghost Productions
Distribuição: Warner Bros. Pictures


Caio Luz
Bacharelando em Produção Cultural e ator
Instagram: caioluz4


My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes