[CRÍTICA]: A árvore dos frutos selvagem


O filme A Árvore dos Frutos Selvagens do cineasta turco Nuri Bilge Ceylan, lançado em 2018 e que foi selecionado para competir pela prestigiosa Palma Dourada no Festival Internacional de Cinema de Cannes do mesmo ano conta a história de Sinan, um jovem recém formado que retorna à sua cidade natal, uma aldeia rural da Turquia, no intuito de publicar o seu primeiro livro. Apaixonado por literatura, o aspirante a autor encontrará dificuldades de ser um artista no século XXI, além de ter que lidar com a relação conturbada com o seu pai, Idris, que é viciado em apostas de cavalos.
De forma bem reflexiva, o longa aborda questões filosóficas, políticas, religiosas e morais através de longos diálogos que o personagem principal desenvolve com o restante do elenco, dando destaque a conversa entre Sinan e os líderes religiosos locais, onde o jovem questiona a fé e os princípios do islamismo, assim como numa interminável discussão que tem com um escritor local, na qual reflete sobre o que é ser um escritor.
O ponto que merece ênfase é o relacionamento entre pai e filho. Os mesmo apresentam enormes desavenças, causadas pelo jeito teimoso e irônico de Idris e a arrogância de Sinan. Contudo, o final do filme é atravessado por uma reviravolta que mudará completamente a percepção de um em relação ao outro.
Outro destaque é a fotografia assinada pelo Gökhan Tiryaki. Belíssima e super interessante a maneira como a luz e as paisagens aparecem no longa. Os enquadramentos focalizados em quem está transmitindo a fala, cria um cenário bem pessoal e peculiar com o espectador.


A Árvore dos Frutos Selvagens, embora seja um filme de longuíssima duração, um pouco mais de três horas, envolve o público com a sua narrativa e a abordagem de assuntos bem contemporâneos.

Árvore dos Frutos Selvagens (Ahlat Agaci)
Turquia/França/ Alemanha/Bulgária, ficção, 2018, cor, 188 min

Direção | Montagem: Nuri Bilge Ceylan
Roteiro: Akin Aksu, Ebru Ceylan, Nuri Bilge Ceylan
Fotografia: Gökhan Tiryaki
Produtor: Zeynep Özbatur Atakan 
Produção: Zeyno Film, Memento Films Production, Detail Film, Rff International, Sisters And Brother Mitevski, 2006 Produkcija Sarajevo, Film I Vast, Chimney Pot
Elenco: Aydin Doğu Demirkol, Murat Cemcir, Bennu Yildirimlar, Hazar Ergüçlü, Serkan Keskin, Tamer Levent
Estreia: 25 de Abril








My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes