[CRÍTICA] Cine Hollyúdi 2- A chibata Sideral




Cine Holliúdy 2 – A Chibata Sideral é a continuação da estória de Francisgleydisson, interpretado por Edmilson Filho, um cearense que após conseguir realizar seu sonho de abrir seu cinema em Pacatúba no primeiro filme, agora está fechando-o por falta de verba.



Francisgleydisson, Maria das Graças (Miriam Freeland), sua esposa, e seu filho Francin (Ariclenes Barroso) se mudam para a casa da mãe de Maria, lá sua sogra não lhe dá sossego, fazendo com que o protagonista até mesmo considere ir para a cidade grande. Porém antes que o fizesse o caso do seu amigo e de tantos outros que foram abduzidos o inspiram a criar um filme de ficção científica e filmá-lo com o povo de Pacátuba. Para isso Francisgleydisson pede financiamento do governo, ou seja, da Primeira Dama (Samantha Schmutz) que aspira ser Prefeita e de seu marido o atual Prefeito (Roberto Bomtempo). Ambos políticos que apenas querem o voto das pessoas da cidade sem querer realmente fazer algo significante, uma eficaz crítica ao modo de governo brasileiro.



O filme dentro do filme é divertidíssimo, desde sua escolha de elenco até o fim de suas filmagens, já que o cenário e as fantasias são bem simples pela falta de verba, surge a necessidade de fazer um ‘faça você mesmo’, sendo criadas assim fantasias com lixeira, papel alumínio, papelão... O que faz a coisa mais irrelevante parecer muito engraçada. Sobretudo, assim como no primeiro, o filme todo é legendado, o que a primeira vista possa parecer não fazer sentido que um filme brasileiro sendo transmitido no Brasil com legendas, porém seu diálogo é riquíssimo de regionalismos, que quando entendidos são engraçados e quando não, talvez ainda mais.



O fim do filme conta com aparições extraterrestres que assustam todos que foram a estreia, isto e o plano da Prefeita para estragar o sucesso do filme pois seu sobrinho não fez o Lampião, personagem principal do filme de Francisgleydisson. Até no caos as piadas são pontuais e os personagens cômicos.



Seja pelos personagens bem estruturados, piadas simples, mas de grande efeito ou por um humor que por muitas vezes remete a comédia pastelão de um palhaço, o filme de Halder Gomes certamente faz dar risadas até das mais simples coisas.




Data de lançamento 21 de março de 2019 (1h 40min) Direção: Halder Gomes Elenco: Edmilson Filho, Miriam Freeland, Ariclenes Barroso mais Gênero: Comédia Nacionalidade: Brasil




Por: Lívia Winter

Graduanda em Bacharelado em Produção Cultural




ACESSE TAMBÉM NOSSAS REDES SOCIAIS:














My Instagram

Copyright © Desconexão Leitura. Designed by OddThemes