07/05/2018

Dica da semana: “A Ordem Natural das Coisas” estreia em 10 de maio no Sesc Copacabana




Com texto inédito do ator Leonardo Netto, também diretor da montagem, peça aborda o poder de interferência do outro sobre as nossas vidas e as consequências de suas atitudes


Beatriz Bertu, Cirillo Luna e João Velho estão no elenco


O ator e diretor Leonardo Netto volta à cena como dramaturgo em “A Ordem Natural das Coisas”, peça que aborda o poder de interferência do outro sobre nossas vidas e até que ponto essas influências definem quem somos. A ideia surgiu há três anos, durante a temporada de “Para os que Estão em Casa”, sua estreia na dramaturgia. Na época, o autor decidiu escrever seu segundo texto para três dos atores que estavam em cena no espetáculo: Beatriz Bertu, Cirillo Luna e João Velho. “A Ordem Natural das Coisas” estreia em 10 de maio, no Sesc Copacabana. A peça fica em cartaz até 3 de junho, no Mezanino (quinta a sábado, às 21h; domingo, às 20h). O texto da peça “A Ordem Natural das Coisas” será lançado pelo selo Another Hot Books, da editora Livros Ilimitados, no dia 7 de maio, na Travessa de Ipanema.


Em “A Ordem Natural das Coisas”, Lúcio (João Velho) é um publicitário em crise, aspirante a escritor às voltas com um bloqueio criativo. Abandonado pela noiva no dia do casamento, ele mergulha em mais dúvidas e questionamentos – em um processo que sofrerá a interferência de duas pessoas: o consultor de feng shui Emiliano (Cirillo Luna), seu amigo e irmão da noiva; e Cecília (Beatriz Bertu), jovem formada em História da Arte, apaixonada pela cultura dos anos 60 e vizinha temporária de Lúcio. “O quanto a gente tem controle sobre a própria vida e a interferência que o outro pode exercer sobre nós são questões que me motivaram a escrever esse texto”, conta o autor e diretor.


Criado por Elsa Romero, o cenário acentua o caos que está a vida do protagonista: muitas caixas de presentes espalhadas por todos os cantos da casa e objetos pessoais da ex-noiva, que se mudaria para o apartamento e ainda não apareceu para buscar as suas coisas.


Além do texto e da direção, Leonardo assina também a trilha sonora, formada por clássicos roqueiros da década de 60. A música está presente também como objeto cênico: por meio de 50 discos de vinil garimpados pelo próprio Leonardo na feira da Praça Benedito Calixto, em São Paulo. Entres os álbuns de artistas como Beatles, Pink Floyd, Rolling Stones e Bob Dylan, os personagens revelam seus gostos e deixam antever questionamentos.


Entre março e abril, a montagem participou do projeto "Sesc Expressões". A peça foi apresentada em oito unidades do Sesc: Niterói, São Gonçalo, Ramos, Nova Iguaçu, Madureira, Nova Friburgo, Teresópolis e São João de Meriti.


SOBRE O AUTOR E DIRETOR
Leonardo Netto é ator, diretor e dramaturgo. Formou-se pela Casa das Artes de Laranjeiras (CAL) e estudou Teoria do Teatro na UNIRIO. Estreou profissionalmente em 1989 em “Se Correr o Bicho Pega, Se Ficar o Bicho Come”, de Oduvaldo Vianna Filho, dirigida por Amir Haddad. Integrou por três anos o Centro de Demolição e Construção do Espetáculo, companhia estável dirigida por Aderbal Freire-Filho, onde atuou em “O Tiro que Mudou a História” e “Turandot ou O Congresso dos Intelectuais”, entre outras.  Trabalhou com diretores atuantes do teatro carioca, como Gilberto Gawronski, Ana Kfouri, Jefferson Miranda, João Falcão, Luiz Arthur Nunes, Enrique Diaz, Celso Nunes e Christiane Jatahy. Seus trabalhos mais recentes incluem “Freud – A Última Sessão” (direção de Ticiana Studart), “Conselho de Classe” (direção de Bel Garcia e Susana Ribeiro), “A Santa Joana dos Matadouros” (direção de Marina Vianna e Diogo Liberano) e “Entonces Bailemos” (direção de Martín Flores Cárdenas).


Em TV, atuou nas novelas “Bang-Bang” e “Paraíso Tropical”, em episódios das séries “Força-Tarefa”, “As Canalhas”, “Questão de Família” e “O Caçador”. Integrou o elenco dos seriados “A Garota da Moto”, “Magnífica 70” e “Me Chama de Bruna”. Em cinema, trabalhou no longa de Sérgio Rezende “Em Nome da Lei” e nos curtas “Furos no Sofá”, de Ana Beatriz Nogueira; e “Verdade Verdadeira”, de Felipe de Carolis.


Dirigiu os espetáculos “A Guerra Conjugal”, de Dalton Trevisan; “Cozinha e Dependências”, de Agnes Jaoui e Jean-Pierre Bacri, “Um Dia Como os Outros” (também de Jaoui e Bacri), “O Bom Canário”, de Zacharias Helm e “Para Os Que Estão em Casa”, de sua autoria. Em 2016, foi indicado ao Prêmio Cesgranrio de Melhor Autor pelo texto de “Para os Que Estão em Casa” e ao Prêmio Questão de Crítica de Melhor Ator por “A Santa Joana dos Matadouros”.



FICHA TÉCNICA
Texto e direção: Leonardo Netto
Elenco: Beatriz Bertu, Cirillo Luna e João Velho
Direção de movimento: Márcia Rubin
Iluminação: Aurélio de Simoni
Cenário: Elsa Romero
Figurinos: Maureen Miranda
Trilha Sonora: Leonardo Netto
Design gráfico: Lê Mascarenhas
Fotos: Dalton Valério
Mídias sociais: Rafael Teixeira
Direção de produção: Luísa Barros
Produção executiva: Alice Stepansky e Thaís Pinheiro
Mobilização de recursos: Marcela Rosário
Realização: Sesc Rio e Fulminante Produções Culturais


SERVIÇO:

Espetáculo: “A Ordem Natural das Coisas”
Local: Sesc Copacabana (Mezanino).
Endereço:  Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana.
Dias e horários: Quinta a sábado, às 21h. Domingos, às 20h.
Ingressos: R$ 7,50 (associados. Sesc), R$ 15 (meia) R$ 30 (inteira)
Bilheteria: segunda-feira, das 9h às 17h. Terça a sexta, das 9h às 21h.
Sábados, das 13h às 21h.  Domingos e feriados, das 13h às 20h.
Informações: (21) 2547-0156.
Capacidade:  70 lugares.
Classificação etária: 14 anos.
Duração: 90 min. Gênero: drama.

Lançamento do livro “A Ordem Natural das Coisas”
(Editora Livros Ilimitados)
Dia 7 de maio (segunda), às 19h, na livraria Travessa de Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 572). 
Postar um comentário

Mais visitadas

Obrigada pela visita volte sempre!

Outras Postagens