17/01/2018

Crítica: Pela Janela filme nacional de Caroline Leone



   Pela Janela, é um filme nacional, tendo como elenco Magali Biff, Cacá Amaral e demais, retrata o cotidiano da vida, de uma mulher, que após 30 anos de trabalho em uma pequena indústria de reatores, no subúrbio de São Paulo é demitida, com prenúncio de uma fusão empresarial. A perda da rotina e o medo do futuro estão presentes no olhar de Rosália (Magali Biff) que passa com muita emoção a dificuldade de lidar com a nova vida. 

   A história se desenrola uma grande parte no subúrbio de Buenos Aires, Argentina, quando seu irmão José (Cacá Amaral) preocupado em deixar sua irmã, após a demissão, resolvi leva-la na viagem de trabalho. Antes de chegarem na Argentina José resolve levar sua irmã Rosália para conhecer a paisagem que se entrelaça com a personagem no encontro das águas nas Cataratas do Iguaçu. 

   O silêncio em muitas cenas destaca a atuação de Magali Biff que expressa com diplomacia a arte da dramaturgia brasileira. O filme encanta pela atuação da personagem Rosália e, não pela paisagem, com sobressalto das quedas de Foz do Iguaçu.

   É um filme para refletir, pensar em como deixamos nos levar pela rotina da vida e, como esta rotina ininterrupta pode nos afetar profundamente quando é drasticamente interrompida. A mudança sempre é algo assustador para muitas pessoas, mas para a personagem Rosália, não é apenas o novo momento de vida, mas a idade que também a preocupa, como destacado em algumas situações do filme. Em determinado momento Rosália, se permitir viver o hoje, aproveitando as novas experiências.   


   Particularmente, gostei do filme, especialmente, que fala de sentimentos que retrata o cotidiano da vida e, da atuação de Magali Biff que deu um sabor especial a história.
Se está em busca de um filme que toca o coração e que faz jus aos prémios que ganhou não deixe de assistir nos cinemas.
Trailer aqui


Escrito por Marisa Relva
Postar um comentário

Mais visitadas

Obrigada pela visita volte sempre!

Outras Postagens