02/11/2017

Vivo Rio traz aos palcos carioca Megadeth e Joey Jordison em sua nova banda Vimic

Performance do Megadeth. David Ellefson a esquerda, Kiko Loureiro a direita e Dirk Verbeuren ao fundo na bateria. 
O Heavy Metal é um gênero da música oriundo do rock clássico, trazendo peso e energias únicas em suas letra e composições em suas diferentes bandas. Devido a isso muitos subgêneros foram criados, cada com um com seu aspecto único. Nisto temos o Thrash Metal, ou Metal Agressivo, em tradução livre, no qual o uso de letras únicas, técnicas e arranjos complexos, grande peso e velocidade, gerou grandes nomes no mainstream. E esse mês a equipe do Desconexão Leitura teve a oportunidade de conferir a performance de um dos grandes nomes do thrash: O Megadeth. Referência internacional do gênero, a banda finaliza sua turnê na América do Sul de promoção de seu último album, Dystopia, fazendo duas passagens no Brasil, acompanhados da banda estreante, Vimic. A primeira ocorreu no dia 31 de Outubro em São Paulo, e a segunda no dia 1° de Novembro de 2017, no Rio de Janeiro, onde acompanhamos o show no Vivo Rio.

Performance do Vimic. Kalen Chase a esquerda, em seguida, Steve Marshall e Jed Simon na guitarra e ao fundo, na bateria, Joey Jordison
Banda Vimic:

Criada pelo ex-baterista do SlipknotJoey Jordison e com apenas um ano de existência, a banda norte-americana Vimic surge no cenário do Heavy metal, com ótima construção técnica, trazendo canções que grudam na sua cabeça como “My fate” e “Simple Skeletons”, demonstrando vocais brutos, riffs e solos pesados além da percussão excelente de Joey, mostrando sua recuperação após um longo período de recuperação de uma doença grave neurológica.
A banda é composta pelo baterista Joey Jordison (ex-Slipknot e ex-Scar the Martyr), nos vocais Kalen Chase Musmecci (ex-Korn), e ex membros do projeto Scar The Martyr: Jed Simon na guitarra, no baixo Kyle Konkiel  e Matt Tarach no teclado e, finalmente o reforço Steve Marshall (ex-Soulbleed) também na guitarra.

Kalen Chase saudando o público brasileiro.

Em sua performance, O Vimic mostrou um som agressivo e polido, animando o público com “Simple Skeletons” e “She sees everything”, presentes em seu primeiro álbum a estrear em breve. E aqueles que conheciam o Scar the Martyr performaram algumas músicas da antiga banda como “Dark Ages”. Mesmo tendo um som ótimo, no início do show foi percebido um pouco de distorção nos graves, provavelmente causado na equalização, porém isso duro por pouco tempo. Mesmo com este problema a banda entregou um excelente trabalho, onde podíamos sentir sua dedicação e energia, surpreendendo o público.

Dave Mustaine, frontman do Megadeth durante um solo.
Banda Megadeth:

Criado por Dave Mustaine e David Ellefson nos meados dos anos 1980, a banda norte-americana Megadeth, ícone do Thrash Metal e componente do Big four americano é influência de vários cantores e compositores de diferentes subgêneros do Heavy Metal, trazendo letras críticas sobre a sociedade, política e vícios e outros, mostrando sempre um peso e enorme qualidade técnica em suas composições, como “Hangar 18”, na qual apresenta 15 solos de guitarra, ou “Tornando of Souls” a qual apresenta um dos melhores solos de guitarra da história do Heavy Metal. Em seu novo álbum “Dystopia”, temos uma renovação de sua qualidade técnica, esperado por muitos fãs que desejavam composições de qualidade semelhantes ao álbum “Rust in Peace”, uma obra-prima da trajetória da banda.
Em seu show a banda demonstrou ao que veio, entregando elevada qualidade técnica, que se espera de seus integrantes, com ponto alto na performance de Kiko Loreiro, ex-Angra, o qual representou a habilidade, recurso e capacidade do músico brasileiro, sendo ovacionado no show. Além disso temos as performances de Ellefson e Mustaine que conduziram e entregaram um trabalho excepcional, e seu baterista Dirk Verbeuren mantendo o grupo coeso e pesado como sempre deve ser.
 A setlist foi muito bem escolhida trazendo inicialmente “Hangar 18”, “The Treat Is Real” e “Wake Up Dead”, encerrando com “Holy Wars... The Punishment Is Due”. E por fim, temos a performance do mascote da banda completando a cereja do bolo.

Momento emocionante do show do Megadeth em que Kiko Loureiro (esquerda) e Dave Mustaine (direita) realizam solo juntos. 

Sobre a Casa Vivo Rio:

A ideia da casa de trazer estas atrações foi magnífica, reforçando e revitalizando a dose necessária de Heavy Metal para os fãs do estilo. Contando com uma ótima segurança, muito bem preparada, pronta para lidar com situações fora do comum, sem gerar nenhum mal-estar para o cliente, a casa mostrou além disso com ótima limpeza e fácil acesso a banheiros e a bebidas. Contudo, pecou um pouco quanto ao som, devido a algumas músicas em que alguns instrumentos não sobressaírem bem devido a questão de equalização ou parecer “estourado” algumas músicas de abertura. Mas foi corrigido nas músicas seguintes das bandas.


Postar um comentário

Mais visitadas

Obrigada pela visita volte sempre!

Outras Postagens