16/05/2017

Crítica: Guardiões da Galáxia - Vol.2


   Neste final de semana eu assiste a sequência de um dos mais esperados filmes da Marvel para este ano, Guardiões da Galáxia Vol. 2, eu gostaria muito de compartilhar aqui o minha perspectiva sobre este filme que nos trás uma de várias historias das sensacionais Hqs da Marvel e sendo já uma sequência.





  O roteiro foi na minha opinião bem equilibrado, de forma que trouxe uma boa identificação com a interação mais a fundo de cada um dos personagens, os fortes laços que nutriram e as doses de comédia e drama que fazem que você saída no final com uma vontade de quero mais.
   Figurinos seguem sem muita alteração sobre o primeiro filme com a introdução de um colete com foguete e uma roupa
   A trilha sonora esta espetacular com músicas dos anos 70, lado B da sequencia da coletânea das músicas do Senhor das Estrelas deixada por sua mãe, e que arrebenta durante todo o filme, e como já foi divulgada on-line segue a lista:



  • "Mr. Blue Sky" — Electric Light Orchestra
  • "Fox on the Run" — Sweet
  • "Lake Shore Drive" — Aliotta Haynes Jeremiah
  • "The Chain" — Fleetwood Mac
  • "Bring It on Home to Me" — Sam Cooke
  • "Southern Nights" — Glen Campbell
  • "My Sweet Lord" — George Harrison
  • "Brandy (You're a Fine Girl)" — Looking Glass
  • "Come a Little Bit Closer" — Jay and the Americans
  • "Wham Bam Shang-a-Lang" — Silver
  • "Surrender" — Cheap Trick
  • "Father and Son" — Cat Stevens
  • "Flash Light" — Parliament
  • "Guardians Inferno" — The Sneepers feat. David Hasselhoff


  •    A Marvel estúdio não deixou por menos nos efeitos especiais, que estão fantásticos, e como assisti em 3D não deixou a desejar, com muitos efeitos de cores, luzes, composições digitais incríveis.

       Não houve alteração nenhuma nos atores do primeiro filme para a sequência, Dave Batista (Drax) foi o mais cômico de todos fazendo par cômico com Pom Klementieff (Mantis), me deixando muitas vezes com lagrimas nos olhos e a barriga doendo de tanto rir; Cris Pratt (Senhor das Estrelas) mostra toda a emoção e sinceridade de seus sentimentos ao interpretar as ligações com seus companheiros e sobre toda descoberta na emocionante cenas marcantes e emocionantes juntamente com Kurt Rusell (Ego, O Planeta) e Michael Rooker (Yondu) que vai deixar muitos aos prantos; Não posso deixar de falar do Groot que digitalmente foi o fofo e adorável baby Groot deixando todos como se tivessem olhando filhotinhos num petshop; Rocket e Yondu em uma relação de auto identificação entre-se e Zoë Saldaña (Gamorra) e Karen Gillian (Nebula) também nos emocionam com quando abrem seus corações mostrando os verdadeiros sentimentos familiar.

    De maneira geral o filme teve uma composição onde não deixou nada de fora nada para nos trazer uma torrente de emoções, satisfazendo toda uma ação, o desejo de explosões e combates, efeitos especiais incríveis e uma historia que satisfaz muitos amantes de Hqs e dos novos amantes dos Heróis Marvel.

    Puro Spoiler:

    Finalmente o Pai do Senhor das Estrelas aparece e ele é o Kurt Rusell


    Uma coisinha fofa fazendo cara de mau


    Postar um comentário

    Mais visitadas

    Obrigada pela visita volte sempre!

    Outras Postagens