16/02/2015

Resenha - Estilhaça-me


Titulo Original: Shatter Me

Titulo Traduzido: Estilhaça-me

Autora: Tahereh Mafi

Traduzido por: Robson Falchetti

Editora: Novo Conceito

Gênero: Ficção

Páginas: 304

Sinopse:
  Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

  Para amantes de poesia e dramas vão adora essa narrativa, Tahereh Mafi transporta seus leitores a um mundo devastado pela destruição humana e liderado por um grupo repressor.
   Nossa protagonista entra na trama como uma vítima, desde o momento do seu nascimento renegada pelos pais e trancafiada em uma cela por ter um toque mortal.264 dias sem nem ao menos falar ou ver alguém, a vida toda seus únicos amigos foram livros.
  Juliette se refugia em meios as palavras em seu diário.

"Não tenho nada senão um caderno e uma caneta quebrada e os números na cabeça para me fazer companhia. Uma janela. Quatro paredes. Espaço de 1,48 m2. Vinte e seis letras de um alfabeto do qual não fiz uso em 264 dias de isolamento
Seis mil, trezentas e trinta e seis horas desde que toquei outro ser humano."

  O que mais me surpreendeu na narrativa deste livro a forma em que a autora mistura a vivência da personagem e o desabafo da protagonista em seu diário. Temos a perceptiva dos acontecimentos e descrição das sensações, medos e tristeza de Juliette. Além de não estar acostumada a ver trechos de livros riscados que no início foi um choque, acabou sendo uma resposta criativa da autora de dar veracidade e personalidade a Juliette,diria que lendo Estilhaça-me é como se estivesse escrevendo um texto e quando não lhe agrada uma parte você risca e recomeça outra vez.

"— Você vai ganhar um companheiro de cela — disseram para mim.
— A gente espera que você apodreça neste lugar. Por bom comportamento — disseram para mim.— Outro psicótico igual a você. Acabou o isolamento — disseram para mim."

  Indico esse livro porque ele é diferente, atual e delicioso de ler. Nele temos a combinação perfeita entre suspense, drama, romance, guerras e poesias. Além de ser atual.

Postar um comentário

Mais visitadas

Obrigada pela visita volte sempre!

Outras Postagens