23/07/2017

Amiga de infância e Fieis escudeiras

by on 18:27


As vezes somos surpreendidos pelos caminhos que a vida toma. Saí da minha cidade natal deixando para trás a única amiga que conheci de verdade e em toda a minha vida. Nós eramos tão unidas que uma defendia a outra nas confusões e ainda bancávamos as enfermeiras quando uma se machucava brincando de pega. Sim, estou falando da minha primeira amiga de infância. Morávamos no mesmo prédio, só que em andares diferentes. Ela no décimo primeiro e eu no décimo segundo andar. Mesmo a diferença de idade não era um fator limitante. Eramos amigas e ponto final.


Hoje lembro com saudade da minha amiga de infância, uma singela garota de rabo de cavalo liso, com umas bochechas que davam vontade de apertar. Foi tão dolorosa a distância, ir para um lugar diferente, com um sotaque estranho e cultura completamente oposta da minha. Além de largar minhas colegas do jardim, que aprendi amar tanto quanto ela, mas nenhuma me fez tanta falta. Sentia saudade de chamar ela pela janela para irmos brincar, já que as janelas das salas dos apartamentos eram de frente uma para outra. Não gostávamos de usar o telefone, vivíamos nosso mundinho perfeito, pois tínhamos uma a outra. Mesmo que as vezes fomos incompreendidas por nossa relação, era tão perfeita. Ela precisava de mim eu estava lá e vice-versa, brigávamos as vezes, mas nunca durava muito tempo o problema, sempre resolvíamos e depois de dois dias começávamos a brincadeira novamente, como se nada tivesse acontecido.

Naquele momento que saí de Minas Gerais e vim morar de vez no Rio de Janeiro, aprendi o que era saudade e como eu era rica por te-lá sempre comigo. Se passaram anos, precisamente 18 anos e ainda tenho contato com ela. Claro, não é como era antes, mas reencontra-lá é como entrar no túnel do tempo. Aquela menina de 7 anos que deixou para trás o pão de queijo, o café moído na hora e amiguinha de 5 anos, além de toda uma história de amizade que eu nem lembro onde começou.

Da esquerda para direita: Fernanda Mariano, Deyse Silva e Djamila Farias


No Rio tive a oportunidade de conhecer uma menina maravilhosa que está na minha vida há 18 anos, foi a primeira amizade que fiz quando cheguei aqui. Eramos um grupo de quatro garotas e somente restou nós duas até os dias de juntas de grupo. Ela me ensinou que o corpo não é um limite, que mesmo sendo a menina gordinha que todos zoavam, ela teria um coração lindo. Sempre foi a fechada do grupo e até as vezes a mais ingênua, mas nunca perdeu sua essência. Ela era meu X-Tudão, nunca gordinha e sim uma negra linda com sorriso lindo, atentada em moda e o conjunto de tudo que há de bom. Nunca ouvi ela lamuriar que a vida era injusta ou que odiava suas curvas avantajadas. A pessoinha tem um tempero que atraia os boys dignos de capa de romance erótico, sendo que todos ébanos.


 Alguns anos depois, conheci uma menina mirradinha que se sentia excluída por ser a mais nova do grupo e que foi apresentada pela Fernanda ( minha atual X- Salada, ela tá magérrima né! Gostosa e saudável, mudei o apelido). Uma garotinha cheia de não me toques e apaixonada por um primo, que eu ouvi falar tanto que me irritava, e que a mãe tratava como um bibelô por ser a única menina que teve. Com ela aprendi que a mentira tem perna curta e que as vezes devemos perdoar por amor. A minha querida Docinho (Deyse), nesses 15 anos de amizade, me fez perceber que as vezes é melhor recuar para depois solucionar um problema.

Com essas duas mulheres que se tornaram meu apoio e eu o delas, comemoramos esse ano aniversário de 15 anos de amizade, como um trio, como amigas, além da coincidência de comemorarmos os aniversários juntas todos os anos, já que fazemos aniversario na mesma semana e em dias consecutivos. Com Fernanda e a Deyse tenho uma relação sincera e estável, na medida do possível, porque quando as piscianas se estressam é um porre, ainda sim nos amamos a nossa maneira. Elas serão e sempre vão ser minhas Fieis Escudeiras.



Por isso digo que amizade é algo tão valoroso que não saberia como quantificar. E amigos de infância são eternos sejam no coração ou na memoria.
Agora mulher de 26 anos, guardo isso como um tesouro no coração e na memoria. Minha melhor amiga de infância e primeira que tive, Mariana Freitas, um mulherão de respeito, que hoje é maior que euzinha e as minhas Fieis escudeiras, (nome que dei numa época em que não acreditava em amigos), que me salvam de meus momentos ruins com seus dramas e seus bons ouvidos.

E vocês, que tal me contarem um pouco sobre os apelidos dos amigos de vocês e da história da amizade que vocês fizeram? Vou adorar saber!

Patrocínio:


Todas as peças femininas usadas nas imagens, pertencem a loja Manu Sales. Você pode encontrar essas e outras peças no endereço abaixo:

Largo do Machado 29, 2°Piso, 258. 
Tel: (21) 2205476 
Instagram: @manusalesloja
Facebook: Manu Sales

22/07/2017

Compartilhe Amigos - Quem tem amigos, tem o MUNDO

by on 13:26

Um verdadeiro amigo a gente nunca esquece. Laços invisíveis nos unem além do espaço e da imaginação!

A confiança mútua e a cumplicidade nos aproximam, nos fazem perceber que as grandes verdades da vida estão escritas em letras maiúsculas dentro dos corações daqueles que temos a honras de chamar de AMIGOS.

Esteja longe ou perto, falem todos os dias ou não, o que vale é a cumplicidade de ser amigos, fazer amigos. E mante-los por perto é uma DÁDIVA PRECIOSA.

Amigo de verdade não te vê errar e ri, ele te dá dois tapas na cara e diz: Tô aqui, vamos consertar isso!

Trocamos cartas durante toda adolescência, trocamos confidências, colocamos apelidos nos crushs que, com certeza, eles não sabem. A reunião que demora para acontecer é sempre regada a gargalhadas e muita música! Mas sempre tentamos manter o contato entre a gente, mesmo que a vida insista em distanciar, mostramos que o sentimento e muito mais forte, e permanecemos ali juntos, para sem

Patrocínio:


Todas as peças femininas usadas nas imagens, pertecem a loja Manu Sales. Você pode encontrar essas e outras peças no endereço abaixo:

Largo do Machado 29, 2°Piso, 258. 
Tel: (21) 2205476 
Instagram: @manusalesloja
Facebook: Manu Sales

20/07/2017

Compartilhe Amigos - Uma Carta Para Minhas Amigas

by on 20:11


Não sei quanto tempo passei olhando para a folha em branco do word, mas sei que foi muito. São 02hrs:30m da manhã, e percebi pela primeira vez, que nunca havia escrito nada para vocês ou sobre vocês, e pela primeira vez vocês seriam o motivo dos meus textos.

Lembrar de dez anos é difícil! Mas eu ainda lembro das sensações, desde da primeira à última, a sensação de ter medo ao enfrentar todo um mundo novo que decidiram me apresentar. Afinal, que criança não teria medo de enfrentar algo novo sem conhecer nada e ninguém, e foi aí que vocês começaram a fazer diferença.

Se eu fosse contar o que eu achei de cada uma, talvez desse uma folha enorme, com as características na qual a minha mente insana criou sobre vocês na hora, mas depois descobri o quão errado eu estava e que talvez eu não pudesse fugir do destino, aliás nenhum de nós três podia fugir dele.

As coisas aconteceram gradativamente.Primeiro foi um “oi” depois foi as conversas sobre os gostos, e no fim descobrimos que mesmo sendo um pouquinho incompatíveis, de certa forma completávamos um belo trio, aí que toda “merda” aconteceu.

Depois veio os apelidos carinhosos, as visitas em casa aonde acabamos adotando a mãe um do outro, e as confidências. Descobrimos também que poderíamos falar de tudo um para o outro, desde o quão chata a nossa vida de criança estava, até sobre o garoto bonitinho da escola que hoje não achamos mais tão bonito assim.

E o tempo foi passando... Nós fomos crescendo, e mesmo com as responsabilidades crescendo junto conosco, ainda continuamos sendo aquelas três pessoas que torcem um pelo outro, como na época da escola que o maior desejo era no próximo ano continuar juntos e cometer as mesmas travessuras em sala de aula.

Acho que até hoje não agradeci por tudo o que passei ao lado de vocês.Pelas vezes que pessoas cruéis tentaram me colocar pra baixo, e vocês estavam lá para enfrentar todas aqueles dragões comigo me mostrando que independente de qualquer coisa, eu poderia ser quem eu tivesse vontade de ser e nunca perderia o carinho de vocês.

Amizade e isso né, vocês me mostraram com todos esses anos, com todas as lágrimas que compartilhamos, tristezas que contamos e alegrias que dividimos. A melhor parte disso tudo e imaginar que daqui a alguns anos vou ter tanta história que talvez uma folha no word não seja possível de suportar, mas por enquanto, quero continuar escrevendo mais momento pelas areias da vida junto com vocês, e sempre com vocês.

Para Camila e Carolina,
Obrigado por me fazer enxergar o verdadeiro valor da amizade.


Realização: 



17/07/2017

Porque eu sou você, e tenho raiva disso!

by on 18:56
Viver com você é dificil! Tentar retirar todas as suas manias, evitando que você faça coisas que no fundo iram te machucar tão profundamente, que mesmo sendo culpa sua, eu também acabaria sofrendo essa dor.

A forma impulsiva que você faz as coisas, isso me dá nos nervos! Mas você sempre repete as mesma atitudes, me restando apenas tentar te fazer enxergar o que está de errado, mas parece que você não encontra.

Já pensou o quanto isso dói? Acho que sei a resposta, mas sempre adio o inevitavel. Porque lá no fundo tenho a esperança de dias melhores, que estou começando acreditar que não passam de uma mera fantasia que nós dois criamos, dessa vez a culpa também e minha.

Culpa de não ver que nada acontece do dia para a noite, que tudo acontece gradativamente. Que a cada vez que me martirizo tentando apressar a vida, ela me machuca, porque como sempre tenho a mania de colocar a culpa em você.

Mas você e também culpado! Por perceber que sou ingênuo ao ponto de viver algo assim, de entrar em algo sem me dá conta do quanto vou sair ferido, não percebendo que o caminho no qual escolhi foi o da dor e agora não sei como me livrar!

12/07/2017

Resenha : Apaixonada por você. A.C. Meyer

by on 18:14


Depois da apaixonante história de Julie e Danny, o segundo livro é sobre Zach e Johanna, um casal que conseguiu se manter em sigilo por muito tempo.

Inclusive de George, personagem que tem grande destaque nessa edição, já que tem alguns capítulos sendo narrados por ele. E para quem é fã da série e tem um carinho especial pelo George. Vai amar esse volume da série.

Johanna se vê intimada à assumir a relação com o "Sr Delícia". O caso dos dois dá sinais de vida no primeiro livro Louca por Você, quando Johanna fica com seu ar de mistério em várias ocasiões quando o assunto relacionamento chega a destaque em seus diálogos com outros personagens. Finalmente todo mistério será revelado sobre ela!


Jo é uma jovem e linda advogada, muito séria e centrada no seu trabalho - que envolve administrar e gerenciar os interesses de famosos.

Sua vida sai da rotina quando ela tem a oportunidade de conhecer o melhor amigo e sócio de Danny, seu irmão ciumento. Os dois se encontram numa festa de um amigo em comum e tem a chance de conversar a sós, o que resulta no inicio de uma linda história de amor!

Só que Zack não é aquele homem dócil e fácil de manipular como ela está acostumada. Em pouco tempo ele se mostra um dominador, um homem que gosta de ter controle sobre tudo. Zack é daqueles que com um sorriso faz qualquer mulher perguntar "que altura?", se ele pedir pra pular!
E nesse jogo de sedução em que os dois sentem que alguém tem que ceder.

“– Jo, o que você sente por mim? – pergunto de forma incisiva. Já que eu tinha que colocá-la contra a parede, queria tudo.– O que eu sinto? Como assim, Zach? Não quero conversar sobre isso agora. Vamos voltar pra cama. – Ela tenta ganhar tempo, mas não vai conseguir me enrolar.– Não vamos voltar pra cama, Jo. A gente não conversa. Tudo a gente resolve na cama. Chega! Agora quero saber o que você sente. Você me ama? Você gosta de mim? Só sente tesão?”

Com o passar do tempo, o Thor, dono do martelo, como diria George, põe sua amada contra parede.

Quem mandou ela se envolver com nada menos que o melhor amigo do seu ciumento irmão Danny boy?
Eu li em uma noite de tão gostoso que é a história de Zack e Jo. George rouba a cena sempre, sendo o mais cativante de toda a série After Dark.
O segundo livro tá muito bem dosado, é hot e não é. Tem doses leves de romance, tem a perspectiva de cada um dos personagens. Me emocionei e dei risadas em vários momentos em que lia a história.
Todo o grupo do After Dark está em peso no livro, o que aumenta a vontade de ler rapidamente e saber como estão Julie e Danny (menino ou menina)?
A autora arrasou nos detalhes, sem deixar nada pra trás! Tudo se encaixa perfeitamente e nos deixa com aquela saudade quando viramos a última página!

Aguardando After Dark #3




10/07/2017

Resenha: Os Paradigmas de Amy - Alexia Road

by on 19:34

Amy Bennett, uma linda mulher que vive cidade onde os valores e os costumes continuam como antigamente, sonha em ser livre.

Uma cidade pacata, um namoro que rapidamente evolui para o matrimônio. Mark parecia um príncipe, respeitado, atencioso, o herdeiro mais poderoso de uma cidade pacata. A primeira vista parece uma daquelas histórias com final feliz, mas não foi bem assim.

A autora, Alexia Road, magistralmente vai tecendo os fios de algo muito pior, que representa a realidade de muitas outras mulheres do Brasil e fora. Vemos a vida humilde uma jovem mulher de 18 anos se transformar em algo assustador, onde o desespero, a humilhação, a violência doméstica e a dor foi o que ela encontrou ao se casar.


 Seu marido Mark faz de tudo para causar dano à autoestima, à identidade e ao desenvolvimento de Amy, incluindo insultos constantes, humilhação, desvalorização.

Mesmo assim, Amy ainfa tinha algo em si. O empoderamento*.

Esse é um livro que homens e mulheres deviam ler, é uma lição de vida, um exemplo que, mesmo diante do maior pesadelo, devemos acreditar que podemos supera-lo, mantendo-nos firmes aos nossos ideais de vida, de ser feliz e que quase sempre essa felicidade só pode ser conquistada por nós mesmos, quando resolvemos tomar a nossa vida pela nossa próprias mãos, definindo o rumo que nós queremos para ela.

(*)EMPODERAR: é um verbo que se refere ao ato de dar ou conceder poder para si próprio ou para outrem. A partir do seu sentido figurado, empoderar representa a ação de atribuir domínio ou poder sobre determinada situação, condição ou característica.



30/06/2017

Graphic Novels - Editora Nemo

by on 14:58

No dia 18 de maio (sim, eu demorei um pouco para escrever essa matéria), tivemos uma tarde com a galera do Grupo Autêntica para conhecer as Graphic Novels ou Novelas gráficos da Editora Nemo.Sinceramente, desconhecia o termo, novelas gráficas. Porém conheço o estilo de história, já que amo quadrinhos.

Não é uma especialidade minha esse estilo, já que sou leitora assídua de mangás e HQ's, por isso esse encontro foi tão especial. Tive a oportunidade de conhecer diversos títulos publicados no Brasil e no mundo, pelo apaixonado e adorador deste estilo, PH do site Tu já viu. Foi enriquecedor todo o conhecimento que ele possui sobre o tema e que com um carinho todo especial nos passou um pouco deste conhecimento. Foi como entra no túnel do tempo e relembrar os clássicos da minha infância e dos meus pais. Além de saber fatos curiosos sobre títulos que não tive oportunidade de conhecer.

Com certeza vocês devem está se perguntando o que é uma Novela Gráfica? Qual é a aparência?
É uma explicação bem complexa na minha opinião porque ,devesse analisar varias questões caso você já leia algum tipo de quadrinho. Então tentarei ser o mais clara possível na explicação. Caso você seja um novato e nunca tenha lido quadrinhos ou acredita que é leitura para crianças, sinto lhe informar, mas você está errado. Há quadrinhos adultos, e as novelas gráficas estão nesse nicho especifico. São quadrinhos com temas adultos, como sexo, interações familiares,suicídio, depressão, guerras, entre outros.

A leitura é diferente e bem fácil de ler, já que você tem ilustrações e diálogos em toda a publicação. Não senti muita diferença nas temáticas se for compara com os mangás adultos que costumo ler nos estilos Josei e Seinen. Caso queira saber sobre esses estilos clique aqui!
Sobre os traço dos quadrinhos, alguns tem como referencia os mangás e são em preto e branco,já outros lembram os traços das HQ's,mas não há uma padronagem cada artista tem sua referência e estilo.

Sou chata com os traços dos mangás e dos manhwas( quadrinhos coreanos, lembram muitíssimo os mangás japoneses) que leio, gosto de traços limpos e delicados, com uma riqueza de detalhes e um enredo interessante. Então claro que vão ter alguns que não me chamarão a atenção.
Mas pra finalizar, recebi duas graphics novels da Editora, que espero resenhar logo aqui para vocês, futuramente volto para contar para vocês como foi a minha experiência com os livros.




Mais visitadas

Obrigada pela visita volte sempre!

Outras Postagens