20/10/2018

by on 13:00




Oficina de Alquimétricos

Oficina Fabulosa Fábrica de Brinquedos


Tecnologia é assunto para todo mundo. Entre 2 e 4 de novembro, a Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, vai receber o HACKTUDO - Festival de Cultural Digital, megaevento, com entrada gratuita, que reúne desenvolvedores, designers, geeks, profissionais ou simplesmente interessados pelo mundo da tecnologia. 






Exposição No Céu da Placa Mãe
O destaque para o mercado é o HackConference, painéis e debates relacionados às áreas de tecnologia e empreendedorismo digital divididos por assuntos: HackTech (soluções digitais); HackLife (transformação digital), HackThink (a tecnologia nas nossas vidas) e Varandas ITS (de soluções digitais para problemas sociais). Representantes de empresas como OLX, Mercado Livre, Nubank, iFood, Catho, 99, Estante Virtual, Ingresso.com, Stone, Nibo, Descomplia, entre outros, participam das conferências. 


Arena de Robôs - hockey




Na programação estão também maratonas de programação e de desenvolvimento de games com 36 horas e 48 horas consecutivas de duração, respectivamente, que premiam os projetos mais inovadores e com prêmios que somam R$ 40 mil; oficinas criativas de robótica, drones, foguetes e de desenvolvimento de aplicativos para crianças e jovens; competição de esportes eletrônicos; arenas com batalhas e corridas de drones e de robôs; feira de inovação e de oportunidades, entre outras atrações. Quem não quiser perder um minuto do HACKTUDO, pode ainda acampar na Cidade das Artes, onde há uma área com estrutura para mais de 300 pessoas.

Oficina de drones


A expectativa é de 3 mil visitantes por dia. O HACKTUDO é uma idealização do professor Luis Felipe Carvalho (PUC-Rio), do engenheiro de computação André Simões (Passei Direto) e do produtor cultural Miguel Colker (Araucária).






HACKPUC - Festival de Cultura Digital
Dias: de 2 a 4 de novembro - sexta e sábado das 10h às 21h | Domingo das 10h às 18h
Local: Cidade das Artes - Av. das Américas, 5300 - Barra da Tijuca
Entrada Gratuita - Censura Livre




Programação completa: www.hacktudo.com.br | @hacktudofestival

Clique aqui e confira nosso teaser e conheça um pouco mais sobre o evento.



ACESSE TAMBÉM NOSSAS REDES SOCIAIS:

                                                     FACEBOOK: Desconexão Leitura

19/10/2018

[Dança] Espetáculo BRuTAL estreia no Rio e traz o conceito de “estética do desequilíbrio" > 20 e 21 de outubro no Teatro Cacilda Becker

by on 10:00



: Paulo Emílio Azevedo estreia sua nova criação no Teatro Cacilda Becker :

Espetáculo BRuTAL segue o conceito de “estética do desequilíbrio




“Condenar a diferença  por meio do estigma é brutal”. É com essa sentença que o criador Paulo Emílio Azevedo orientou a construção de seu mais novo projeto em dança para a Cia Gente: “BRuTAL” tem estreia marcada para os dias 20 e 21 de outubro no Teatro Cacilda Becker, na cidade do Rio de Janeiro.

De fato, Paulo parece não querer definir se se trata ou não de um espetáculo de dança ou não; ele sabe que ela está lá – prefere, dessa maneira, falar em corpo, som, silêncio, palavra. A forma de compor para Paulo é como se estivesse escrevendo um roteiro de filme ou uma instalação literária; talvez esteja aí seu diferencial, mas também como ele mesmo ressalta “a armadilha” que cria para si mesmo e seu elenco.

Interpretado (ou vivido) por seis grande intérprete (Amanda Gouveia, Lucas Fonseca, Lucas Graças, Pedro Brum, Salasar Jr e Zulu Gregório), assistência de Paula Lopes e direção técnica de Filipe Itagiba, “BRuTAL” dá continuidade ao conceito refletido pelo autor que denominou de “estética do desequilíbrio”. Depois das provocações lançadas em “mÒdio” (2015) que inclusive faz dobradinha de apresentação com “BRuTAL” no dia 21 (domingo), Paulo compreende o “corpo” como ferramenta ou gramática política não formal a lançar outras luzes sobre determinados eventos e fenômenos sociais. Em “BRuTAL”, pode-se dizer que todas as dificuldades transcorridas no processo de criação são também elementos à composição – “se um intérprete chega primeiro que outro na sala de ensaio e que este não pôde vir por diferentes motivos, vou começar o dia com um solo. Esse solo pode outrora ser a parte mais elogiada”, conta Paulo. Mais que isso, cabe situar que “BRuTAL” foi produzido sem quaisquer verbas de natureza pública ou privada e nem propina, cutuca o autor.

Na obra em destaque, chama-se a devida atenção para determinados efeitos estéticos que permeiam a inscrição subjetiva daquele que é considerado desviante da média. Aparecendo na caracterização de monstro ou gente tóxica, incide sobre o mesmo o reflexo de uma dada miopia social. Desse modo o conceito de “fragmentação” é central no processo e atravessa a escolha pelo figurino, pela trilha musical, cenário; enfim pela ambiência, movimentação e escritura coreográfica que de modo geral rege a cena. Em “BRuTAL”, reflete-se sobre a negação do outro por conveniência do padrão quando então a mesma autoriza (sutilmente ou não) diferentes formas de chacinas como parte da paisagem do cotidiano. Em contraponto, aparece a arte como possibilidade a atuar na desinstitucionalização dessas forças. Paulo acredita que é nessa brecha que o corpo entra. Pare ele, o corpo é o penetra da festa ou o próprio vírus para fazer o mecanismo entrar em colapso – sua dança traz desequilíbrios; trans movimento a borrar os ideais estéticos da “pureza”. Em contracena, eis o anormal.



Ficha Técnica:
Criação: PAULO EMÍLIO AZEVEDO
Intérpretes-criadores: AMANDA GOUVÊIA, LUCAS FONSECA, LUCAS GRAÇAS, PEDRO H. BRUM, SALASAR JR. e ZULU GREGÓRIO
Assistente de direção: PAULA LOPES
Direção técnica: FILIPE ITAGIBA
Desenho de luz: CRISTIANO SILVA
Preparação corporal: JOÃO CARLOS SILVA
Produção: BEATRIZ TORRES


Serviço
BRuTAL
Serviço
Teatro Cacilda Becker: Rua do Catete, 338 - Largo do Machado , Rio de Janeiro 
Dia 20, às 20h 
Dia 21 às 19h
Valor R$ 20,00
Classificação: 16 anos

TEMPO_FESTIVAL 2018

by on 06:00

A partir desta sexta-feira, dia 19, o TEMPO_FESTIVAL está PRESENTE!
da Praia de Copacabana às ruínas do Teatro Villa-Lobos




Um dos mais importantes festivais internacionais do país, e o principal de artes cênicas do Rio de Janeiro, o TEMPO_FESTIVAL chega em 2018 à sua 9ª edição, de 19 a 28 de outubro. Neste ano, os curadoresBia JunqueiraCesar Augusto e Márcia Dias apresentam trabalhos que espelham o AGORA, como ato de reflexão sobre permanecer presente na frágil cena cultural do Rio de Janeiro. Com participantes de nove países (Brasil, França, Uruguai, México, Colômbia, Polônia, Croácia, Suíça e Alemanha), o festival ativa o foco curatorial TEMPO_FESTIVAL: PRESENTE! Os cariocas serão convidados a vivenciar e construir uma relação poética com a cidade, interagindo com uma instalação-performance na praia de Copacabana, participando de residências artísticas e atividades formativas, assistindo a peças teatrais, processos, performances nacionais e internacionais que têm se destacado ao redor do mundo.

“Neste campo de instabilidade e luta, o TEMPO_FESTIVAL permanece PRESENTE. Em um jogo constante de forças, busca expandir-se, superar-se e juntar-se a outras forças, ocupando territórios deexperimentação, de liberdade, de incerteza e de transformação, diz Márcia Dias. Bia Junqueira completa: “O público vai entrar em contato com territórios subjetivos, simbólicos e espaciais. E, assim, constatar e pensar o presente - que contém passado e futuro. Obras que representam nossas dualidades: desejos e anseios obscuros, assim como nossa necessidade de afeto, de expansão, de equilíbrio, de diálogo. O TEMPO da escolha, do movimento, é o PRESENTE.”

Cesar Augusto ressalta que “apesar de a cultura estar extremamente fragilizada, o festival conseguiu apoios e parcerias de fundos internacionais. Assim, conseguimos engajar muitas pessoas e trazer uma programação internacional de qualidade, de diversos países, com três espetáculos da América Latina. Vamos apresentar no Studio Cabaret Voltaire mais de 20 projetos artísticos do RJ, SP e MG,  além de 2 artistas suíços convidados. Transformamos o TEMPO_FESTIVAL presente, potente, criando possibilidades para um futuro melhor, mais promissor, apesar de todo esse cenário político-cultural que estamos atravessando.”

“Abrir o Festival Internacional da Cidade do Rio de Janeiro num dos pontos turísticos mais famosos do mundo, a praia de Copacabana, e encerrar nas ruínas do Teatro Villa-Lobos, no dia das eleições do segundo turno, é fazer o TEMPO_FESTIVAL: Presente! O espetáculo a única coisa que necessita uma grande atriz é uma grande obra e vontade de vencer, do México, nos diz que a única saída aparente é o teatro, e assim damos luz e foco ao Teatro Villa Lobos, com o objetivo de torná-lo ‘vivo’ para que possa ser devolvido para a nossa cidade. Com a instalação-performance a praia e o tempo, criamos uma ponte entre Brasil e a França, e o TEMPO_FESTIVAL estará presente na França em 2019, diz Márcia Dias.

O TEMPO_FESTIVAL acontece em oito diferentes espaços: Praia de Copacabana, Oi Futuro, EAV - Parque Lage, Casa FIRJAN, SESC Copacabana, Sede das Cias, Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto e as ruínas do Teatro Villa-Lobos, que está desativado desde que pegou fogo, em 2011.



ABERTURA - PRAIA DE COPACABANA

A abertura do TEMPO_FESTIVAL 2018, no dia 19 de outubro, vai transformar as areias de Copacabana em palco e elemento cenográfico, com sua primeira instalação urbana, a praia e o tempo, do premiado arquiteto e artista carioca Pedro Varella. A instalação acontece a partir da inserção de uma grande estrutura quadrilátera de 30 x 30 metros e 50 cm de altura, que demarcará a área de trabalho.  “A praia é o lugar de ócio, de trabalho, de encontros, da sexualidade, da repressão, do sono, do jogo, do sol e de mais. Território da instabilidade, da transformação e da incerteza. Seu solo de areia fina se forma e deforma ao gosto do tempo e em função dos desejos. Uma pessoa ou várias? O cruzamento das pegadas nos confunde, indica múltiplas possibilidades, hipóteses que ocupam o imaginário e desafiam a previsão. Passa o dia, o vento e a maré para que, ao amanhecer, o território se faça disponível novamente, sempre aberto ao que virá. A praia faz pensar sobre o tempo, sobre uma forma de ser e deixar de ser”, diz Varella.

A partir do movimento da areia e da água – que, reposicionadas, farão surgir uma nova paisagem topográfica – um novo cenário que se transformará gradualmente ao longo do festival, servindo também como plataforma para a intervenção da coreógrafa francesa Julie Desprairies. A artista apresenta uma performance especialmente criada para interagir com a obra. Pedro Varella e Julie Desprairies participam do Programa Residência Artística Cruzada, do Instituto Francês do Brasil, que acontece em 2018 durante o TEMPO_FESTIVAL, e em 2019 na França. 

STUDIO CABARET VOLTAIRE

Um dos destaques desta edição é o Studio Cabaret Voltaire, inspirado na casa homônima de Zurique, na Suíça, que foi berço Dadaísmo nos anos 1920. A atmosfera criativa do famoso espaço será a inspiração para o evento que ocupará o teatro, na varanda e no café do Centro Cultural Oi Futuro, com peças performativas de artistas brasileiros e suíços. Para colocar tais peças em estado de diálogo, Jefferson Miranda, diretor da Cia Teatro Autônomo (em atividade de 1989 a 2013), coordenou o período de imersão criadora com 19 artistas de diferentes áreas – artes visuais, dança, performance, poesia, música e teatro – selecionados a partir de uma convocatória feita pelo TEMPO.

O Studio Cabaret acontece declaradamente como uma celebração à vida, quando tudo parece atentar contra ela. Uma celebração que não vem apontar soluções, caminhos; mas, como no Cabaret Voltaire dadaísta, diz sim de uma urgência: nascer. Concordemos com Wally Salomão: nascer não é antes!”, declara Jefferson Miranda, que mora em Londres e vem ao Brasil especialmente para o TEMPO_FESTIVAL.

Conduzido pelas provocações de Jefferson Miranda, o Studio Cabaret Voltaire apresenta as propostas individuais de trabalho de cada artista, em clima de cabaré filosófico e de celebração. O diretor do CabaretVoltaire na Suíça, Adrian Notz, já confirmou presença no TEMPO_FESTIVAL. Produzido com identidade própria, o conteúdo audiovisual elaborado a partir das apresentações ficará disponível na internet, após o festival, na plataforma TEMPO_CONTÍNUO.

“O Studio Cabaret Voltaire faz um paralelo - em relação a valores e comportamento - entre a época em que vivemos e a época do surgimento do Dadaísmo e de outros movimentos que se seguiram, que buscavam novas formas potentes de expressão, de falar e de lidar com a realidade”, explica Bia Junqueira.

FOCO - SERGIO BLANCO

No dia 20, a pré-estreia carioca do monólogo A ira de Narciso – com Gilberto Gawronski em cena e direção de Yara de Novaes – no teatro do Oi Futuro é um dos três espetáculos que o festival apresenta com texto do consagrado dramaturgo e diretor franco-uruguaio Sergio Blanco. O público começa como ouvinte de uma palestra sobre violência e literatura. Na medida em que o espetáculo avança, a plateia percebe que a conferência vai além do tema em si, apresentando a forma íntima com que o autor tem vivido a violência literária, padecendo de sua dor e tormento, e ao mesmo tempo experimentando-a com deleite. Gawronski foi indicado como Melhor Ator nos prêmios Shell e Aplauso Brasil pela peça, que teve indicações em outras categorias.

Também são de Sergio Blanco Kassandra, na montagem do grupo colombiano La Maldita Vanidad, no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, e As flores do mal ou a celebração da violência, seu mais recente texto – um espetáculo-conferência no qual Blanco se coloca em cena, no SESC Copacabana.

O ponto de partida de Kassandra é a personagem (interpretada pela atriz Ella Becerra), que na mitologia grega foi uma princesa de Troia que recebeu de Apolo o dom da profecia e depois amaldiçoada e condenada a jamais ter suas previsões acreditadas por qualquer pessoa, por rejeitar o seu amor. O texto, que traz a história de Cassandra para os tempos atuais, foi escrito num inglês rudimentar próprio aos imigrantes – e é encenado obrigatoriamente neste “idioma”, uma linguagem de sobrevivência. A peça já teve diversas montagens, sendo esta da companhia La Maldita Vanidad considerada uma das melhores e a preferida do autor. 

Sergio Blanco escreveu, dirige e atua em As flores do mal ou a celebração da violência, de 2018, que segue a linha de autoficção sobre a qual o dramaturgo vem se debruçando. Circulando por um ambiente que evoca um escritório, ele está em cena, sozinho, em um espetáculo concebido em forma de conferência, no qual aborda a relação entre a violência e a literatura.


MOSTRA IBERESCENA

Selecionado pelo programa de cooperação íbero-americana para as artes cênicas IBERESCENA, o TEMPO_FESTIVAL apresenta, como parte da programação deste ano, a Mostra IBERESCENA que, além deKassandra e As flores do mal ou a celebração da violência (ambas de autoria de Sergio Blanco) inclui o espetáculo de encerramento do festival, A única coisa que necessita uma grande atriz é uma grande obra e vontade de vencer, da companhia mexicana Vaca 35 Teatro en Grupo. Inspirada no clássico As criadas, de Jean Genet, a peça será encenada nos dias 26, 27 e 28 (dia das eleições do segundo turno) nas ruínas do desativado Teatro Villa-Lobos.


CAVEMUSIC Discotecagem somática para pessoas horizontais

Cavemusic é uma performance musical que será conduzida e realizada ao vivo por Baba Electronica – alterego de Daniela Bershan (Alemanha), na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Em busca de um diálogo com o público e de um exercício de intimidade e afeto coletivos, a performance da artista e DJ investiga e trabalha a coletividade. O público é convidado a ficar na horizontal – em colchões e travesseiros – para, confortavelmente, experimentar encontros afetivos e processos sensoriais durante a performance, sempre ligada a “práticas não-sexuais”, como define a artista. A pista de dança é uma forma de observar e compreender os corpos em movimento, em transição, em constante trânsito entre gêneros, expressões e formas. Sampleando e sendo sampleada, ela disseca coreografias e partituras sonoras para, assim, tornar tangível o modo como elas operam. A performance percorre toda a noite e, depois de dormir, o público se reúne para um café da manhã.


ESPAÇO CULTURAL MUNICIPAL SÉRGIO PORTO 

Além do espetáculo Kassandra, o espaço no Humaitá será palco de três processos nacionais: Vácuo (do Coletivo Køsmos)Três maneiras de tocar no assunto (com texto e atuação de Leonardo Netto e direção de Fabiano de Freitas) e Versão demo (com texto e atuação de Tairone Vale e direção de Rodrigo Portella). O público também poderá assistir aos vídeos inéditos da segunda temporada do projeto Ato e efeito– do jornalista e crítico teatral Rafael Teixeira e dos filmmakers Fernando Neumayer e Luís Martino) – que exalta as artes cênicas em uma abordagem audiovisual. Diante das câmeras, atores e atrizes interpretam personagens emblemáticos, tendo por base apenas a leitura de trechos do próprio texto, diretamente do papel: Adassa Martins (Prometeu, de Prometeu Acorrentado, de Ésquilo), Bianca Byington(Mabel Chiltern, de O Marido Ideal, de Oscar Wilde), Bruce Gomlevsky (Shylock, de O Mercador de Veneza, de Shakespeare), Cesar Augusto (Dr. Stockmann, de O Inimigo do Povo, de Henrik Ibsen), Débora Falabella (Trofimov, de O Jardim das Cerejeiras, de Anton Tchekhov), Fabio Porchat (Piótr Ivánovitch Bóbtchinski, de O Inspetor Geral, de Nicolai Gógol), Gilberto Gawronski (Hêmon, de Antígona, de Sófocles),Inez Viana (Medeia, de Medeia, de Eurípedes), Kelzy Ecard (Nina, de A Gaivota, de Anton Tchekhov), Lázaro Ramos (Iago, de Otelo, de Shakespeare) e Marcos Caruso (Teteriev, de Pequeno-Burgueses, de Máximo Gorki).


PAINEL IBERESCENA

O programa íbero-americano também é assunto de um painel no Sérgio Porto, que contará com a participação de Marcelo Allasino, presidente do conselho intergovernamental do IBERESCENA, de Fabiano Carneiro, responsável pelo programa na FUNARTE e de um representante do Núcleo de Festivais Internacionais de Artes Cênicas do Brasil.


INTERNACIONALIZAÇÃO DAS ARTES CÊNICAS

Promover a internacionalização das artes cênicas brasileiras é uma das metas do TEMPO_FESTIVAL, que busca inovar através da partilha de técnicas de análise dos possíveis mercados, mapeamento de festivais e de caminhos e estratégias para chegar a produtores e programadores estrangeiros e, consequentemente, a plateias internacionais. Neste ano, o festival recebe a diretora de teatro croata Iva Horvat, fundadora da agência Art Republic, voltada para gestão na área artística. Especializada em capacitar artistas, produtores, empreendedores e curadores a desenvolver planos de internacionalização para espetáculos, ela apresenta, gratuitamente,  no dia 22 de outubro, uma conferência inovadora, na qual compartilha com o público o seu olhar sobre planos de internacionalização das artes cênicas. Em seguida, de 23 a 27, ela ministra uma oficina, sob seleção prévia, via convocatória no site do festival, na qual pretende desenvolver um plano estratégico personalizado para cada participante, relacionado à internacionalização de seu projeto e sua projeção no mercado.


RESIDÊNCIA ARTÍSTICA – ANNA KARASIŃSKA

A diretora, cineasta, roteirista e filósofa polonesa Anna Karasińska retorna ao TEMPO_FESTIVAL dois anos depois da apresentação da aclamada peça Ewelina´s crying. Agora, vai conduzir uma residência artística, entre 14 e 23 de outubro, e uma apresentação do resultado aberta ao público, no dia 24 de outubro, na Sede das Cias, na Lapa. Para a residência, Anna propõe a quebra de ideias pré-formatadas, em um processo com ações de improvisação e tarefas coreográficas que reunirá artistas do teatro e da dança. Tendo em consideração o momento em que se desenrola a residência artística, pode-se esperar que o material surgido durante a oficina ou resultante dela se refira à situação política e cultural atual. “A mim interessa muito investigar a forma como os brasileiros, histórica e atualmente, percebem a si próprios através de narrativas que vêm de fora, tanto no sentido territorial quanto cultural, e como isso condiciona suas decisões e capacidades”, diz a artista. Ou, também segundo ela, pode ser que a apresentação resulte em uma história sobre a própria residência.



ESPAÇOS E ATRAÇÕES DO TEMPO_FESTIVAL 2018:

Praia de Copacabana (Posto 2) - A praia e o tempo
Oi Futuro (Rua Dois de Dezembro, 63 - Flamengo) - A ira de Narciso e Studio Cabaret Voltaire
EAV Parque Lage (Rua Jardim Botânico, 414 - Jardim Botânico) - Cavemusic
Casa FIRJAN (Rua Guilhermina Guinle, 211 - Botafogo) - Internacionalização de Projetos Artísticos e Culturais
SESC Copacabana (Rua Domingos Ferreira, 160 - Copacabana) - As flores do mal ou a celebração da violência / Las flores del mal o la celebración de la violencia
Sede das Cias (Rua Manoel Carneiro, 12 - Lapa - Escadaria do Selarón) - Residência Artística com Anna Karasińska
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto (Rua Humaitá, 163 - Humaitá) - Ato e Efeito, Painel Iberescena, Kassandra e processos nacionais: Vácuo, Três Maneiras de Tocar no Assunto e Versão Demo
Teatro Villa-Lobos – Espaço I (Avenida Princesa Isabel, 440 - Copacabana) - A única coisa que necessita uma grande atriz é uma grande obra e vontade de vencer / Lo unico que necesita una gran actriz es una gran obra y las ganas de triunfar


SERVIÇO COMPLETO – TEMPO_FESTIVAL 2018

A PRAIA E O TEMPO
Praia de Copacabana
Endereço: Posto 2
De 19 a 28 de outubro
Horários: Dia 19, às 21h / Sábados e Domingos, às 17h / Segunda a Sexta, às 19h
Entrada Gratuita
Classificação Indicativa: Livre


A IRA DE NARCISO
Oi Futuro (Teatro)
Endereço: Rua Dois de Dezembro, 63 - Flamengo
Telefone: (21) 3131-3060
Capacidade: 62 lugares
Dias: 20 e 21 de outubro
Horário: 20h
Duração: 100 minutos
Valor: R$30,00 (inteira) | R$15,00 (meia)
Classificação indicativa: 18 anos


STUDIO CABARET VOLTAIRE
Oi Futuro (Teatro, café e varanda)
Endereço: Rua Dois de Dezembro, 63 - Flamengo
Telefone: (21) 3131-3060
Capacidade: 62 lugares
Dias: 26 e 27 de outubro
Horário: 19h
Duração: 4h
Valor: R$30,00 (inteira) | R$15,00 (meia)
Classificação indicativa: 18 anos


ATO E EFEITO 2
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto (Galeria 01)
Endereço: Rua Humaitá, 163 - Humaitá
Telefone: (21) 2535-3846
Capacidade: 35 lugares
Dias: 25, 26, 27 e 28 de outubro
Horário: 18h (Exibição em looping)
Entrada Gratuita
Classificação indicativa: Livre


PAINEL IBERESCENA
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto (Galeria 02)
Endereço: Rua Humaitá, 163 - Humaitá
Telefone: (21) 2535-3846
Capacidade: 20 lugares
Dia: 25 de outubro
Horário: 18h
Duração: 90 minutos
Entrada Gratuita – distribuição de senhas 1 hora antes
Classificação indicativa: Livre


KASSANDRA
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto (Teatro)
Endereço: Rua Humaitá, 163 - Humaitá
Telefone: (21) 2535-3846
Capacidade: 98 lugares
Dias: 25 e 26 de outubro
Horário: 20h
Duração: 60 minutos
Valor: R$30,00 (inteira) / R$15,00 (meia)
Funcionamento – Bilheteria: quinta a segunda, das 17h às 21h.
Classificação Indicativa: 16 anos


TRÊS MANEIRAS DE TOCAR NO ASSUNTO
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto (Galeria 02)
Endereço: Rua Humaitá, 163 - Humaitá
Telefone: (21) 2535-3846
Capacidade: 20 lugares
Dia: 27 de outubro
Horário: 19h
Duração: 50 minutos
Entrada Gratuita – distribuição de senhas 1 hora antes
Classificação indicativa: 14 anos


VÁCUO
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto (Teatro)
Endereço: Rua Humaitá, 163 - Humaitá
Telefone: (21) 2535-3846
Capacidade: 98 lugares
Dia: 27 de outubro
Horário: 20h30
Duração: 45 minutos
Entrada Gratuita – distribuição de senhas 1 hora antes
Classificação Indicativa: Livre


VERSÃO DEMO
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto (Teatro)
Endereço: Rua Humaitá, 163 - Humaitá
Telefone: (21) 2535-3846
Capacidade: 98 lugares
Dia: 28 de outubro
Horário: 17h
Duração: 70 minutos
Entrada Gratuita – distribuição de senhas 1 hora antes
Classificação Indicativa: 14 anos


CAVEMUSIC
EAV Parque Lage 
Endereço: Rua Jardim Botânico, 414 - Jardim Botânico
Telefone: (21) 2334-4088
Capacidade: 38 lugares
Dia: 20 de outubro
Horário: 23h
Duração: 8h
Confirmação prévia – através do e-mail: cavemusic@tempofestival.com.br
Classificação Indicativa: 16 anos


CONFERÊNCIA: INTERNACIONALIZAÇÃO DE PROJETOS ARTÍSTICOS E CULTURAIS
Casa Firjan
Endereço: Rua Guilhermina Guinle, 211 – Botafogo
Telefone: (21) 4002-0231
Capacidade: 240 lugares
Dia: 22 de outubro
Horário: 19h
Duração: 3h
Confirmação prévia – através do e-mail: rsvp@tempofestival.com.br
Classificação Indicativa: Livre


OFICINA: INTERNACIONALIZAÇÃO DE PROJETOS ARTÍSTICOS E CULTURAIS
Casa Firjan
Endereço: Rua Guilhermina Guinle, 211 – Botafogo
Telefone: (21) 4002-0231
Capacidade: 20 lugares
De 23 a 27 de outubro
Horário: 10h
Duração: 4h
Inscrições prévias através do www.tempofestival.com.br
Classificação Indicativa: Livre


AS FLORES DO MAL OU A CELEBRAÇÃO DA VIOLÊNCIA (LAS FLORES DEL MAL O LA CELEBRACIÓN DA VIOLENCIA)
SESC Copacabana (Mezanino)
Endereço: Rua Domingos Ferreira, 160 - Copacabana
Telefone: (21) 2548-1088
Capacidade: 150 lugares
Dia: 23 de outubro
Horário: 20h
Duração: 55 minutos
Valor: R$7,50 (Associado do Sesc) / R$30 (inteira) / R$15 (meia)
Classificação Indicativa: 16 anos


A ÚNICA COISA QUE NECESSITA UMA GRANDE ATRIZ É UMA GRANDE OBRA E VONTADE DE VENCER (LO ÚNICO QUE NECESITA UMA GRAN ACTRIZ ES UMA GRAN OBRA Y LAS GANAS DE TRIUNFAR)
Teatro Villa-Lobos (Ruínas)
Endereço: Avenida Princesa Isabel, 440 - Copacabana
Capacidade: 50 lugares
Dias: 26, 27 e 28 de outubro
Horário: 20h
Duração: 50 minutos
Entrada Gratuita – distribuição de senhas 1 hora antes
Classificação Indicativa: 14 anos


RESIDÊNCIA ARTÍSTICA - ANNA KARASIŃSKA
Sede das Cias
Endereço: Rua Manuel Carneiro 12, Lapa (Escadaria Selarón)
Capacidade: 60 lugares
Dia: 24 de outubro
Horário: 20h
Entrada Gratuita – distribuição de senhas 1 hora antes
Classificação Indicativa: Livre




ACESSE TAMBÉM NOSSAS REDES SOCIAIS:


                                                     FACEBOOK: Desconexão Leitura



Mais visitadas

Obrigada pela visita volte sempre!

Outras Postagens