17/07/2017

Porque eu sou você, e tenho raiva disso!

by on 18:56
Viver com você é dificil! Tentar retirar todas as suas manias, evitando que você faça coisas que no fundo iram te machucar tão profundamente, que mesmo sendo culpa sua, eu também acabaria sofrendo essa dor.

A forma impulsiva que você faz as coisas, isso me dá nos nervos! Mas você sempre repete as mesma atitudes, me restando apenas tentar te fazer enxergar o que está de errado, mas parece que você não encontra.

Já pensou o quanto isso dói? Acho que sei a resposta, mas sempre adio o inevitavel. Porque lá no fundo tenho a esperança de dias melhores, que estou começando acreditar que não passam de uma mera fantasia que nós dois criamos, dessa vez a culpa também e minha.

Culpa de não ver que nada acontece do dia para a noite, que tudo acontece gradativamente. Que a cada vez que me martirizo tentando apressar a vida, ela me machuca, porque como sempre tenho a mania de colocar a culpa em você.

Mas você e também culpado! Por perceber que sou ingênuo ao ponto de viver algo assim, de entrar em algo sem me dá conta do quanto vou sair ferido, não percebendo que o caminho no qual escolhi foi o da dor e agora não sei como me livrar!

12/07/2017

Resenha : Apaixonada por você. A.C. Meyer

by on 18:14


Depois da apaixonante história de Julie e Danny, o segundo livro é sobre Zach e Johanna, um casal que conseguiu se manter em sigilo por muito tempo.

Inclusive de George, personagem que tem grande destaque nessa edição, já que tem alguns capítulos sendo narrados por ele. E para quem é fã da série e tem um carinho especial pelo George. Vai amar esse volume da série.

Johanna se vê intimada à assumir a relação com o "Sr Delícia". O caso dos dois dá sinais de vida no primeiro livro Louca por Você, quando Johanna fica com seu ar de mistério em várias ocasiões quando o assunto relacionamento chega a destaque em seus diálogos com outros personagens. Finalmente todo mistério será revelado sobre ela!


Jo é uma jovem e linda advogada, muito séria e centrada no seu trabalho - que envolve administrar e gerenciar os interesses de famosos.

Sua vida sai da rotina quando ela tem a oportunidade de conhecer o melhor amigo e sócio de Danny, seu irmão ciumento. Os dois se encontram numa festa de um amigo em comum e tem a chance de conversar a sós, o que resulta no inicio de uma linda história de amor!

Só que Zack não é aquele homem dócil e fácil de manipular como ela está acostumada. Em pouco tempo ele se mostra um dominador, um homem que gosta de ter controle sobre tudo. Zack é daqueles que com um sorriso faz qualquer mulher perguntar "que altura?", se ele pedir pra pular!
E nesse jogo de sedução em que os dois sentem que alguém tem que ceder.

“– Jo, o que você sente por mim? – pergunto de forma incisiva. Já que eu tinha que colocá-la contra a parede, queria tudo.– O que eu sinto? Como assim, Zach? Não quero conversar sobre isso agora. Vamos voltar pra cama. – Ela tenta ganhar tempo, mas não vai conseguir me enrolar.– Não vamos voltar pra cama, Jo. A gente não conversa. Tudo a gente resolve na cama. Chega! Agora quero saber o que você sente. Você me ama? Você gosta de mim? Só sente tesão?”

Com o passar do tempo, o Thor, dono do martelo, como diria George, põe sua amada contra parede.

Quem mandou ela se envolver com nada menos que o melhor amigo do seu ciumento irmão Danny boy?
Eu li em uma noite de tão gostoso que é a história de Zack e Jo. George rouba a cena sempre, sendo o mais cativante de toda a série After Dark.
O segundo livro tá muito bem dosado, é hot e não é. Tem doses leves de romance, tem a perspectiva de cada um dos personagens. Me emocionei e dei risadas em vários momentos em que lia a história.
Todo o grupo do After Dark está em peso no livro, o que aumenta a vontade de ler rapidamente e saber como estão Julie e Danny (menino ou menina)?
A autora arrasou nos detalhes, sem deixar nada pra trás! Tudo se encaixa perfeitamente e nos deixa com aquela saudade quando viramos a última página!

Aguardando After Dark #3




10/07/2017

Resenha: Os Paradigmas de Amy - Alexia Road

by on 19:34

Amy Bennett, uma linda mulher que vive cidade onde os valores e os costumes continuam como antigamente, sonha em ser livre.

Uma cidade pacata, um namoro que rapidamente evolui para o matrimônio. Mark parecia um príncipe, respeitado, atencioso, o herdeiro mais poderoso de uma cidade pacata. A primeira vista parece uma daquelas histórias com final feliz, mas não foi bem assim.

A autora, Alexia Road, magistralmente vai tecendo os fios de algo muito pior, que representa a realidade de muitas outras mulheres do Brasil e fora. Vemos a vida humilde uma jovem mulher de 18 anos se transformar em algo assustador, onde o desespero, a humilhação, a violência doméstica e a dor foi o que ela encontrou ao se casar.


 Seu marido Mark faz de tudo para causar dano à autoestima, à identidade e ao desenvolvimento de Amy, incluindo insultos constantes, humilhação, desvalorização.

Mesmo assim, Amy ainfa tinha algo em si. O empoderamento*.

Esse é um livro que homens e mulheres deviam ler, é uma lição de vida, um exemplo que, mesmo diante do maior pesadelo, devemos acreditar que podemos supera-lo, mantendo-nos firmes aos nossos ideais de vida, de ser feliz e que quase sempre essa felicidade só pode ser conquistada por nós mesmos, quando resolvemos tomar a nossa vida pela nossa próprias mãos, definindo o rumo que nós queremos para ela.

(*)EMPODERAR: é um verbo que se refere ao ato de dar ou conceder poder para si próprio ou para outrem. A partir do seu sentido figurado, empoderar representa a ação de atribuir domínio ou poder sobre determinada situação, condição ou característica.



30/06/2017

Graphic Novels - Editora Nemo

by on 14:58

No dia 18 de maio (sim, eu demorei um pouco para escrever essa matéria), tivemos uma tarde com a galera do Grupo Autêntica para conhecer as Graphic Novels ou Novelas gráficos da Editora Nemo.Sinceramente, desconhecia o termo, novelas gráficas. Porém conheço o estilo de história, já que amo quadrinhos.

Não é uma especialidade minha esse estilo, já que sou leitora assídua de mangás e HQ's, por isso esse encontro foi tão especial. Tive a oportunidade de conhecer diversos títulos publicados no Brasil e no mundo, pelo apaixonado e adorador deste estilo, PH do site Tu já viu. Foi enriquecedor todo o conhecimento que ele possui sobre o tema e que com um carinho todo especial nos passou um pouco deste conhecimento. Foi como entra no túnel do tempo e relembrar os clássicos da minha infância e dos meus pais. Além de saber fatos curiosos sobre títulos que não tive oportunidade de conhecer.

Com certeza vocês devem está se perguntando o que é uma Novela Gráfica? Qual é a aparência?
É uma explicação bem complexa na minha opinião porque ,devesse analisar varias questões caso você já leia algum tipo de quadrinho. Então tentarei ser o mais clara possível na explicação. Caso você seja um novato e nunca tenha lido quadrinhos ou acredita que é leitura para crianças, sinto lhe informar, mas você está errado. Há quadrinhos adultos, e as novelas gráficas estão nesse nicho especifico. São quadrinhos com temas adultos, como sexo, interações familiares,suicídio, depressão, guerras, entre outros.

A leitura é diferente e bem fácil de ler, já que você tem ilustrações e diálogos em toda a publicação. Não senti muita diferença nas temáticas se for compara com os mangás adultos que costumo ler nos estilos Josei e Seinen. Caso queira saber sobre esses estilos clique aqui!
Sobre os traço dos quadrinhos, alguns tem como referencia os mangás e são em preto e branco,já outros lembram os traços das HQ's,mas não há uma padronagem cada artista tem sua referência e estilo.

Sou chata com os traços dos mangás e dos manhwas( quadrinhos coreanos, lembram muitíssimo os mangás japoneses) que leio, gosto de traços limpos e delicados, com uma riqueza de detalhes e um enredo interessante. Então claro que vão ter alguns que não me chamarão a atenção.
Mas pra finalizar, recebi duas graphics novels da Editora, que espero resenhar logo aqui para vocês, futuramente volto para contar para vocês como foi a minha experiência com os livros.




23/06/2017

Resenha: Kit Alkimia Sos

by on 11:42

    Hoje eu vim trazer a resenha de um produto que recebi na feira Rio Belleza no estande da Embelleze no dia 11/06. Lá no estande rolou um bate papo super bacana com algumas influencers falando sobre a aceitação do seu cabelo, transição capilar, produtos que usam diariamente e cuidados. Logo após foi aberto para perguntas.


Sobre o produto: 

Existem duas formas de usar o produto: Como reconstrução e o outro modo é o de cauterização. Eu só testei como reconstrução, e segui o passo a passo que está atrás da caixa. Meu cabelo estava bem detonado devido a descoloração que fiz ano passado. No inicio do ano, pintei o cabelo de preto para disfarçar mas devido ao desbotamento o cabelo estava com aspecto opaco e ressecado. 

O que promete? Realmente funciona? O tratamento promete recuperação imediata dos fios na primeira aplicação e pra mim realmente funcionou, antes mesmo de secar já consegui sentir a diferença.O cabelo estava forte, sem fios elásticos, bastante brilhoso, e ao secar percebi que a maioria das pontas duplas tinham desaparecido. 

Um defeito, que na verdade não é tanto um defeito: o tratamento não é difícil mas requer tempo pois são vários passos. Não recomendo o uso diário, pois o kit contém queratina liquida que quando usado com frequência pode ocasionar a quebrar dos fios, deixando ele poroso.


Resultado : 

(Foto sem edição)



19/06/2017

Crítica: Tudo e todas as coisas - Nicola Yoon

by on 15:23

Já pensou se você estivesse com uma doença tão grave que te priva do mundo a sua volta, e por isso você tem que viver toda a sua vida preso dentro da sua própria casa?

Em tudo e todas coisas, filme baseado no livro da escritora Jamaicana Nicola Yoon, Madeline é uma garota de 18 anos que nunca conheceu o mundo exterior, por consequência de uma doença rara aonde impede o combate de bactérias no seu corpo, fazendo assim com que tudo que ela conheça do mundo seja atráves das paredes da sua casa totalmente protegida de germes ou pela tela do seu computador.Mas tudo muda quando a casa ao lado da sua e alugada pela família de Olly, um menino que encanta Maddy a partir do primeiro olhar, e que não descasa até conseguir conhecer a garota da casa ao lado.
Conheci a história de Maddy e Olly no inicio de 2017, quando tive finalmente a oportunidade de adquirir um exemplar do livro e reversar um tempo para a leitura, se eu for comparar o livro com a adaptação posso dizer que temos uma cópia fiel da história nas telas dos cinemas. O romance em si se torna clichê em torno de tantos lançamentos atuais que falam do mesmo tema, porém o diferencial foi a forma que tudo as situações são abordados, e também não posso deixar de lado a atuação dos dois atores principais (Amandla Stenberg e Nick Robinson) que entraram de cabeça na hora de dar vidas as personagens Maddy e Olly.

Tudo e todas as coisas pode ser considerado mais um clichê criado para o público juvenil, porém perante a tantas adaptações que não estão superando as expectativas dos telespectadores, o filme trás algo de que certa forma pode agregar na vida de alguém.Digo alguém, porque uma das coisas que se mostra no filme e o controle rígido que a mãe de Maddy tem com ela, e como isso a sufoca.

Se me perguntassem hoje qual filme eu indicaria para assistir nos cinemas, com toda certeza seria Tudo e todas as coisas, não indicaria apenas para os jovens, mas também para pais, mães, avôs, pois de certa forma algo no filme irá agregar para você telespectador.

17/06/2017

#OuseAmar - Amor de Temporada

by on 10:51
 

  Amores, ah amores!
  Cada um tem suas marcas e suas lembranças. Podem durar meses ou apenas um dia. O que torna diferente é o quanto permanecem em nossas lembranças. Há amores que o tempo trata de apagar e com muito esforço conseguimos trazer de volta a imagem ou o sentimento vivido naquela época. Amores vão e vêm; alguns necessários que nos permitem enxergar a vida através dos olhos da pessoa amada e outros surgem apenas para despertar emoções violentas que o tempo, como remédio, trata de apagar de nossos pensamentos.

  Lançando um olhar sobre tema, vejo de duas formas distintas o amor de temporada.
A primeira forma é aquele amor de temporada que tem vida curta, sem compromisso ou amanhã. Não se sabe o momento que se inicia e termina rápido, sem raízes ou mesmo tempo suficiente para criar laços profundos.

  A segunda forma de olhar é considerar cada relacionamento como as 4 estações do ano: Verão, outono, inverno e primavera.

  Verão: É uma tsunami de emoções, caliente, algo insano, profano. Recheado de uma paixão avassaladora. Tem uma duração curta, porque da mesma forma que une os dois também se acaba. O sexo está sempre em primeiro lugar

  Outono: É morno, tranquilo, faz planos a curto prazo e acredita que sempre haverá o sai seguinte para amar. É como um amor de casal de meia idade. Sem pressa, calmo e seguro.

  Inverno: Lembra dias de chuva, onde o melhor lugar é ficar coladinho, juntinho da pessoa amada, um bom vinho e ficar aquecido debaixo cobertor. Bem mais tranquilo do que o amor de outono, os amantes fazem planos de longa duração, planejam passeios e investem no bem estar e melhoria das relações entre os dois.

  Primavera: E então o amor desabrochou, sem base onde apoiar e sem estruturas para permanecer por muito tempo. As inseguranças e a falta de maturidade se fazem presente. Tudo é compensado pelo prazer da descoberta de viver as emoções pela primeira vez.

  Amores, ah Amores! Não importa o nome, não importa a durações e a forma de amar mas algo podemos afirmar: Amor nos aproxima daquilo que mais temos de bonito, no sentimento do ser humano e que “ - Amar vale a pena”


Agradecimentos: Musa Cosméticos

Mais visitadas

Obrigada pela visita volte sempre!

Outras Postagens